Sobre a proposta de regulamentar a profissão de cientista político, lembrei-me desse livro aqui. Segue o fio 👇
O original em francês chama-se "Le métier de sociologue". A primeira tradução no Brasil saiu como "profissão"; depois virou "ofício", o que é mais próximo de "métier".👇
Na sociologia e na legislação de vários países, "profissão" tem o sentido de uma comunidade de experts que conquista um nicho de mercado de trabalho com base no controle relativamente autônomo sobre credenciamento, definição de expertises e áreas de atuação (Freidson).
"Ofício" está mais ligado a um saber-fazer, que é o que é estimulado nessa obra de Bourdieu et al. É mais ou mesmo a mesma pegada da "sociologia como artesanato intelectual" do Mills.👇
O foco desse ofício é o método. Método não apenas como técnica de coleta/análise de dados; método como meio de apreensão da realidade: epistemologia, teoria e técnicas de pesquisa. A boa formação teórico-metodológica é na minha opinião o centro da formação em Ciências Sociais👇
E vejam que até agora só falei de "Ciências Sociais" e "sociólogos". Pela minha própria trajetória, mas não só por isso, sou um crítico da hiperespecialização e das tentativas de segmentação internas das Ciências Sociais 👇
E isso já é mais agudo na CP, onde há um movimento recorrente de delimitação da área a partir de certa epistemologia (positivista, explicação causal), certos métodos (quantitativos) e objetos (instituições políticas). Nem toda a CP é assim, mas há esse movimento.👇
A proposta de regulamentar a CP como profissão é ruim porque colocaria a área no mesmo trilho histórico-politico do corporativismo das profissões brasileiras. E porque estimularia uma cisão com potencial predatório e competitivo entre as áreas das Ciências Sociais.👇
É possível defender nosso ofício sem nos tornarmos uma profissão. E acho que a defesa desse ofício vem da força do nosso saber-fazer, que só é rico porque plural, diverso, aberto a múltiplas formações, trajetórias, epistemologias, teorias, técnicas.
E a minha ciência política é cheia de sociologia política, etnografia, diálogos interdisciplinares. Esse livro do Bourdieu é dos primeiros que indico a orientandes. Quem vai regulamentar a minha CP?

• • •

Missing some Tweet in this thread? You can try to force a refresh
 

Keep Current with Frederico de Almeida

Frederico de Almeida Profile picture

Stay in touch and get notified when new unrolls are available from this author!

Read all threads

This Thread may be Removed Anytime!

PDF

Twitter may remove this content at anytime! Save it as PDF for later use!

Try unrolling a thread yourself!

how to unroll video
  1. Follow @ThreadReaderApp to mention us!

  2. From a Twitter thread mention us with a keyword "unroll"
@threadreaderapp unroll

Practice here first or read more on our help page!

More from @FAlmeidaUNICAMP

18 Sep
Conheço o trabalho do Padre Júlio Lancelotti @pejulio desde quando estava na faculdade, quando ele trabalhava com crianças e adolescentes em situação de rua. Desde aquela época ele é alvo de ameaças e armações pesadas: ja teve até acusação de pedofilia. +
+Mais recentemente, tive conhecimento de novo das ameaças ao seu trabalho. Quando não são sobre o padre, são sobre a população de rua que ele atende, inclusive com mortes que passam despercebidas no noticiário.+
+Há suspeitas de vigilantismo promovido por comerciantes e classe média das regiões onde o padre atua. E aí quando o deputado falastrão acusa Lancelotti publicamente, ou quando Covas diz que ele é um "incômodo" são só as falas públicas e oficiais de um esquema violento e covarde+
Read 5 tweets
16 Sep
Organizei aqui os artigos do debate entre colegas sobre a regulamentação da ciência política. Aqui nas redes às vezes as coisas perdem o rumo e o fio da meada. Por isso vale a pena ir onde tudo começou, porque o debate é bom. Segue o fio 👇
Esta foi a resposta de sete colegas (dentre eles o @bolognesibruno ) também no site da @revistapiaui piaui.folha.uol.com.br/ciencia-politi…
Read 7 tweets
15 Sep
Ainda sobre a regulamentação da Ciência Política como profissão. Freidson ensina que livre concorrência, burocracia e profissão são formas ideais e distintas de se organizar o trabalho especializado. No caso da profissão acadêmica, o espaço dessa organização é a universidade👇
Universidade é burocracia, mas nos garante (deveria) autonomia intelectual e, em diferentes medidas, autogoverno (típico de profissões). Está parcialmente submetida ao mercado, o que varia no peso do setor privado na educação superior e nos postos de trabalho dos profissionais 👇
No caso das Ciências Sociais, a universidade é locus de produção e de absorção de profissionais. Se a questão é melhorar inserção profissional, então o desafio é pensar na formação em Ciências Sociais para além da universidade: ensino médio, gestão, consultorias, etc👇
Read 7 tweets
9 Sep
Como o assunto não morre, organizei aqui alguns artigos meus com investigações e reflexões sobre a Lava Jato, o combate à corrupção e a democracia. Espero que ajudem a entender o apogeu e a crise da Lava Jato e como chegamos a esse ponto. Segue o fio👇
1) Neste aqui faço um primeiro ensaio de interpretação, mobilizando dados e análises secundárias para compreender a Lava Jato na história política brasileira de médio e curto prazo: www2.unifesp.br/revistas/pensa…
2) Neste desenvolvo a tese do duplo empreendedorismo dos juristas da Lava Jato - jurídico e moral - por meio de análise de trajetórias e discursos: nuso.org/media/articles…
Read 9 tweets
9 Sep
A Lava Jato acabou, mas faz tempo. Dallagnol perdeu, mas Aras não ganhou. Segue o fio 👇
A Lava Jato acabou com seu maior trunfo: a prisão de Lula, após a deposição de Dilma. Depois daquilo, não havia mais condições de se repetir o pacto político entre MPF, opinião pública e sistema político que garantiu o sucesso da operação.👇
A Lava Jato ainda tentou avançar sobre Temer e PSDB, mas os diferentes tempos e desenlaces nessas frentes mostraram que, mesmo que o MPF não queira ter sido seletivo, os outros jogadores o foram (STF, legislativo, mídia...)👇
Read 12 tweets
9 Sep
Acabei de assistir a Narciso em Férias, documentário sobre a prisão de Caetano Veloso na ditadura. Alguns comentários diletantes de um fã declarado de Caetano, inclusive sobre a última treta deste site tuíter envolvendo o homem. Segue o fio 👇
O documentário é bom, mas muito simples na forma: basicamente Caetano falando (e eventualmente cantando), poucas intervenções do entrevistador ou de imagens de arquivo. 👇
É um depoimento, mas um depoimento bem interessante e tomado e editado de maneira competente (para um admirador de documentários, mas leigo). 👇
Read 18 tweets

Did Thread Reader help you today?

Support us! We are indie developers!


This site is made by just two indie developers on a laptop doing marketing, support and development! Read more about the story.

Become a Premium Member ($3/month or $30/year) and get exclusive features!

Become Premium

Too expensive? Make a small donation by buying us coffee ($5) or help with server cost ($10)

Donate via Paypal Become our Patreon

Thank you for your support!

Follow Us on Twitter!