1/n Muito se discute sobre o ritmo de recuperação da economia brasileira, que desabou 11,4% no 2T de 2020, relativamente ao mesmo período de 2019. Aqui vai uma modesta contribuição, com base em um dado de fácil acesso e disponível em tempo real: o consumo de eletricidade.🧵
2/n Dados de alta-frequência podem ser utilizados como uma interessante ferramenta para medirmos a temperatura da economia. A vantagem é que esse tipo de informação fornece, em tempo real, uma fotografia do que as estatísticas oficiais só revelarão semanas à frente.
3/n O @OppInsights e o @BudgetModel, por exemplo, acompanham diariamente a recuperação da economia americana usando dados de compras de cartão de crédito e débito, folhas de pagamento, vagas de trabalho publicadas online, etc.
4/n Muitos dos dados utilizados por esses institutos de pesquisa são proprietários e obtidos via empresas parceiras. Porém, como já adiantei, o consumo de eletricidade é uma informação de fácil acesso, disponível em tempo real, e historicamente bastante correlacionada com o PIB.
5/n Nos últimos dezesseis anos, as taxas de crescimento trimestral (YoY) do PIB brasileiro e do consumo de eletricidade exibiram um comportamento muito semelhante. Em particular, durante a Crise de 2008, ambas tiveram uma dinâmica de queda e recuperação parecida.
6/n Mas enquanto as informações sobre o uso de energia eram conhecidas em tempo real, os dados oficiais do PIB só foram anunciados tempos mais tarde. No 2T de 2020, o consumo de eletricidade caiu 9,5%, relativamente ao mesmo trimestre de 2019. Lembre-se: o PIB, caiu 11,4%.
7/n É claro, não há garantia de que esse padrão se manterá no longo prazo. Primeiro, porque correlação não implica em causalidade. Segundo, pois transformações estruturais – tais como a redução do peso de atividades intensivas em energia na composição do PIB, padrões de ...
8/n ... consumo mais sustentáveis, e ganhos de eficiência energética – podem provocar um descolamento entre essas duas curvas. Ademais, diferentemente de crises passadas, essa é uma crise de saúde pública, que apresenta particularidades que devem ser levadas em consideração.
9/n Por exemplo, muitos empregados foram obrigados a substituir o trabalho no escritório pelo regime de home office. Se o nível de energia consumido ao se trabalhar de casa for semelhante ao que seria utilizado no escritório, então esperaríamos que a queda no consumo ...
10/n ... tenha reflexos mais próximos àqueles sobre a atividade econômica. Por outro lado, caso o home office se traduza em maior eficiência no consumo de energia – ou, talvez, em um consumo inferior em virtude da expectativa de que contas de luz mais elevadas ...
11/n ... não serão reembolsadas pelo empregador, então a queda da atividade econômica tenderá a ser relativamente menor. Em linha com um trabalho desenvolvido pelo economista @SteveCicala, criei um indicador para medir a variação diária do consumo de eletricidade ...
12/n ... no Brasil, em 2020, relativamente ao período pré-COVID – que defini como sendo de 01 Jan. a 29 Fev. de 2020, pouco antes da doença ter sido declarada uma pandemia pela OMS, em 11 Mar. 2020. Os dados de uso de eletricidade foram obtidos através do ...
13/n ... Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e são divulgados em tempo real. Eles representam cerca de 99% de toda a eletricidade consumida no país por clientes comerciais, industriais e residenciais. Essas informações estão disponíveis para quatro subsistemas, ...
14/n ... segundo uma classificação estabelecida pelo ONS. São eles os subsistemas Norte, Nordeste, Sudeste/Centro-Oeste e Sul. Praticamente todos os estados pertencem ao subsistema homônimo à região brasileira da qual fazem parte, com exceção do estado do Maranhão, que faz ...
15/n ... parte do subsistema Norte, dos estados do Acre e Rondônia, que fazem parte do subsistema Sudeste/Centro-Oeste, e do estado de Roraima, que não é incluído em subsistema algum e que, portanto, é excluído da análise.
16/n Não surpreendentemente, o consumo de eletricidade possui fortes padrões sazonais. Portanto, de forma a permitir a comparação entre diferentes momentos no tempo, os dados de consumo foram dessazonalizados. Para isso, utilizei: i) dados de satélites, radares e estações ...
17/n ... meteorológicas para obter o histórico da temperatura, por hora, de todos os municípios brasileiros; ii) dados de feriados nacionais, disponibilizados pela ANBIMA; e iii) controles para hora do dia, dia da semana e semana do ano.
18/n Adicionalmente, os valores do indicador são normalizados para terem média zero entre 01 Jan. e 29 Fev. de 2020. A normalização nos permite medir o quanto o consumo de eletricidade variou relativamente ao período que antecedeu a pandemia.
19/n Um indicador distinto foi criado para cada subsistema. A média ponderada desses indicadores, por sua vez, deu origem a um indicador nacional, onde para cada subsistema foi atribuído um peso proporcional à sua fração no consumo total do país entre 2016 e 2019.
20/n Os resultados da Tabela 1 sugerem que o consumo em março caiu em quase todos os subsistemas, com exceção do subsistema Sul, onde cresceu 1,08% relativamente ao período pré-pandemia. Em abril, o uso de eletricidade despencou aproximadamente 11% em todo o país, ...
21/n ... coincidindo com um momento no qual diretrizes de distanciamento social foram reforçadas e políticas de lockdown ampliadas nacionalmente, fechando aeroportos, comércios, fábricas e escritórios. Nos subsistemas Nordeste e Sul, a retomada aos níveis pré-pandemia ...
22/n ... tem se mostrado mais lenta. O primeiro exibiu uma retomada significativa entre os meses de maio e julho, sucedida por uma piora marginal no mês de agosto. O consumo de eletricidade no subsistema Sul, por sua vez, apresentou uma melhora substancial ...
23/n ... no mês de maio, vis-à-vis à queda expressiva do mês de abril. No entanto, voltou a cair no mês de junho – o oposto do que se observou nas demais regiões do país, para então tornar a crescer novamente nos meses de julho e agosto.
24/n Por outro lado, nos subsistemas Norte e Sudeste/Centro-Oeste – neste último, onde se concentra mais da metade do consumo de eletricidade em todo o país, o uso de energia já retornou aos níveis pré-COVID. Por fim, o que se observa a nível nacional é uma recuperação ...
25/n ... consistente desde a metade de abril. Se a relação entre o consumo de eletricidade e a atividade econômica observada nos últimos dezesseis anos continuar valendo, então há evidência de que recuperação do PIB brasileiro poderá ser rápida, tal qual foi a sua queda.
Todos os códigos e dados que utilizei para fazer a análise estão disponíveis (e devidamente documentados) em github.com/gabrielrichter.
Por fim, apenas marcando algumas (das muitas) pessoas que gosto de seguir e que podem ter interesse: @rvitoria, @JorgeLarangeir1, @rosa_riscala, @samydana, @luizfalvesjr, @alisc, @CenergiaLab, @jlbraga, @ArthurLulaM, @mamollica, @JamesGBrasil, @pfnery, @sf2invest, @LucasWarwar

• • •

Missing some Tweet in this thread? You can try to force a refresh
 

Keep Current with Gabriel Richter

Gabriel Richter Profile picture

Stay in touch and get notified when new unrolls are available from this author!

Read all threads

This Thread may be Removed Anytime!

PDF

Twitter may remove this content at anytime! Save it as PDF for later use!

Try unrolling a thread yourself!

how to unroll video
  1. Follow @ThreadReaderApp to mention us!

  2. From a Twitter thread mention us with a keyword "unroll"
@threadreaderapp unroll

Practice here first or read more on our help page!

Did Thread Reader help you today?

Support us! We are indie developers!


This site is made by just two indie developers on a laptop doing marketing, support and development! Read more about the story.

Become a Premium Member ($3/month or $30/year) and get exclusive features!

Become Premium

Too expensive? Make a small donation by buying us coffee ($5) or help with server cost ($10)

Donate via Paypal Become our Patreon

Thank you for your support!

Follow Us on Twitter!