Nomes da Vitória: Nina Petrova - a "Mama Nina" que matou 122 nazistas

Há 76 anos, em 1º de Maio de 1945, falecia uma das maiores lendas da história militar do mundo, a atiradora de elite Nina Petrova.

Nina Petrova nasceu em 1893 no Império Russo, filha de família camponesa. +
Durante sua juventude, sua família se muda para o Extremo Oriente russo e lá ela trabalha de dia e estuda de noite. Após a Revolução de 1917, Petrova se muda para Leningrado, onde começa a trabalhar como professora de ginástica após se formar. Ela acaba por se envolver com +
esporte, muito incentivado pelo governo soviético da época, e vira capitã do time feminino de hóquei de gelo do Exército Vermelho. Lá, aprende a atirar.

Quando estoura a Guerra de Inverno com a Finlândia em 1939, Nina vai para o campo de batalha, onde se destaca. +
Dois anos depois, em 1941, quando os alemães se aproximam de Leningrado, ela se voluntaria e mais uma vez volta à ação como franco-atiradora. Ela lutou durante a defesa de Leningrado e também treinou outros atiradores.

Nina acaba ascendendo ao cargo de sargento-sênior +
(starshina) do Exército Vermelho e ganha o comando do esquadrão de atiradores do 284º Regimento de Infantaria de um dos exércitos que participava de várias das Frentes de guerra (Leningrado, Báltica e Bielorrussa).

Após o levantamento do cerco da cidade, ela avança na +
direção da Alemanha, estabelecendo marcas de mortes de nazistas que fizeram seu nome ficar conhecido entre os soldados como "Mama Nina, a matadora de nazistas".

Por exemplo, em apenas 10 dias, em janeiro de 1944, nas redondezas de Leningrado, Nina Petrova matou 23 soldados e +
oficiais nazistas com seu rifle de precisão escondida nas ruínas de um prédio. Por esse ato, ela foi condecorada com a alta honraria da Ordem da Glória de 3º Grau. Já no Báltico, em fins do mesmo ano, em uma semana ela eliminou 12 nazistas, sendo então condecorada com a Ordem da+
Glória de 2º Grau. Já em 1945, durante a libertação da Polônia, em apenas 5 dias de fevereiro ela mandou para o inferno 30 nazistas.

Durante a entrada do seu regimento na Alemanha, em 1º de Maio de 1945, no mesmo dia que a bandeira da URSS era hasteada sobre o Reichstag, +
Nina morre em um acidente de caminhão. O veículo no qual ela estava acabou caindo de uma ponte por falta de iluminação e muretas, vitimando uma das lendas do Exército Vermelho.

+
Nina Petrova tinha então 51 anos e havia acabado de ser indicada para receber a Ordem da Glória de 1º Grau, que recebeu postumamente. Ela foi uma das 4 mulheres a ser cavalheira completa da Ordem da Glória em toda a História. Também recebeu as condecorações "Pelo Mérito Militar"+
e "Pela Defesa de Leningrado".

Ela deixou a vida com a incrível cifra de 512 atiradores de elite soviéticos treinados em suas aulas e 122 nazistas mortos. +
Nesse Dia da Vitória, lembramos da história fantástica de pessoas como Nina Petrova e tantos outros que deram suas vidas pela libertação da Humanidade.

Memória eterna à Mama Nina!

• • •

Missing some Tweet in this thread? You can try to force a refresh
 

Keep Current with Lucas Rubio #EmCasa

Lucas Rubio #EmCasa Profile picture

Stay in touch and get notified when new unrolls are available from this author!

Read all threads

This Thread may be Removed Anytime!

PDF

Twitter may remove this content at anytime! Save it as PDF for later use!

Try unrolling a thread yourself!

how to unroll video
  1. Follow @ThreadReaderApp to mention us!

  2. From a Twitter thread mention us with a keyword "unroll"
@threadreaderapp unroll

Practice here first or read more on our help page!

More from @RMSLucasRubio

3 May
Para não esquecer jamais...

Há 7 anos, em 2 de Maio de 2014, acontecia o Massacre de Odessa, na Ucrânia.

Após o Euromaidan, o golpe de Estado que ascendeu ao poder uma junta governamental pró-Ocidente e fascista em Kiev, várias localidades do país presenciaram revoltas e +
manifestações de oposição ao movimento.

A nova junta governamental se apoiou em grupos paramilitares e milícias armadas claramente nazistas e saudosistas das forças colaboracionistas ucranianas do período da Segunda Guerra Mundial.

+
Na cidade de Odessa, por ocasião do 1º de Maio, Dia do Trabalhador, gigantescas manifestações foram convocadas pelos sindicados e partidos políticos contra o golpe. As manifestações, porém, foram respondidas com violência aberta por parte dos milicianos fascistas, embebedados +
Read 9 tweets
2 May
O 1º de Maio mais turbulento da Rússia

O feriado do Dia do Trabalhador de 1993 foi um dos mais emblemáticos e violentos feriados desse tipo na Rússia pós-soviética. O dia foi marcado por intensos embates entre a polícia e os manifestantes populares que pediam a volta da URSS.
+
Nos últimos dias de 1991, havia se iniciado o governo de Boris Yeltsin, um dos principais atores do dissolução da União Soviética e o primeiro presidente da Federação Russa. Suas controversas ações no governo incluíram a privatização em massa dos serviços e empresas públicas da +
ex-Rússia soviética, causando uma crise econômica somente vista no antigo Império Russo.
No 1º de Maio de 1993, a população russa saiu às ruas de Moscou carregando bandeiras da União Soviética e retratos de Lenin e Stalin, exigindo o fim das medidas anti-populares de Yeltsin e +
Read 9 tweets
1 May
O Primeiro de Maio antifascista.

O Primeiro de Maio de 1945 foi comemorado assim pelo povo soviético. Nesse dia, o Exército Vermelho travava suas últimas batalhas para limpar Berlim dos nazistas.

+
Os combates pela captura do Reichstag terminam com a vitória da URSS e, pela segunda vez, se ergue a bandeira da URSS sobre o prédio.

Nas ruas, controladoras de trânsito saúdam o Dia dos Trabalhadores com grande alegria.

+
A Vitória só foi possível porque o Exército Vermelho era um Exército de Operários e Camponeses e porque as indústrias da URSS e seus trabalhadores operaram 24 horas por dia para munir as forças armadas com o que havia de melhor para lutar contra o fascismo.

+
Read 4 tweets
6 Mar
Hoje é aniversário da Valentina Tereshkova, a primeira mulher a ir ao Cosmos. Ela está completando 84 anos de vida.

Em 1963, Tereshkova foi selecionada para ir ao espaço sideral no programa Vostok-6 da União Soviética. Ela ficou quase 3 dias em órbita.

+
Nasceu em 1937 no interior da Rússia soviética. Filha de um camponês, Valentina trabalhou na juventude como operária de fábrica e sempre teve espírito corajoso e atirado a aventuras. Entrou para o clube de paraquedismo da fábrica têxtil e isso foi um caminho sem volta.

+
Tornou-se cosmonauta e passou por um rigoroso programa de seleção para ir ao Cosmos representar o seu país, a União Soviética, e o avanço científico da Humanidade.

Ela subiu sozinha ao Cosmos em 16 de junho de 1963 e orbitou a Terra várias vezes. Quando retornou, foi recebida +
Read 5 tweets
6 Mar
5 de março de 1953, Coreia.

Mergulhada na guerra, causada pelo invasor ávido de sangue e poder, a Coreia recebe a notícia de que o camarada Stalin havia falecido.

Sob fogo da artilharia inimiga e com o som das armas tinindo nos ouvidos, mesmo assim todas as linhas de frente +
param e rendem homenagens ao amigo do povo coreano que prestou ajuda primordial para a causa revolucionária daquele país.

As pessoas nas cidades destruídas saem de seus abrigos e sob bustos e retratos de Stalin prestam reverências e depositam coroas de flores.

Nos campos de +
batalha, os soldados se reúnem e lamentam a morte do líder que inspirou a Revolução Coreana e muito a ajudou diretamente em 1945, com o auxílio no trabalho de expulsar o Japão, e durante a guerra de 1950-1953, com o envio de suprimentos essenciais de guerra. Com lágrimas em +
Read 7 tweets
25 Dec 20
O Natal maldito de 1991: 29 anos da pior tragédia geopolítica da História

Há 29 anos, em 25 de dezembro de 1991, Mikhail Gorbachev renunciava à presidência da União Soviética, decretando o atestado de óbito do gigantesco país, nascido em 1917 com a vitória da Revolução Russa. + Image
Já fragmentada por um processo interno de desintegração, em grande parte liderado pelo político russo Boris Yéltsin, a URSS deixava de ter uma liderança central, finalizando o processo de desintegração.
Alguns minutos depois do discurso de renúncia de Gorbachev, assistido por (+) Image
milhões de atônitos cidadãos, a bandeira vermelha da União Soviética foi retirada do mastro do Kremlin de Moscou, por onde tremulou mesmo em situações gravíssimas, como a Segunda Guerra Mundial. Este fato simbolizou o fim de mais de 7 décadas de existência do Estado socialista. Image
Read 7 tweets

Did Thread Reader help you today?

Support us! We are indie developers!


This site is made by just two indie developers on a laptop doing marketing, support and development! Read more about the story.

Become a Premium Member ($3/month or $30/year) and get exclusive features!

Become Premium

Too expensive? Make a small donation by buying us coffee ($5) or help with server cost ($10)

Donate via Paypal Become our Patreon

Thank you for your support!

Follow Us on Twitter!