Discover and read the best of Twitter Threads about #ditaduranuncamais

Most recents (20)

GRAVÍSSIMO!
Polícia Militar acaba de entrar na Plenária de Mulheres do PSOL em São Paulo, pedindo documentos de nossas filiadas e afirmando que o evento está "monitorado" pela PM. Grave ataque ao direito de livre organização partidária. Vamos cobrar de @jdoriajr uma explicação!
A Plenária de Mulheres é um evento preparatório ao Encontro Nacional de Mulheres do PSOL, que acontece há anos e elege o Setorial de Mulheres do partido. Evento político de caráter reservado às filiadas do PSOL, totalmente amparado pelo direito à livre organização partidária.
Não há qualquer justificativa para que a PM "monitore" um evento partidário. Esse gesto de intimidação é inaceitável. Não estamos mais na Ditadura Militar, quando o direito de reunião podia ser coibido. Vamos acionar todas as autoridades contra esse absurdo. Chega!
Read 5 tweets
Today marks the 55th anniversary of the military coup that plunged Brazil into a decades-long dictatorship
It was a time of rampant torture, press censorshp, arbitrary arrests and a brutal extermination campaign against indigenous groups, all lead by the state
#DitaduraNuncaMais
As we remember this dark period of our history, we must stand clearly and unequivocally against those who wish to falsify history and downplay the atrocities of the time.
Bolsonaro is one of these revisionists, which makes it particularly important that we fight against this lie.
No more torture! No more dictatorship! Never again!

I'll try to link to good English-language resources on this. Send me them if you have any
I'll post material that deals w/ the internal repression, the US role, and relationship between the military governments in South America
Read 11 tweets
De todas as músicas sobre a ditadura, acho que Angélica, do Chico Buarque, é a mais triste, carnal e que mais me emociona. Hoje é importante relembrar a música, sua letra, e a mulher por trás da história.

#DitaduraNaoSeComemora

A música foi feita em homenagem à Zuzu Angel, estilista brasileira e sua incansável busca pelo corpo do filho, Stuart Angel, sequestrado, torturado e morto pela ditadura militar.
Mesmo se opondo à ditadura, estava longe de ser uma vagabunda.

Conquistou tudo com esforço, investiu todo dinheiro para abrir uma loja de roupas em Ipanema, e foi expandido até chegar no mercado estadounidense, tendo clientes famosas como Joan Crawford, Liza Minelli e Kim Novak.
Read 15 tweets
Esse é Warini Suruí, um velho Aikewara, hoje na casa de seus setenta/oitenta anos. Em meados da década de 70, Ele e seu povo foram escravizados pelo Exército Brasileiro como parte dos esforços militares de combate à Guerrilha do Araguaia #DitaduraNaoSeComemora #DitaduraNuncaMais Um indígena usando óculos olha para o horizonte
Entre 1972 e 1974, sua aldeia fora invadida por militares, idosos, mulheres e crianças foram mantidas em cárcere privado, não podiam sair de suas malocas e dependiam exclusivamente da ração fornecida por militares. O termo campo de concentração é mais do que apropriado aqui.
Enquanto isso, os homens - que na época, efeito do genocídio, não passavam de 13 indivíduos - foram levados pelas tropas e obrigados a servir de batedores para os batalhões, ainda, carregavam corpos e equipamentos para o exército.
Read 10 tweets
[Índios na ditadura - a thread]

O golpe militar completa hoje 55 anos. As páginas dessa história são manchadas de sangue indígena. Nesse período, mais de 8,3 mil índios, de pelo menos 10 etnias, foram mortos pelo governo ou vítimas da sua omissão. #DitaduraNãoSeComemora!
A Comissão Nacional da Verdade, que investigou os crimes da Ditadura Militar, estima que 8.350 indígenas foram mortos pelo Estado ou por sua omissão. Mas esse número pode ser ainda maior.

📸 Guarda Rural Indígena: treinados para realizar repressão nas aldeias. | Funai
A ditadura não escolheu etnia na hora de executar. Foram pelo menos 1.180 Tapayuna, 118 Parakanã, 72 Araweté, mais de 14 Arara, 176 Panará, 2.650 Waimi Atroari, 3.500 Cinta Larga, 192 Xetá, mais de 354 Yanomami, 85 Xavante de Marãiwatsédé.
Read 18 tweets
#DitaduraNuncaMais Aproveitar aqui o debate do @manucaferreira, que lembrou que Jango nunca foi comunista, mas Trabalhista, pra explicar uma das reformas de base que constava em suas espectativas que trouxe a "polarização" até chegar o golpe: #ReformaAgrária.
Nas décadas de 40 e 50 os conflitos territoriais no campo não apenas se intensificaram, mas também passaram a assumir uma feição nova. Assim este setor foi apresentado como "problema social" pelo governo que pretendia planejar políticas conciliatórias.
Em uma ponta da hierarquia social, esse padrão (concentração fundiária) acarretava riqueza, poder e privilégio. Na outra, produzia pobreza, analfabetismo, fome, doença, subordinação, isolamento.
Read 39 tweets
Pedro Hilário dos Santos, sergipano, foi membro da Força Expedicionária Brasileira que lutou contra o fascismo na Itália. Depois, tornou-se ferroviário. Em fevereiro de 1976, foi preso na Operação Cajueiro, provavelmente a ofensiva mais brutal da ditadura militar em Aracaju.
Dois anos depois da operação, Pedro faleceu. Recentemente, um dos sobreviventes da Operação relatou que Pedro se negou a fugir quando viu o cerco da polícia se fechando na sede da Leste (companhia ferroviária) porque isso daria tempo para que outros companheiros escapassem.
Em 2014, enquanto eu panfletava no terminal de ônibus do Distrito Industrial de Aracaju e conversava com as pessoas sobre os 50 anos do golpe de 64, uma senhora me contou que o rosto estampado no panfleto que eu entreguei a ela era de seu pai.
Read 5 tweets
Há 55 anos as tropas do general Mourão saíam de Juiz de Fora rumo ao Rio de Janeiro. Objetivo: golpe de Estado. Destituir o presidente da República, João Goulart, e implantar novo governo. #1964NuncaMais #DitaduraNaoSeComemora #DitaduraNuncaMais
O golpe foi articulado pelas Forças Armadas com apoio de setores da soc.civil e de atores políticos como os governadores Ademar de Barros (SP), Carlos Lacerda (RJ) e Magalhães Pinto (MG). Acreditava-se que, após a tomada do poder, novas eleições ocorreriam em 1965. #1964NuncaMais
As alas que apoiaram o golpe foram logo traídas. Após assumir o poder, a cúpula militar não realizou as prometidas eleições de 1965 e tratou de cassar o mandato político de vários apoiadores do golpe, como Carlos Lacerda #1964NuncaMais #DitaduraNaoSeComemora #DitaduraNuncaMais
Read 23 tweets
Para que as dores, mortes, perdas, desaparecimentos, traumas, medos, enfim, os anos de tortura institucionalizada pela Ditadura Civil-Militar (1964-1985) nunca sejam esquecidos!

Leia alguns trechos dessa obra de investigação histórica. (+)
"O que se pretende é um trabalho de impacto, no sentido de revelar à consciência nacional, com as luzes da denúncia, uma realidade obscura ainda mantida em segredo nos porões da repressão política hipertrofiada após 1964". (Pág. 26) +
"Que ninguém participe desse debate nacional sem tomar conhecimento sobre o conteúdo deste livro, para que se possa exigir medidas no sentido de não se repetirem esses anos de perseguição e ódio". (Pág. 26) +
Read 27 tweets
Quero muito falar de uma figura muito importante da nossa História do Brasil, a única pessoa a sair viva da Casa da Morte em Petrópolis e a última presa política a ser libertada pela Lei da Anistia em 1979. O nome dela é Inês Etienne Romeu: Rosto de Inês Etienne Romeu no dia do seu julgamento.
Inês nasceu em 1942 em Pouso Alegre - MG. Ainda jovem se mudou pra BH onde estudou História e trabalhou como bancária, época em que já atuava no sindicato e no movimentos estudantil. Logo estava no quadro de comando da Vanguarda Popular Revolucionária, o VPR.
Foi presa em SP em maio de 1971 sob a acusação de ter participado do sequestro do Embaixador Suíço Giovanni Bucher, que foi comandado pelo Lamarca e resultou na libertação de 70 prisioneiros políticos.
Read 18 tweets
Prepara o estômago e pega o lenço:
nessa thread/ sequência vou postar vídeos com depoimentos de pessoas que foram barbaramente torturadas durante a ditadura que se instaurou no Brasil com o golpe militar de 1964, indo até 1985. Segue o fio:

#censuranuncamais #DitaduraNuncaMais
Em 2011 a tv brasileira exibiu a novela "Amor & Revolução" que se passava nos anos de chumbo. No final de alguns capítulos exibiam
esses chocantes depoimentos reais de torturados contando as atrocidades vividas ao serem sequestrados ou presos pelos militares:
1. Ilda Martins, dona de casa, presa com o marido e filhos em 1969. Torturada fisica e psicologicamente. Teve o marido morto e o corpo dele desparecido. #ditaduranuncamais #CensuraNuncaMais
Read 19 tweets
Bolsonaro disse que a ditadura teve "uns probleminhas", mas não foi ruim

A criança na foto é o pequeno Carlos Azevedo

Ele tinha 1 ano e 8 meses quando foi preso por agentes da ditadura

Levou um soco e foi torturado com choques elétricos por mais de 15 horas na frente dos pais
Este é Ernesto Nascimento, fichado pelo regime aos 2 anos

O bebê viu os pais sendo torturados

Depois de meses preso, foi exilado com os 3 irmãos, todos crianças

Só reviram os pais muitos anos depois, em 1979

Para Bolsonaro, a história de Ernesto é apenas "um probleminha"
Esta é Ana Lídia

Aos 7 anos, foi sequestrada, torturada, estuprada, morta e enterrada nua

O processo foi abafado pela ditadura, arquivado quando a suspeita recaiu sobre pessoas influentes do regime

Ninguém foi punido

Para Bolsonaro, história de Ana é um "probleminha"
Read 6 tweets
Quero falar nessa thread sobre o jornalista potiguar e militante político, Rubens Lemos, que atuou no jornalismo do RN e do PR, principalmente, organizou-se na luta armada principalmente no PCBR e depois ajudou a fundar e organizar o PT. #DesarquivandoBR #DitaduraNuncaMais
Rubens Manoel Lemos nasceu no Sítio Pixoré, atualmente município de Santana do Matos (RN), em 7 de junho de 1941.
Aos 16 anos foi para o Paraná. Um irmão, Osório, havia ido para Querência do Norte, cidade da qual chegou a ser prefeito. Foi o primeiro político da família Lemos.
Começou a trabalhar em rádio e jornal em 1958, ingressando na Radio Londrina e na Folha de Londrina. Com 19 anos já era editor do segundo caderno do jornal, função que ocupou por 6 anos.
Começou fazendo esportes e terminou passando por todas as editorias e escalões do jornalismo
Read 43 tweets
Nos 21 anos da ditadura iniciada em 1964, uma série de siglas passou a fazer parte do cotidiano do brasileiro: FGTS, Mobral, SNI, INPS e muitas outras.
Para implantar o FGTS foi acabar com dois artigos da CLT: indenização por ano trabalhado e estabilidade #DitaduraNuncaMais
MOBRAL
Em vez de ser um método crítico, propagava ideais de obediência ao Estado e aos empregadores. Quando se tornou muito caro para o governo e foi extinto, mas foi lembrado durante muito tempo pela expressão “Ô, seu mobral! = "Ô ignorante" #DitaduraNuncaMais
SNI
Entre 1964 e 1970, a ditadura militar criou um sistema reticulado que abrigou o vasto dispositivo de coleta e análise de informações e de execução da repressão no Brasil. O centro desse sistema era o Serviço Nacional de Informações (SNI)
#DitaduraNuncaMais
Read 4 tweets
.@jairbolsonaro tem admiração por ditaduras desde que sejam de direita. Ustra, Stroessner e Pinochet são seus ídolos. Agora, quer que os militares comemorem o golpe de 1964. Relembre no fio o período que censurou, prendeu, torturou, matou e destruiu famílias. #DitaduraNuncaMais
Meu tio foi assassinado pelo ídolo de Bolsonaro interc.pt/2S1xw9f por Tatiana Merlino #DitaduraNuncaMais
"Na ditadura tudo era melhor". Entenda a maior fake news da história do Brasil. interc.pt/2I92Sq2 por @jornalismowando #DitaduraNuncaMais
Read 10 tweets
Só em Perus numa vala CLANDESTINA + de 1.000 corpos, genocídio indígena estima-se 8.000 entre adultos e crianças, estupros e mortes.

E o presifake manda comemorar.

Sua alma é PODRE, é um MONSTRO.
CRIANÇAS foram mortas.

Siga o fio.

#LulaLivreTercaSDV

noticias.uol.com.br/cotidiano/ulti…
Read 17 tweets
Bolsonaro estimula celebração do golpe militar de 1964; generais pedem prudência politica.estadao.com.br/noticias/geral…
“O presidente Jair Bolsonaro orientou os quartéis a comemorarem a ‘data histórica’ do aniversário do dia 31 de março de 1964, quando um golpe militar derrubou o governo João Goulart e iniciou um regime ditatorial que durou 21 anos”
“Generais da reserva que integram o primeiro escalão do Executivo, porém, pedem cautela no tom para evitar ruídos desnecessários diante do clima político acirrado e dos riscos de polêmicas em meio aos debates da reforma da Previdência”
Read 35 tweets
ATENÇÃO

O STF irá decidir nesta quarta-feira os contornos do aviso prévio para os protestos sociais.
Issso significa a possibilidade do sufocamento de qualquer manifestação pública sem autorização.

+
Lembrando:
- A PGR emitiu um parecer horrível defendendo que o aviso prévio deve ser expresso e formal, ou seja, não vale pela internet. E que seja informado às autoridades: data, hora, local da concentração, trajeto, objetivo do protesto, nome e endereço das lideranças
+
- O relator, Min Marco Aurelio, deu um voto ruim e extremamente superficial. Imediatamente se iniciou um debate caloroso com a manifestação do Barroso, Carmen Lúcia e Lewandowiski apontando a importância do caso.
+
Read 8 tweets
@fernandokrammer 1)todos #países tem #StrangersThings
2)nem todos podem escolher
3)qdo fazemos nossa parte c/ #Empatia ,colaboramos p/ o lugar ficar melhor
@fernandokrammer depois do silêncio adotado ao observar que NÃO foi nada inteligente apoiar o #Golpe feito na democracia #brasileira, é incoerente se acovardar diante as manobras direcionadas nos diferentes sistemas
#justiçabrasileiraPartidária 😱
#EleicaoSemLulaEFraude
👇
goo.gl/3B1oSH
Read 375 tweets

Related hashtags

Did Thread Reader help you today?

Support us! We are indie developers!


This site is made by just three indie developers on a laptop doing marketing, support and development! Read more about the story.

Become a Premium Member ($3.00/month or $30.00/year) and get exclusive features!

Become Premium

Too expensive? Make a small donation by buying us coffee ($5) or help with server cost ($10)

Donate via Paypal Become our Patreon

Thank you for your support!