Você sabe o que é CRIME? Não? Segue a thread então e entenda um pouco melhor o que é um crime, para o Direito.

(1/18) Existem muitas condutas que as pessoas praticam que são, para um determinado grupo, horríveis, imorais e antiéticas como, por exemplo, colocar passas no arroz.
(2/18) Mas o fato de muitas pessoas odiarem ou reprovarem determinada atitude faz dela um crime? NÃO!

A primeira coisa que precisamos saber quando falamos de CRIME é algo que, não por acaso, consta na nossa Constituição Federal: "não existe crime sem lei anterior que o defina".
(3/18) O código penal também repete este mantra e é dele que tiramos o primeiro elemento que nos ajuda a definir um crime: a "tipificação". What??

É comum os juristas chamarem "crime" de "tipo penal". Mas tipo aqui é de "tipografia", como daquelas letras, saca? Fontes true type?
(4/18) "Tipo penal" nada mais é do que um crime que foi tipografado, isto é, escrito, ou melhor, teve uma conduta descrita e escrita na forma de uma lei.

Por exemplo, o artigo 121 do código penal: "Matar alguém: Pena - reclusão, de seis a vinte anos".
(5/15) Por isso dizemos que o crime é uma "conduta típica", isto é, é uma ação que foi descrita como crime numa lei. Colocar passas no arroz não é uma conduta típica. Ainda.

Então crime é só isso? Não! Além de ser uma conduta típica, é preciso que ela seja também "ANTIJURÍDICA".
(6/18) Calma que é simples. É que você pode sim, praticar uma conduta descrita como crime, mas não cometer um crime. Como assim? Simples: existem determinadas formas de se cometer uma conduta típica que são autorizadas pela lei.

Dá pra explicar melhor? Dá sim. E com exemplo:
(7/18) Via de regra, eu não posso matar ninguém. Mas se uma pessoa me atacar e eu, com o objetivo de me defender, ou de defender um filho, acabar matando aquela pessoa, eu não terei cometido um crime, ainda que tenha feito exatamente o que diz o art.121 do código penal.
(8/18) Porque eu agi em legítima defesa. E cometer uma conduta tipificada, mas em legítima defesa, ou em estado de necessidade, por exemplo, são situações que o próprio direito vê como "jurídicas", isto é, aceitáveis. Outro exemplo é o "furto famélico", ou traduzindo, furtar...
(9/18)...para matar a fome. Furtar é uma conduta tipificada, mas em razão do estado de necessidade, a conduta é considerada "jurídica". Além destas, existe também o os que agem em estrito cumprimento de dever legal ou no exercício regular de direito. Vou dar um exemplo de cada:
(10/18) Um policial que adquire material de pornografia infantil, à paisana e em serviço, combatendo o crime. Ele cometeu uma conduta tipificada, mas agiu no cumprimento do dever legal. Ou um lutador de MMA que causa lesões em outro lutador, conduta também tipificada, mas que...
(11/18)...agiu no exercício regular de um direito.

Então crime é isso? Uma conduta típica e antijurídica? Para uma minoria de juristas, sim. Só isso. Chamamos de "teoria BIpartida de crime". Bi, porque tem 2 elementos.

Mas a maioria dos juristas discorda. São os TRIpartites.
(12/18) Para eles, um crime tem 3 elementos. Ele é uma conduta típica, antijurídica e, também, culpável. Opa, como assim? Ora, segundo esses, não adianta termos os 2 elementos se não temos como culpar uma pessoa por eles terem acontecido.

Parece difícil, mas não é. Saca só:
(13/18) Pessoas que são menores de 18 anos não respondem criminalmente. Então, se uma criança de 7 anos mata outra, por mais que a conduta seja típica e seja antijurídica, não há responsabilização penal. Não há "culpabilidade".
(14/18) Também se incluem nessa hipótese aqueles crimes praticados por pessoas "mentalmente incapazes" de compreender o caráter ilícito de suas condutas.

Então, basicamente, crime é isso para a maioria dos juristas: uma conduta típica, antijurídica e culpável.

Só? Não...😭
(15/18) Novamente, é preciso dizer que há uma minoria que ainda entende que é preciso ter um 4º elemento para se existir um crime. Além de ser típica, isto é, estar descrita em lei, antijurídica, ou seja, não ter amparo legal e também ser culpável, ela também precisa ser PUNÍVEL.
(16/18) Essa minoria defende que é preciso também que a conduta seja punível. É que, algumas vezes, é impossível punir o autor de um crime. Como, por exemplo, quando esse crime é antigo e prescreveu. Ou quando o autor do crime já está morto. Nestes casos, essa minoria diz que...
(17/18)...como não é possível punir o autor, não há como se falar em crime. Mas, como dissemos, é uma visão minoritária dentro do Direito.

Isto que lhes apresentei é o que chamamos de conceito analítico de crime, o mais elementar no dia a dia dos advogados, juízes e promotores.
(18/18) Há outras formas de se conceituar, materialmente, formalmente ou mesmo sociologicamente o crime. Ficam para outra oportunidade.

Desculpem a longa thread. Espero que vocês tenham entendido o que é, para o Direito, um crime. E se curtirem, vale o RT, não vale?

• • •

Missing some Tweet in this thread? You can try to force a refresh
 

Keep Current with Tassio Denker 🇧🇷🇩🇪🇺🇳

Tassio Denker 🇧🇷🇩🇪🇺🇳 Profile picture

Stay in touch and get notified when new unrolls are available from this author!

Read all threads

This Thread may be Removed Anytime!

PDF

Twitter may remove this content at anytime! Save it as PDF for later use!

Try unrolling a thread yourself!

how to unroll video
  1. Follow @ThreadReaderApp to mention us!

  2. From a Twitter thread mention us with a keyword "unroll"
@threadreaderapp unroll

Practice here first or read more on our help page!

More from @TassioDenker

26 Mar
Qual é a do Bolsonaro? Segue o fio:

(1/8) Acho que, depois do espanto e da raiva com o pronunciamento do nosso Presidente, com a cabeça mais fria, consegui visualizar qual é a sua intenção com suas medidas. E ela tem a ver, pasmem, com o Lula. Mas explicarei bem o porquê.
(2/8) Em 2008 uma crise econômica assolou o planeta e o então presidente Lula chegou à dizer que aquilo que era um "tsunami" nas outras economias, seria uma "marolinha" para o Brasil. Não pretendo apontar erros e acertos, nem questionar se foi sorte, eficiência ou ambos na crise.
(3/8) O fato é que o Brasil saiu fortalecido, chegando a se tornar a 6ª maior economia do mundo em 2011. Pois bem; o que temos novamente à nossa frente é uma nova crise econômica mundial, com um agravante muito mais sério: o COVID-19. Neste cenário, é preciso ter em mente que...
Read 8 tweets
31 Jul 19
(1/10) Suas definições de "bandidolatria" foram atualizadas!

Segue a thread:

Uma das críticas que mais vemos Bolsonaro e seus asseclas (ou acepipes?) utilizar é a tal da "bandidolatria", principalmente em dois assuntos: temas que envolvem os direitos humanos e também o Lula.
(2/10) Com relação ao que afirmam que defender os direitos humanos é bandidolatria, isso é apenas reflexo do profundo desconhecimento do assunto. Já fiz vídeo sobre o tema e também há inúmeros artigos e vídeos que desmistificam muito bem essa inverdade. Vamos ao segundo uso.
(3/10) Para Caio Copolla e outros difamadores do PT, as pessoas que idolatram ou defendem o Lula seriam “bandidólatras”, pois estariam idolatrando bandidos. Essa é uma retórica bonitinha, estilo "lacração", mas vazia e contraditória, além de refletir, talvez, a própria imagem.
Read 10 tweets

Did Thread Reader help you today?

Support us! We are indie developers!


This site is made by just two indie developers on a laptop doing marketing, support and development! Read more about the story.

Become a Premium Member ($3/month or $30/year) and get exclusive features!

Become Premium

Too expensive? Make a small donation by buying us coffee ($5) or help with server cost ($10)

Donate via Paypal Become our Patreon

Thank you for your support!

Follow Us on Twitter!