Bruna Frascolla Profile picture
Ensaísta, doutora em filosofia
Ohlitsac Annas Èrdna Profile picture 1 added to My Authors
17 Oct
BIN LADEN, CHARLIE
O 11 de setembro foi AQUELA COISA, e todo mundo sabe dizer o que estava fazendo na hora. Eu estava fazendo meu dever de matemática quando a minha avó, que via o Balanço Geral na TV da cozinha, veio correndo pro gabinete e ligou grande. Eu tinha 11 anos, não
sabia o que era o World Trade Center, nem entendia por que minha avó e o Seu Valéra (que usualmente distribui cartões vermelhos para as autoridades municipais) estavam tão atordoados com aquilo.

Já o massacre da Charlie Hebdo foi diferente. Todo mundo lembra que aconteceu,
mas em 2015 terrorismo islamista já era rotina, e não teve uma ação espetacular como a orquestrada por Bin Laden, passível de ser transmitida ao vivo.

Minha recordação mais significativa foi a de abrir o FB e ver, no grupo de filosofia da minha faculdade, um aluno mais novo que
Read 5 tweets
17 Oct
EUA:
Xeretei a vida da juíza católica e de Ted Cruz. Interessante como os progressistas não têm peias em fazer um escarcéu com a religião católica, muito parecido com o escarcéu feito aqui contra os evangélicos. Ao menos aqui a esquerda inventou que os pobres são todos...
macumbeiros e os evangélicos são todos homens brancos cis hétero. Nos EUA, é inegável que o catolicismo é religião de pobre: religião da imigração hispânica, dos irlandeses famélicos, dos italianos mafiosos, da atrasada Nova Orléans. E é de lá que a juíza vem. Segundo a Wiki,
descende de franceses e casou com um homem de berço católico.

Uma coisa pouco notada e apreciada é a de no Brasil as pessoas de religiões diferentes se casarem sem problemas, com naturalidade. A fé é pessoal e intransferível.
Read 4 tweets
24 Sep
Quem tem a moeda mais antiga da América do Sul?

As moedas de 4 países do continente se chamam peso. Por ordem de idade, tem o colombiano (1810), o chileno (1975), o argentino (1992) e o uruguaio (1993). Os três caçulas do clube do peso têm idade próxima à do real (1994).
Países com moedas de nomes sem xarás: Venezuela (bolívar, 1879 OU 2019), Paraguai (guarani, 1943), Bolívia (boliviano, 1987) e Peru (sol, 1991).
A Venezuela é uma pegadinha, porque ficou mudando nome da moeda até voltar para o original em 2019. Era bolívar, virou bolívar forte, depois bolívar soberano (que coexistiram) e virou bolívar de novo quando o forte sumiu.
Read 8 tweets
22 Sep
Curiosidade:

A prática de queimar o terreno antes de plantar, chamada coivara, é pré-cabralina. Os índios faziam assim, e os portugueses, adaptados à cultura local, imitaram. (Não por preguiça, nem nada: é que na maior parte do nosso território o arado europeu não funciona.)
No jornal local, aparece o extremo-oeste baiano com um incêndio avassalador. A causa teria sido a arcaica coivara. O incêndio alcançou um estoque e causou perda de toneladas de algodão. O jornal mostra ainda que os agricultores avançados do local mantêm uma brigada de bombeiros
particular, e combatem com êxito incêndios antes que os bombeiros oficiais apareçam. A iniciativa foi tomada depois de se perder uma plantação de milho.

É provável que o Cerrado baiano se pareça com o do Centro-Oeste nisso:
Read 4 tweets
21 Sep
VOTO COM OS PÉS
Uma coisa que sempre me deixou meio espantada é a diminuta população do Uruguai. Tem 3,5 milhões de habitantes, contra 11 do Rio Grande do Sul. A densidade populacional do Uruguai é de 20 habitantes por km², e a do Rio Grande do Sul é o dobro.
Se o Uruguai é um país de primeiro mundo, e os vizinhos não são, a lógica mandaria que brasileiros, paraguaios e argentinos se estapeassem para entrar no Uruguai, que teria fronteiras bem guarnecidas e gastaria uma grana tentando impedir o tráfico humano.
Pois bem: um amigo paulista atravessou a fronteira pela primeira vez, e conta que chamou a atenção dele que nas cidades fronteiriças o comércio está do lado brasileiro, por causa de imposto. As casas são simplórias, sem forro. Foi-lhe dito que pra contratar um pedreiro a pessoa
Read 10 tweets
19 Sep
Estou acompanhando um pouco a eleição dos EUA via Jaime Bayly. (TV brasileira não dá, só repete a CNN.)

Que coisa insuportável, esse Biden. Fez um discurso acusando Trump de ter chamado, pessoalmente, o filho dele morto com câncer, de looser, por causa de uma declaração aí que
Trump teria dado sobre guerra do Iraque. O filho morto de Biden foi pro Iraque, logo...

E em seguida passa a dizer que não julga as pessoas pela sua conta bancária, nem pelo tamanho de suas casas. Isso só pode ser traduzido como: "VEJAM COMO SOU BOM!!" Que tipo de pessoa sai
dando declarações dessas?

E ainda teve, claro, o abestalhado parecendo um cágado no palanque, mexendo a cabeça ao som de Despacito porque queria voto portorriquenho. Se um candidato intelectualoide de área rica viesse à Bahia fazer aquela cara de cágado ao som de É o Tchan,
Read 5 tweets
18 Sep
Voltei a ver Jaime Bayly. O divertido agora é acompanhar as campanhas de Trump e Biden voltadas para os falantes de espanhol. Trumpistas alegam que Biden é mancomunado com os chineses, que a China vai acabar com os empregos nos EUA e que o país será uma colônia comunista.
Os de Biden alegam que Trump acabou com a economia porque não acredita na ciência.

Biden ficou no palanque balançando a cabeça ao som de Despacito para agradar os portorriquenhos. Trump tuitou isso, mas com a música errada -- o original é bem pior. Segundo Bayly,
ele está correndo atrás dos portorriquenhos porque os votos cubanos e venezuelanos são republicanos.

Mas enfim, o ponto é que, se eu assisto à Globo, só vejo a versão da CNN, segundo a qual os brancos votam nos republicanos, e os democratas são os reis das minorias.
Read 4 tweets
10 Sep
O Brasil não é um gigante agrícola há muito tempo. O Semiárido é o Semiárido, a Amazônia é a Amazônia, e no Cerrado nada crescia. Sobrava praticamente o Sul. O Vale do Paraíba eu acho que é mais bovino, desde a queda do café.

Com a tecnologia da Embrapa e o enriquecimento do...
Brasil, o Centro-Oeste e a região do MATOPIBA se tornaram celeiros. Que eu saiba, quase tudo descendente de gaúcho e japonês.

Agora estamos nessa estranha situação de alta de alimentos em meio à fartura da produção nacional. Com a alta do dólar, compensa mais exportar do que...
vender pra dentro. Já tivemos esse precedente? Creio que o Brasil tenha protegido os camponeses nacionais da concorrência estrangeira, mas nunca tenha pensado em se precaver contra exportação massiva em alta do dólar.
Read 4 tweets
8 Sep
Suponha que você é um roceiro num rincão do Nordeste: você produz muita mandioca, e usa pra trocar. Por essas bandas, o dinheiro é escasso. Um belo dia, eis que o governo federal cria o Bolsa Família, que deposita dinheiro numa conta que você criou no banco. (Você nunca tinha nem
pensado em fazer uma conta no banco.) Agora, você vai ter dinheiro e terá menos trabalho para escoar a mandioca. Sua riqueza, que é a mandioca, poderá ser representada por papel moeda. Isso não quer dizer, no frigir dos ovos, que você tenha ficado mais rico; quer dizer que sua
riqueza ganhou liquidez. Enriquecer assim é mais fácil, naturalmente. (Imagine o trabalho de converter mandioca em moto sem dinheiro?)

O Bolsa Família é retratado pelos liberais como um programa focalizado de combate à miséria. Eu suspeito que isso se aplique mais à cidade (onde
Read 4 tweets
7 Sep
Sobre a Independência do Brasil, uma coisa curiosa é que na Bahia começou antes e terminou depois.

Em 25/6/1822, a cidade de Cachoeira decretou sua Independência em relação a Portugal. Em 7/9/1822, D. Pedro decretou a Independência do Brasil. E em 2/7/1823, após uma encarniçada
guerra e um blefe, sai a Independência da Bahia.

Por que uma cidade decreta independência? O curioso disso tudo, que eu só li en passant na História da Bahia de L. H. Dias Tavares, é que a representação da Província da Bahia em Lisboa se decidira por ficar com o trono português.
Mas as autoridades de Salvador estavam contrárias. Em junho, iam votar a independência em Salvador, quando tropas portuguesas impediram o funcionamento da Câmara. Daí pipocou a guerra pelo Recôncavo, e a primeira a decretar a independência foi Cachoeira.

Vê-se que a historinha
Read 5 tweets
20 Jul
Ainda sobre "Marxismo e descendência", de Paim:

Li a parte 1, que é um tesouro para entender o marxismo da URSS. Na parte 2, é o marxismo francês. Muito erudito e detalhado. Em filosofia, estudamos o pensamento dos autores sem implicar adesão às suas ideias.
Paim faz isto com os autores caros à intelectualidade brasileira, e é muito útil para gente com uma bagagem como a minha: que estava no meio, mas não se interessava, e não entendia direito esse negócio porque nada fazia lá muito sentido. É útil porque ele se coloca de fora e...
estuda de fora. Em filosofia, quase não se estuda marxismo, mas os professores que ensinaram à minha geração são todos formados nesse caldo cultural do marxismo francês, via USP.

Para o público geral, destaco duas informações pertinentes, que não costumam ser expostas por aí:
Read 7 tweets
19 Jul
Caminhei da Graça até o Sto Antônio.

As pessoas estão fazendo no meio da rua o que elas faziam dentro de estabelecimentos: simples assim.

Junto da baiana de acarajé de perto do Colón estavam velhos bebendo; um trio de amigos tomava cerveja em banquinhos na altura da Piedade...
velhos jogavam dominó no Pelourinho sob uma soleira, um carro com caixas de som no porta-malas tocava música de corno no Paschoal, e o povo se sentava nos lugares habituais do bar do Paschoal.

Tem menos gente na rua do que o habitual, claro. É que nem todo o comércio reabriu.
Teve uma vez em que uma greve de ônibus esvaziou o tráfego e a Av. Sete virou campo de futebol. É por aí. Não fosse a fila pra entrar em loja, a rua estaria parecendo cidade de interior.
Read 4 tweets
17 Jul
"Sociologia" foi um termo cunhado por Comte para ser o nome da ciência da sociedade que embasaria uma ditadura tecnocrática. A despeito de os puristas não gostarem (por ser metade latino, metade grego), o termo pegou e a disciplina colou.
Depois de Comte, com Marx, a Economia virou a ciência mágica que explica tudo. Porém, como existia economia desde pelo menos Adam Smith e dos fisiocratas, a disciplina floresceu em países onde os departamentos não foram infestados de marxistas.
Agora estou cá com meus botões me perguntando que diabos a sociologia fez, ou em que avançou, como ciência. O único autor que recebe o nome de sociólogo de que eu gosto é Weber, mas esse nome foi atribuído depois.
Read 4 tweets
16 Jul
A educação brasileira tem muita, muita coisa amarrada em lei. Vou dar só um exemplo das federais, que eu conheço mais: se uma federal quisesse se especializar em formação de docentes, não poderia, por causa da Constituição Federal, segundo a qual toda universidade federal é...
uma tríade de ensino, pesquisa e extensão. (Sabe quando dizem que o setor público tem mais pesquisa? É verdade, porque pesquisa é obrigação até para a federal nanica recém-criada onde Judas perdeu as botas. Agora, vá ver a qualidade...)
Vélez mencionou que pretendia mudar as coisas por vias legais. Bolsonaro foi eleito arrastando consigo um monte congressista. Mudar leis e quebrar o parasitismo da CUT era algo tangível. Bolsonaro é mais um a frustrar profundamente o eleitorado. E tem quem ache que este é
Read 4 tweets
16 Jul
Ricardo Vélez Rodríguez deu uma entrevista importante a Aurélio Schommer para entender o que se passa no MEC. Resumo com minhas palavras: ele tentou priorizar a escola, em vez da universidade ele tentou priorizar a escola,

em vez da universidade (com a volta da Escola Normal para formar professores e do ensino profissionalizante no Médio), para isso chamou quem ele achasse competente, independente da orientação ideológica prévia, e os olavetes não gostaram,
porque Olavo queria fazer do MEC um puxadinho de guerra ideológica. Vélez caiu por fogo amigo e por causa de sindicalistas.

Quem quiser, tem todo o direito de não acreditar na veracidade do relato, já que ele não saiu grampeando todo mundo, feito Greenwald.
Read 4 tweets
13 Jul
Estava dando uma olhada na pesquisa da Folha sobre as religiões dos brasileiros. De fato, os evangélicos caminham para virar maioria -- mas algo que pouco se aponta é o Nordeste ser, de longe, a região mais católica do Brasil.
Será que essa diferença regional se acentua?

g1.globo.com/politica/notic…
Das regiões, aquela que deu o menor somatório de evangélico + católico foi a Sudeste. Quanto maior o somatório, maior predominância cristã. O somatório do Nordeste só perde para o Norte! Este fica sendo, portanto, a região mais cristã do Brasil.
Read 4 tweets
12 Jul
Pergunta aos universitários: vocês conhecem a origem da Pombagira? É tupi? É nagô? É brasileira recente?
Neste livrão de Carybé, com iconografia de orixás, não consta nenhuma Pombagira. Eu cresci vendo representações artísticas do panteão do candomblé, e nada de Pombagira. Na internet, porém, encontro referências a ela como orixá e etimologias africanas. Image
Minha suspeita: é coisa do Sudeste ou de caboclo, e o racialismo tenta pintar de preto. Parece que em algum momento alguém inventou que deveria existir um Exu fêmea, que é a Pombagira.
Read 5 tweets
11 Jul
Le Goff tem uma teoria meio estrambólica sobre a periodização da Idade Média. Ele risca o Renascimento como um período histórico distinto (até aí, tudo bem), e coloca a Longa Idade Média durando até meados do séc. XVIII. O diferencial mais importante é a América ter se tornado...
um lugar autônomo e relevante para a Europa, e isso depois de a Europa ter aos poucos enriquecido, se alimentado, se laicizado, e inventado o Estado moderno.

Há quem diga, pejorativamente, que estamos numa nova Idade Média por causa dessas ideologias fanáticas. Le Goff é um...
tremendo advogado do período, mas, usando essa marcação dele, podemos dizer que há um movimento pró Idade Média:

1. Resolveram que os Descobrimentos não deveriam ter acontecido;
2. Que a agricultura tecnológica é ruim, pão branco é ruim; bom é comer "orgânico" e "integral".
Read 4 tweets
1 Jul
Eis uma greve que não me afeta em nadinha de nada: a de entregadores de aplicativo. A julgar pela repercussão, parece haver gente que come essas coisas de restaurante todo dia. Então tenho agora 2 curiosidades acerca de aplicativo:
1. O quanto Uber e 99 não impactarão no endividamento da classe média. Um monte de gente apertada de grana fala em dezenas de reais de uma maneira banal. Se cada deslocamento sair por mais de 10 reais, quanto sobra no final do mês?
2. Qual o impacto das comidas de aplicativo sobre a dieta? Fast food é o problema óbvio, mas há as dietas malucas. Uma amiga minha conta que ela só conhece "veganos gordos que comem comida de aplicativo". Eu conheci vegetariano que vivia à base de pizza de queijo Sadia porque...
Read 4 tweets
29 Jun
Em "Marxismo e descendência", de Antonio Paim, leio como Stálin era um leninista em sua política agrária, e como a Rússia passou de exportadora a importadora de alimentos já com Lênin. O homem considerava os camponeses como que especuladores, porque acumulavam grãos excedentes,
e promoveu uma verdadeira guerra civil para combatê-los. Ao cabo, foi derrotado por eles: a NEP foi o cumprimento da demanda dos camponeses. Os bolcheviques, urbanos, mandavam o Exército Vermelho saquear excedentes; os camponeses resistiam, e queriam vendê-los. A isto, a NEP
atendeu. Depois, Stálin retomaria o plano leninista de acabar com os camponeses para enfim se alcançar a sociedade onde só existe a classe dos proletários.

Noves fora a questão teórica, fiquei surpresa ao saber que a Rússia meio que estava para a Europa Ocidental como a
Read 8 tweets
24 Jun
Corre, gente, vem ver o CEDAEísmo cultural:
Dado o pressuposto de que nesta Suécia tropical todos os brasileiros têm em seus lares água encanada limpa e esgoto, escolham a alternativa que melhor interpreta os temores relativos à Coca Cola:
1. O Brasil fará um contrato bilionário para trocar a água por Coca Cola. Todes ficarãe doentes ou doentas, mais gordes que Tarcísio Freitas. A Big Pharma empurrará remédios caros, em vez de fosfoetanolamina, limão e alho.
Read 4 tweets