Marina Silva Profile picture
Professora de história, senadora pelo Acre (1995-2011), ex-ministra do Meio Ambiente. Telegram: https://t.co/S8RICGtHBm
Felipe Calegario Profile picture Helton Profile picture Marcelo Tabajara Profile picture 3 added to My Authors
24 May
Segue o fio: enquanto o Brasil está alcançando a marca de 450 mil mortos, Bolsonaro promove uma aglomeração com tantas transgressões. Isto significa um ataque intencional contra a saúde pública.
O segundo ataque é contra o Tesouro Nacional, usando recursos do contribuinte para fazer campanha eleitoral antecipada. A mobilização de segurança pública e de equipamentos como helicóptero tem custos e o objetivo da presença do presidente era reforçar a própria popularidade.
Muitos internautas perceberam e registraram — publicando fotos históricas — a semelhança com o mesmo tipo de exibição pública feita pelo presidente Mussolini, na Itália, no auge do fascismo.
Read 4 tweets
18 May
O desmatamento em abril de 2021 foi 45% maior que o desmatamento em abril de 2020. O ritmo de crescimento da devastação é assustador e materializa a estratégia do governo federal de “usar” a pandemia para “deixar passar a boiada”,
os criminosos do desmatamento ilegal entenderam o recado e aproveitaram a porteira aberta, tanto que só em abril foram desmatados da Amazônia cerca de 778 km².
Para além dos prejuízos causados aos biomas e ecossistemas, a falta de governança e do correto enfrentamento dos problemas sociais têm sido a marca da atual política ambiental; como se não bastasse, tudo isso ocorre também, na contramão dos elementos do sistema ESG que tem sido a
Read 4 tweets
3 May
Quem acha que ser chamada de tartaruga é ofensivo, claramente não conhece as lições que elas podem nos ensinar.🐢Acompanhe o fio.
Os quelônios podem ser tartarugas marinhas, tartarugas de água-doce, cágados e jabutis. As tartarugas são animais incríveis e, por isso, resolvi compartilhar com vocês 6 características das tartarugas marinhas, que me ensinam coisas importantes.💚
1) São símbolo de resistência
Os dinossauros passaram, mas as tartarugas ficaram. Elas resistiram às mudanças que levaram os dinossauros à extinção.
Read 8 tweets
13 Apr
Precisamos falar sobre "Marina sumida". (+)
O processo de invisibilização na esfera pública é uma das estratégias mais utilizadas para abafar a voz da mulher na política. Esse processo vai minando nossa relevância, ocultando-nos da história e da memória e, sem memória, não há identidade. Mesmo que diariamente eu fale (+)
com a imprensa, publique artigos, participe de lives e entrevistas, repetidamente, alguém passa por aqui para me chamar de “sumida” ou “a que aparece apenas de 4 em 4 anos”. Se isso fosse realmente verdade, como essas pessoas poderiam fazer esses comentários todos os dias? (+)
Read 8 tweets
8 Jan
O Instituto Butantan divulga em vídeo o momento em que os dirigentes do Instituto recebem a notícia sobre o teste de eficácia da vacina Coronavac. Na sala, em volta da mesa, vários senhores de cabelos grisalhos ou totalmente brancos aguardam a chegada da informação.
As boas novas chegam e são realmente boas. Os presentes vibram e celebram a ciência brasileira, o trabalho de sua instituição, o desempenho conseguido. Nessas cenas há toda uma simbologia que vale a pena perceber.
Nenhum deles está disperso com seus celulares, há blocos de papel para anotação sobre a mesa. Todos usam máscara. O presidente enfatiza a história que antecede o momento. A porta se abre e um casal jovem entra na sala, a única mulher a estar presente.
Read 9 tweets
7 Jan
Todos sabemos como as posições políticas extremadas usam as instituições democráticas para atacar, desacreditar e enfraquecer a própria democracia. O cenário nos EUA estava mais que evidente, diante dos sucessivos arroubos autoritários de Trump.
A invasão dos manifestantes pró-Trump ao Capitólio impedindo a certificação da vitória de Biden é um golpe gravíssimo na democracia norte-americana. A tradição democrática dos EUA foi fortemente atacada e violada. Esse é o perigo da ascensão de um autocrata ao poder.
Os EUA, que sempre se viram como os guardiões da democracia, inclusive fora do seu território nacional, agora se vêem diante de uma usurpação doméstica dos valores que pregaram mundo afora.
Read 5 tweets
27 Oct 20
O que se espera de um réu confesso após sua condenação? Ao menos publicamente, alguma demonstração de arrependimento pelos atos que causaram danos a outros. A consciência da ultrapassagem da barreira do que é aceitável para a convivência social revela-se.
Quando isso não ocorre, estamos diante de alguém que a ciência comportamental já diagnosticou como uma pessoa que dificilmente é capaz de se ajustar ao princípio basal da sociabilidade, o respeito ao outro.
Ontem, no programa #RodaViva da TV Cultura, a audiência teve a possibilidade de se colocar em contato com um destruidor de reputações.
Read 9 tweets
24 Oct 20
Tá lá um corpo no chão

Ela embriagada de álcool, eles de machismo.

Ela sozinha, impotente;
eles em bando, cúmplices e conscientes.

Ela pede socorro:
me tira daqui, me tira daqui;
eles, em perverso gozo, zombam e riem.
Depois do crime cometido,
do mundo ouvem-se os gritos:
uns corretamente indignados
pelas cicatrizes dela
para vida inteira;
outros, indiferentes à sua dor,
lamentam o prejuízo,
à fama e à carreira
de quem o crime praticou.
Que o clamor das pedras se some
aos que por justiça clamam.
Que os montes rujam e se abalem
em repreenda aos que lamentam
só o fim de uma carreira.

Diante do corpo aviltado
no chão da indiferença,
do domínio bestial,
Que impõe impedimento
Às defesa do mal,
Read 5 tweets
23 Oct 20
Não há dúvidas. A devastação faz parte de um projeto do governo, que se orgulha da condição de pária internacional, pelo desmonte que fez na gestão ambiental do país. Como disse o ministro das Relações Exteriores, “que sejamos pária”.
Um dos grandes responsáveis por colocar o país à margem no cenário internacional é o ministro responsável pelo desmonte ambiental, Ricardo Salles.
É pelo desserviço prestado ao Brasil e ao mundo que Salles foi premiado pelo presidente com a honraria do Ministério de Relações Exteriores, ironicamente dado por “serviços meritórios”.

revistagloborural.globo.com/Noticias/Polit…
Read 4 tweets
2 Oct 20
O grupo de estudo para fundir o IBAMA e o ICMBio, criado por uma portaria do MMA publicada no diário oficial, mostra que o governo não pretende apenas passar a boiada, mas embretar todo o sistema nacional de meio ambiente.
Fundir os dois órgãos novamente é um gigantesco e inaceitável retrocesso. Embora ambas as instituições sejam órgãos executores da política nacional de meio ambiente, elas desempenham funções distintas e de elevada especialização.
O IBAMA é responsável pelo controle e a fiscalização sobre o uso dos recursos naturais (água, flora, fauna, solo, etc) e pela concessão de licenças ambientais para empreendimentos de sua competência.
Read 12 tweets
30 Sep 20
Nossa soberania sobre a Amazônia é inquestionável, mas isso não quer dizer falta de compromisso e responsabilidade com uma região tão importante e estratégica para o equilíbrio do planeta e o futuro da humanidade.
É triste, muito triste, vermos o nosso país ser citado no debate das eleições dos EUA como uma ameaça à segurança climática do mundo, quando até bem pouco tempo éramos tidos como parte da solução.
No debate entre Trump e Biden, o assunto Amazônia veio à tona. Joe Biden citou o Brasil: “A Floresta Amazônica está sendo destruída, arrancada”.
Read 4 tweets
28 Sep 20
O governo segue passando a boiada para seguir seu projeto de destruição da política ambiental. Esvaziou a representatividade do CONAMA, desidratou sua competência técnica e independente, para retroagir na legislação, como pudemos ver nos inúmeros retrocessos votados hoje.
É um enorme retrocesso revogar a proteção de áreas definidas como de preservação permanente, por sua importância para preservar a biodiversidade, notadamente a flora, a fauna, os recursos hídricos, e o equilíbrio ecológico, evitando a poluição das águas, solo e ar.
Outro absurdo, é a extinção das regras que protegem restingas e manguezais. O Brasil ocupa posição de destaque global pela presença da maior extensão de manguezal em linha contínua do planeta. Mas isso pouco importa pra um governo declaradamente antiambientalista.
Read 5 tweets
28 Sep 20
O governo manipula dados e cria falsas narrativas para agradar seus apoiadores fanáticos, mas não percebe que isso só piora a credibilidade do país no exterior. O uso abusivo da mentira pelo governo queima ainda mais a imagem do Brasil. www1.folha.uol.com.br/ambiente/2020/…
O trabalho que fizemos no Ministério do Meio Ambiente é reconhecido internacionalmente por uma questão de resultados. Houve uma queda do desmatamento da Amazônia de 83%, enquanto o agronegócio cresceu 61%, durante 10 anos.
O governo usurpa o trabalho que fizemos de acordo com a sua conveniência populista. Para fora, usa as conquistas de nossa gestão para convencer autoridades e investidores estrangeiros. Para dentro, cria gráficos mentirosos atacando o que fizemos.
Read 4 tweets
25 Sep 20
O ministro Ricardo Salles, que em tese seria do meio ambiente, diz que o fogo no Pantanal aconteceu por conta da “perseguição a pecuaristas”. Uma inversão cognitiva para justificar seu compromisso com a destruição ambiental.
A PF anunciou que já tem provas suficientes de queimadas intencionais para indiciar fazendeiros de MS pelo fogo no Pantanal.
O vice-presidente relativiza os incêndios no Pantanal: “recordes acontecem, né?”. Diz que “ocorre um certo exagero na divulgação desses dados”, mas não dá uma palavra sobre o governo ter gastado apenas 36% das verbas para combater e fiscalizar queimadas nesse ano.
Read 4 tweets
22 Sep 20
O presidente abre a Assembleia Geral da ONU dizendo que o “mundo precisa da verdade para superar seus desafios”, mas segue proferindo suas inverdades sem nenhum tipo de vergonha e constrangimento.
É indigno e aviltante, da dignidade institucional da instituição presidência da República do Brasil, ver o presidente Jair Bolsonaro acusando de forma leviana e mentirosa os indígenas e demais povos tradicionais pelos crimes de desmatamentos e queimadas da Amazônia.
O presidente Bolsonaro tentou vender uma imagem no exterior para se eximir de qualquer responsabilidade por sua trágica atuação no enfrentamento da pandemia. Atacou novamente governadores e a imprensa.
Read 5 tweets
21 Sep 20
O ministro Marcos Pontes termina sua apresentação dizendo que o Acordo de Paris está sendo cumprido pelo Brasil. Nem aqui e nem na lua, ministro.
O representante do ministério da Justiça confirmou que o governo contratou a empresa PLANET, dos EUA, para fazer o monitoramento que o INPE já faz de graça e com transparência. Esse é o retrato explícito do patriotismo subserviente do governo.
General Heleno afirma que incêndios na Amazônia tem origem em causas naturais. Cita que existem polêmicas no debate sobre mudanças climáticas. O governo não tem nenhuma vergonha em explicitar sua postura anticientífica. É um show de horrores.
Read 7 tweets
18 Sep 20
O presidente usurpa esforços anteriores ao seu governo para dizer que o Brasil é o país que mais preserva o meio ambiente. Em tom de desdém diz “o Brasil está de parabéns”, enquanto no seu governo as queimadas consomem de maneira assustadora a Amazônia e o Pantanal.
No lugar de reaver a credibilidade do Brasil, o presidente aumenta o vexame internacional, quando se trata de meio ambiente.
São inúmeros os retrocessos: o corte no orçamento, a perseguição de servidores, o desmonte dos órgãos de fiscalização, o incentivo ao garimpo ilegal nas terras indígenas, o ataque aos dados do INPE, a militarização da Amazônia, a ameaça do fim do acordo da UE-Mercosul...
Read 4 tweets
17 Sep 20
O Pantanal arde em chamas, mas a postura inescrupulosa do presidente é dizer que são críticas desproporcionais. Criminosamente desproporcional é a falta de medidas do governo para enfrentar o tamanho do problema da destruição dos biomas brasileiras.
É uma atuação pífia, de puro faz de conta, onde o que vem sendo feito é muito mais em função do trabalho árduo dos servidores públicos abnegados e do esforço de voluntários comprometidos com a causa ambiental.
De janeiro à primeira quinzena de setembro deste ano, o Pantanal teve mais de 2,9 milhões de hectares atingidos pelo fogo. O número representa cerca de 19% do bioma no Brasil, conforme o Instituto SOS Pantanal.
Read 4 tweets
15 Sep 20
A notícia de que o início das queimadas no Pantanal, que já consumiram cerca de 16% do bioma, possa ter sido promovido por 5 fazendeiros é de uma barbaridade e crueldade extremas. #BrasilEmChamas
O Parque Estadual Encontro das Águas já teve mais de 64% de sua área atingida pelo fogo. É uma área que abriga uma das maiores concentrações de onças-pintadas do mundo.
Inúmeras pessoas estão se revezando e tomando a frente para controlar o fogo, ajudar no resgate dos animais silvestres e criar ilhas de alimentos para sua sobrevivência. São verdadeiros heróis e heroínas do meio ambiente.
Read 7 tweets
14 Sep 20
O que está acontecendo no Pantanal é dilacerante. Voluntários e profissionais tentam salvar a vida dos animais feridos em um cenário carbonizado pelo fogo. Espalham alimentos e água em locais estratégicos, porque tudo foi consumido pelas chamas.
Os rastros de destruição são irreversíveis e incomensuráveis. O mais triste é saber que boa parte desses incêndios foram provocados pela ganância desmedida de pessoas inescrupulosas. Uma lástima.
A sensação é a que chegamos ao fundo do fosso civilizatório, com a banalização da indiferença com o que fortalece a constância da morte em prejuízo das condições que dão suporte à vida.
Read 4 tweets
11 Sep 20
O que dizer do mico do governo de que não há queimadas na Amazônia? Os números do INPE mostram um aumento assombroso nos primeiros 10 dias de setembro. São 13.810 focos de queimadas, o equivalente a 70% do que ocorreu em setembro de 2019.
Tudo indica que este ano teremos uma cenário ainda mais devastador do que o ano passado.
No Pantanal, o cenário é trágico e desolador. As cenas dos animais queimando e da floresta em chamas são terríveis e espantosas. O número de focos de incêndio registrado entre janeiro e agosto deste ano equivale a tudo o que queimou no bioma nos seis anos anteriores.
Read 6 tweets