Portal Drauzio Profile picture
Twitter oficial do Portal Drauzio. Um olhar transversal sobre a saúde: de resfriado a questões sociais.
Lenia - leniasiren.ttv Profile picture Délcio Neitzke Profile picture Edson Sommer Profile picture 3 added to My Authors
11 Jun
Ei, você tá pensando em passar o dia dos namorados com o @ que mora em uma casa diferente da sua? Fique esperto e não deixe as medidas de proteção de lado. A principal recomendação é: FIQUE EM CASA! Mas se for sair, tome cuidado. Segue o fio:
Não faça visitas ou saia de casa se teve qualquer sintoma ou sinal da #covid19 nas últimas 2 semanas. Dê preferência para a casa mais vazia, para evitar o contato desnecessário com outras pessoas. Não é hora de barzinhos e outros lugares com aglomeração e mal ventilados.
Quando sair de casa, dê preferência para a máscara PFF2 e leve um potinho de álcool gel para limpar as mãos ao longo do caminho. Higienize bem as mãos assim que chegar.
Read 4 tweets
10 Jun
A essa altura do campeonato, depois de tantos testes e estudos, o uso da máscara segue sendo uma das únicas medidas cientificamente comprovadas de controle da #covid19. Não faz sentido suspendermos o uso obrigatório quando apenas 11% da população está imunizada.
Pouquíssimos países optaram por dispensar o uso obrigatório em determinados locais, depois que a maior parte da população tomou a vacina contra a covid-19. Mesmo assim, nem todos os especialistas concordam com essa orientação.
Já é comprovado que é possível haver casos de reinfecção da doença, ainda mais diante das novas variantes. Imunidade coletiva ou de rebanho acontece apenas quando a maioria da população está vacinada, e ainda não chegamos lá.
Read 4 tweets
28 May
Menstruar é algo tão natural, que sequer nos damos conta de que nem todas as mulheres e homens trans têm condições de manter a higiene durante esse período. Isso é o que chamamos de pobreza menstrual. Bora bater um papo sobre isso?
Uma pesquisa realizada em 2018 mostrou que 22% das meninas de 12 a 14 anos não têm acesso a produtos higiênicos adequados para a menstruação no Brasil. Entre adolescentes de 15 a 17 anos, o número sobe para 26%. E quais motivos estão por trás disso?
1) Custo dos produtos.

O preço de 1 absorvente externo (unidade) varia de R$ 0,30 a R$ 0,70. Em cada ciclo, usa-se uma média de 20 a 25 absorventes, o que gera um gasto de quase 20 reais por mês. Quanto mais mulheres menstruam na casa, mais esse gasto fixo aumenta.
Read 10 tweets
3 May
A máscara PFF2 é o novo modelo recomendado pelos especialistas desde o agravamento da pandemia de #covid_19 no Brasil. Mas se você ainda tem dúvidas sobre onde encontrá-la, quanto custa e como saber se tal marca é de qualidade ou não, segue o fio:
A máscara PFF2, que lembra o formato de uma concha e tem elásticos que ficam presos atrás da cabeça, é a versão brasileira da N95. Ela tem melhor vedação e filtragem de 94% para partículas muito pequenas, o que aumenta a proteção individual em ambientes fechados.
As PFF2 são vendidas principalmente em lojas de departamento, material de construção e produtos hospitalares. Porém, com a popularização do modelo, já é possível encontrá-las em algumas farmácias e sites a preços acessíveis.
Read 9 tweets
26 Apr
O ciclo de evolução da #covid_19 pode ser definido por períodos de contágio, incubação do vírus, recuperação ou piora da doença. Ao se deparar com o vírus desconhecido, nosso sistema imunológico começa a reagir. Em alguns dias, o organismo pode ganhar essa luta ou não.
Na fase do contágio, o vírus começa a se multiplicar pelo organismo de forma desenfreada e a pessoa pode ou não apresentar os sintomas. Nesse tempo, é mais provável que ocorra a transmissão do vírus, isso porque quem tem o vírus ainda não sabe e pode cometer descuidos.
A fase de incubação do vírus ocorre de 5 a 7 dias após a contaminação. Nessa fase, o organismo está se preparando para atacar o vírus e pode apresentar os primeiros sintomas da doença. Eles geralmente são tosse, dor de cabeça, febre, dor no corpo, perda de olfato ou paladar, etc.
Read 8 tweets
12 Apr
O estresse excessivo pode desencadear o surgimento de diversas doenças, inclusive dermatológicas, como o vitiligo. Por ser uma doença de características visíveis, também causa impactos na qualidade de vida e autoestima dos pacientes. Segue o fio🧶:
O vitiligo é uma doença genética, autoimune, não contagiosa. Sua principal característica é o surgimento de manchas brancas na pele. Isso ocorre porque as células responsáveis pela produção de melanina são atacadas pelo sistema de defesa do paciente.
A doença atinge cerca de 1% da população mundial e é classificada em 3 formas: focal, segmentar e generalizado. Na focal, as manchas aparecem em mais de um local do corpo; na segmentar, elas surgem somente de um lado; e no generalizado, atingem quase o corpo todo.
Read 8 tweets
7 Apr
Com a vacinação em andamento, surgem algumas dúvidas sobre o que acontece no intervalo entre as doses da vacina. Essa janela de imunização existe para estimular a produção de anticorpos contra o vírus. Logo, são necessárias duas doses da vacina para uma proteção adequada. ⬇️
Nesse período entre a primeira e segunda dose, ainda é possível contrair o vírus e desenvolver os sintomas da doença, de forma leve, moderada ou grave. A resposta imunológica esperada acontece cerca de 15 dias após a aplicação da segunda dose.
💉 Coronavac/Butantan: Requer 2 doses. O intervalo entre a primeira e a segunda aplicação deve ser de 14 a 28 dias.
Read 7 tweets
6 Apr
Pouco mais de 2 meses do início da vacinação, apenas 9,29% da população tomou a primeira dose da imunização contra a covid-19. Os números são ainda menores se contarmos quem tomou a segunda dose: apenas 2,7% dos brasileiros estão, de fato, imunizados.
Quando falamos de doenças infectocontagiosas, é preciso que de 50% a 90% da população esteja imunizada para alcançarmos a desejada imunidade coletiva. No que diz respeito ao vírus da covid-19, a estimativa provavelmente não ficará muito longe disso.
Ou seja, ainda há muito pela frente. Até que haja a disponibilização de novas doses, precisamos nos manter seguros. E, neste momento, a melhor forma ainda é recorrer ao distanciamento social, ao uso da máscara quando for sair e à higienização das mãos.
Read 4 tweets
30 Mar
Lidar com a pandemia tem sido cada vez mais difícil. Passamos a ter diversas preocupações ao mesmo tempo, seja com a vida financeira, social ou pessoal e até com fatores externos, os quais não controlamos. E é normal que isso gere gatilhos para uma crise de ansiedade. ⬇️
Os sintomas mais comuns de uma crise são: falta de ar, suor nas mãos, dor no peito, tremores, tensão muscular e tontura.
Os gatilhos que causam as crises de ansiedade são diferentes para cada pessoa, e elas podem acontecer a qualquer momento, durando, em média, 40 minutos. Quando você estiver tendo uma crise, é importante parar e realizar algumas técnicas:
Read 8 tweets
18 Mar
Com o agravamento da pandemia no Brasil, médicos e especialistas em saúde têm recomendado o uso de máscaras que se ajustem melhor ao rosto e tenham melhor capacidade de filtração, como a PFF2. Entenda a diferença entre cada tipo de máscara e quais usar:
😷 MÁSCARA DE PANO
Vantagens: Essa máscara protege quem está ao redor. Como podem ser reutilizadas, têm baixo custo.
Desvantagens: Só é eficiente quando todas as pessoas no ambiente a utilizam. Se uma pessoa infectada estiver sem, colocará os demais em risco.
Indicação: Deve ser usada em locais onde há baixo risco de contágio. Ex: se você for caminhar ao ar livre, pode usá-la.
Cuidados: A máscara de pano deve ser de boa qualidade e estar ajustada ao rosto. Lave-a com água e sabão a cada uso, e a descarte em caso de furos ou rasgos.
Read 10 tweets
17 Mar
Olhe para o seu braço direito. Essa marca característica é resultado da aplicação da BCG, primeira vacina que tomamos ao nascer. Ela foi a protagonista do primeiro calendário de vacinação organizado pelo Ministério da Saúde, em 1977, graças ao Programa Nacional de Imunizações. ⬇️
Antes da criação do PNI, a imunização era responsabilidade dos estados. Com isso, apenas os estados mais desenvolvidos conseguiam comprar vacinas e planejar calendários de vacinação, deixando boa parte dos brasileiros vulnerável a doenças para as quais já existiam vacinas.
O PNI mudou essa realidade, mas infelizmente, ele não vem sendo respeitado hoje. Estamos vivendo uma questão inédita: a politização na área de vacinação.
Read 4 tweets
23 Feb
Nunca uma vacina foi tão aguardada e desenvolvida com tamanha rapidez e segurança quanto as vacinas contra a #covid_19. Por enquanto, duas estão sendo administradas no Brasil: a 'CoronaVac' e a 'Oxford'. Venha entender um pouco mais sobre as suas diferenças:
A CoronaVac, produzida pela Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, utiliza o vírus inativado, mesmo processo usado nas vacinas contra gripe e hepatite A. Isso consiste em usar o vírus já "morto" para que ele não se replique e cause a doença quando entra no organismo.
Mesmo assim, sua presença estimula reações do sistema de defesa, que passa a produzir anticorpos. A Anvisa estabelece que o esquema de imunizações é de duas doses, com intervalo entre duas e quatro semanas.
Read 6 tweets
12 Feb
Tá todo mundo cansado.

Temos vivido uma crise social, política, econômica e, desde 2020, de saúde pública. O aumento de sentimentos como angústia e desesperança entre a população brasileira confirma que é impossível falar sobre saúde mental sem falar de política. ⬇️
Atritos virtuais, brigas na família, violência verbal e física. Embora o clima conflituoso não tenha começado no país em 2018, foi durante a corrida eleitoral daquele ano que as tensões políticas atingiram seu ápice. Não havia certeza sobre o presente nem sobre o futuro.
O ser humano está habituado com a estabilidade, com a segurança. Assim como vivenciar um evento traumático, viver momentos de instabilidade ensina o cérebro a criar mecanismos de defesa para lidar com a realidade.
Read 8 tweets
10 Feb
O movimento antivacina tem crescido cada vez mais. Mas será que há motivos para sentir saudades do mundo antes da existência das vacinas? Os números e a ciência respondem que não. E a gente te explica neste fio:
Nas primeiras décadas dos anos 1900, a expectativa de vida raramente ultrapassava os 40 anos. Isso porque de cada 1 mil nascidos no Brasil, cerca de 150 não chegavam a completar um ano de idade. Sarampo, coqueluche, varíola e poliomielite amedrontavam famílias por todo o país.
A partir dos anos 1960, com a expansão da estrutura de saneamento básico e o avanço científico que permitiu o desenvolvimento de tratamentos e de vacinas para doenças evitáveis, a expectativa saltou para os 76 anos. A poliomielite foi erradicada do Brasil. A varíola, do mundo.
Read 5 tweets
27 Jan
A candidíase atinge até 75% das pessoas com vagina em alguma fase da vida e, embora haja essa confusão, ela não é sexualmente transmissível, uma vez que é provocada por fungos que habitam a própria flora biológica. Segue o fio 🧶
A infecção pode surgir por diversos motivos: queda da imunidade, uso de antibióticos, alteração no pH da vagina, anticoncepcionais, imunossupressores e corticoides, gravidez, diabetes, alergias e HPV (papilomavírus).
Os principais sintomas da condição são:

➡️ Coceira na vagina e no canal vaginal;
➡️ Corrimento branco, com aspecto de leite coalho;
➡️ Ardor ao urinar;
➡️ Dor durante as relações sexuais.
Read 6 tweets
26 Jan
A dor de cabeça é um problema comum na vida de muita gente, e ela não é uma dor qualquer. Existem mais de 200 tipos catalogados, sendo enxaqueca e cefaleia tensional (causada por tensão decorrente de estresse, má postura, falta de sono e outros fatores) as mais conhecidas.
As técnicas para controlar as crises vão além de medicamentos, já que quem tem dor de cabeça com frequência costuma usá-los sempre. Ao invés de resolver um problema, cria-se outro: o excesso dessa classe de medicamento pode “acostumar” o organismo, que passa a necessitar de mais.
Listamos 5 técnicas recomendadas por neurologistas para o alívio das dores. Mas atenção: o ideal é que o paciente esteja seguindo uma linha de tratamento preventivo.
Read 9 tweets
22 Jan
O número de casos de #covid_19 voltou a crescer. Com a doença cada vez mais próxima, ao descobrir que um conhecido está com a doença surge a dúvida: devo me testar imediatamente? Segue o fio:
A primeira coisa que precisamos saber é que temos dois tipos principais de teste:

1⃣O RT-PCR, em que uma espécie de cotonete bem comprido é inserido no nariz e na garganta, serve para diagnosticar se você está com vírus ativo no momento do teste.
2⃣E o teste sorológico, que indica se você já entrou em contato com o vírus em algum momento, é feito a partir da coleta de sangue. Ele busca anticorpos, que só são produzidos após 14 dias de infecção.
Read 8 tweets
20 Jan
Se você não sabe a diferença entre asma e bronquite, saiba que não é o único. E não é para menos, já que elas têm sintomas bem semelhantes: tosse, chiado no peito, produção exagerada de muco e fechamento dos brônquios para impedir a passagem de agentes irritantes. ⬇️
Os agentes irritantes são os “gatilhos” das crises, e devem ser evitados sempre que possível. Entre eles, destacam-se ácaro, poeira doméstica, mofo, pelo de animais, perfumes, inseticidas, tintas, fumaça de cigarro (principalmente nos casos de bronquite crônica).
A principal forma de diferenciar a asma e a bronquite é observar a forma e a frequência com que os sintomas se manifestam. Quem tem asma costuma ter crises pontuais: o desconforto atinge um pico e vai diminuindo até desaparecer (exceto nos quadros mais graves da doença).
Read 6 tweets
11 Jan
Toda dor funciona como um alarme de incêndio – ela indica que determinada região do organismo não está funcionando bem. Na fibromialgia, esse alarme dispara sem necessidade e ativa todo o sistema nervoso, fazendo a pessoa sentir ainda mais dor. Segue o fio ⬇️
Por não ter causa inflamatória, mecânica ou orgânica, a doença não é diagnosticada por exames. Por isso, é fundamental que o médico avalie a fundo o histórico de vida do paciente e descarte outras doenças semelhantes.
As crises de dor causadas pela fibromialgia podem ser insuportáveis para quem tem a doença, dificultando até mesmo atividades simples do dia a dia. E, embora nem sempre seja possível prever crises, é possível minimizar o impacto delas:
Read 6 tweets
1 Oct 20
Uma em cada cinco pessoas já teve algum tipo de pensamento suicida. Por que, então, ainda tratamos a questão como um elefante branco na sala?

Falar sobre suicídio também é uma ferramenta de prevenção. Todos nós estamos sujeitos à crises emocionais. ⬇️
Se você já vivenciou/está vivenciando pensamentos suicidas, é importante lembrar que você não está sozinho. Em momentos de crise, é comum que foquemos na dor e não consigamos olhar para a situação de uma maneira ampla. Lembre-se: as crises são temporárias, na maioria das vezes.
O pensamento suicida também é um sinalizador de que algo não vai bem. Ele não significa necessariamente um desejo de morrer, mas de acabar com uma dor que, às vezes, não sabemos como expressar. Aí entra a importância de buscar alguém de confiança para desabafar a respeito.
Read 7 tweets
1 Oct 20
Algumas condições de saúde, como a de quem vive com HIV podem aumentar em até 100 vezes o risco de contrair infecções graves como a pneumonia, uma das principais causas de hospitalização e morte no Brasil.
A boa notícia é que existe um serviço oferecido pelo SUS para atender pessoas que têm necessidades específicas de vacinação, os CRIE - Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais.
Você sabe quais são as principais doenças que podem enfraquecer o sistema imunológico e deixar alguém mais vulnerável a infecções? Dráuzio explica no segundo episódio da série CRIE+ Proteção, que sai hoje no nosso YouTube (bit.ly/2HP5DAL). Acompanhe nossas redes!
Read 4 tweets