Vitor Mori Profile picture
@DamonRunyon Fellow | PostDoc @UVMLarnerMed | Intratumoral chemotherapy | Member @obscovid19br | Physicist | 🇧🇷
Luiz Profile picture Cris R Profile picture Rodolpho Gurgel Profile picture Délcio Neitzke Profile picture Rachel Profile picture 6 added to My Authors
6 Mar
Voltar um pouco para a pauta ventilação por aqui.

Antes de mais nada, priorizem espaços ao ar livre. Quanto mais aberto o espaço menor os riscos. Nesses ambientes as gotículas menores e aerosois se diluem rapidamente no ar e o risco é bem menor
É muito comum perguntarem "Tal ambiente é seguro?". E a resposta é muito difícil de dizer... Depende de muita coisa e na maioria das vezes não tem como avaliar. O ideal é que você faça o máximo possível pra reduzir os riscos
Quanto maior a troca de ar com o meio externo melhor. Então, abra o máximo o maior número possível de portas e janelas no ambiente. Utilize ventiladores pra troca de ar com o meio externo. Ventilador com o ambiente todo fechado acaba só espalhando ainda mais as partículas
Read 8 tweets
2 Mar
Convencer nossos pais, avós, tios, etc a usar a PFF2 nem sempre é fácil. Sempre vejo gente relatando a teimosia deles em mudar da máscara de pano pra PFF2.

Já abordei esse assunto mas retomo. Não tem solução mágica. É muita paciência, acolhimento e empatia
Não adianta forçar e impor de qualquer jeito. Convencer pelo medo também não acho que seja a melhor forma... Ir devagarzinho, tentando contornar cada ponto que incomoda e explicar com clareza e com detalhes o porquê essa máscara é melhor costuma funcionar melhor
Explique porque a vedação é importante, explique que a máscara filtra mais, explique que a transmissão é pelo ar. Isso ajuda demais no convencimento.

Fale que com o tempo acostuma, que não sufoca, que não dá falta de ar. Tem muito da questão psicológica nisso também
Read 6 tweets
28 Feb
Importante a gente adicionar nuances no debate máscaras de pano, cirúrgicas e PFF2. Principalmente porque a questão não é binária, segura x não segura, protege x não protege, útil x inútil
A máscara de pano protege? Em certo grau sim, mas isso depende de diversos fatores, principalmente a capacidade de vedação e a capacidade de filtragem. Mas simplesmente não sabemos o quanto elas protege porque não tem nenhum tipo de regulamentação
Para lugares de maior risco eu realmente acho importante que a gente discuta a utilização de máscaras melhores. Também é fundamental políticas públicas na direção de aumentar a produção e a distribuição das mesmas
Read 10 tweets
27 Feb
Muita repercussão e debate sobre a questão da transmissão por alimentos, embalagens, etc. E a dúvida sobre limpar as compras do mercado.

O factual: o risco de transmissão por superficies é muito baixo mesmo. Não é a principal via de transmissão
Ela acontece de pessoa pra pessoa, especialmente em espaços fechados, mal ventilados com muita gente compartilhando o mesmo ar. Dessa forma, medidas como ventilação de espaços, atividades ao ar livre, distanciamento e uso de máscara de boa qualidade bem ajustadas são fundamentais
Uma das coisas que mais causa angústia na pandemia é a sensação de que não temos controle sobre nada. Limpar as compras é algo visível e palpável e que cria a percepção de que temos controle sobre algo. O problema é quando isso se torna uma neurose e uma preocupação excessiva
Read 10 tweets
27 Feb
Mais um artigo excelente com várias reflexões importantes sobre a comunicação na pandemia e a importância de se explicar as nuances. Transmissão do vírus, comunicação de riscos, redução de danos

theatlantic.com/ideas/archive/…
É muito melhor explicar como a transmissão acontece para que as pessoas possam tomar decisões racionais no dia a dia do que criar um monte de regras que podem ser contraditórias em alguns contextos. Sem entender o porquê das regras é mais difícil convencer as pessoas a segui-las
Importante comunicar a dimensão dos riscos para que as pessoas não gastem tempo e energia de forma desnecessária em algo que funciona muito pouco. O risco pode existir, mas é importante dar a dimensão dele
Read 4 tweets
26 Feb
É muito importante saber os locais e os contextos nos quais a transmissão do vírus está ocorrendo para tomar as melhores medidas de contenção da pandemia. Entre o fim do ano passado e o começo desse ano o Japão estava observando uma subida acentuada dos casos
A principal medida tomada foi a restrição da circulação depois das 8 da noite e o fechamento de bares, restaurantes e karaokes. Parece pouco, mas funcionou. Os casos caíram muito com uma medida simples como essa
O rastreamento de contatos lá mostrou que o principal foco de transmissão eram esses bares karaokes e a transmissão acontecia entre jovens adultos. Pessoas que saíam do trabalho e iam se divertir. Local fechado, onde as pessoas estão sem máscara e cantando
Read 8 tweets
25 Feb
Mais um artigo maravilhoso sobre a importância de eventos de superespalhamento no curso da pandemia. A gente se acostumou em falar do número de reprodução, ou "100 pessoas transmitem para outras 120". Mas as nuances por trás desses números importa muito

nature.com/articles/d4158…
Enquanto a maioria das pessoas infectadas transmite pra pouca gente ou até pra ninguém, uma pequena quantidade de pessoas transmite pra muita gente. Ou seja, essa média esconde uma enorme variabilidade
Em comum, esses eventos de superespalhamento acontecem em locais fechados, mal ventilados e com muita gente. Aspectos comportamentais tabmém tem um peso enorme... O não uso da máscara e estar falando alto/gritando/cantando também são críticos
Read 6 tweets
24 Feb
Evitem atividades físicas em locais fechados

Prefira atividades ao ar livre. De preferência atividades individuais. Prefira locais com pouca gente. Mas mesmo um ambiente aberto com mais gente é mais seguro que uma academia fechada
Ao fazer atividades ao ar livre, evite principalmente interacoes proximas, prolongadas, face a face e sem mascara. Se estiver fazendo atividade fisica em dupla, busque manter algum distanciamento, quando possivel
Entendo que atividades em espaços abertos e sozinho/a podem ser perigosas, dependendo da cidade, do local e do horário. Então, sempre que tiver companhia, mantenha o uso da máscara e mantenha algum distanciamento
Read 4 tweets
23 Feb
Muita gente preocupada com a PFF2 embaçando um pouco o óculos.

Um pouco acontece, é normal. Inclusive, as vezes é o ar que passa pela manta filtrante que acaba embaçando, principalmente se a respiração estiver intensa. Zero problemas nesse caso
Agora elas vão embaçar MUITO menos que máscaras de pano e máscaras cirúrgicas. É notável a diferença.

E sempre reforço que é importante ajustar bem o respirador ao rosto. O ajuste do clipe metálico no nariz é um dos pontos mais críticos e merece muito cuidado
Gente, não é que pode ficar totalmente descuidado de óculos embaçando. Mas muitas vezes é o ar que passa pela manta. As vezes quando a gente abaixa a cabeça o óculos desce um pouco por exemplo

Read 5 tweets
22 Feb
Queria pedir desculpa por não conseguir responder a maioria dos replies, inboxes, dúvidas, etc. Por diversos motivos estou com mais dificuldade de conseguir responder mais gente

Também queria agradecer quem ajuda a responder as dúvidas que aparecem nos replies
O @PFFparaTodos, a @nadjasanches, a @3m_aura e tantos outros que tiram um tempinho do dia pra ajudar a responder as perguntas. Obrigado mesmo

Muitas perguntas envolvem temas que já foram abordados. @fvguima, @qualmascara, @PFFparaTodos e @3m_aura tambem tem muito material
Uma sugestão é procurar na barra do Twitter "from:vitormori" + o tema que você está com dúvida. Ou "from:qualmascara", etc. Fica mais fácil. Temas como KN95, máscara antiviral, etc tem bastante material pronto já
Read 6 tweets
21 Feb
Muitas dúvidas com relação ao teste da vela para máscaras de pano. Alguns esclarecimentos rápidos aqui

O teste da vela é algo super simples e com muitas limitações. Primeiro, ela só faz sentido com as máscaras de pano, que não tem nenhuma regulamentação nem controle
As PFF2 passam por testes super rigorosos em laboratórios de acreditação seguindo normas técnicas bem definidas.

Elas são testadas para garantir um alto nível de proteção para quem está usando a máscara enquanto máscaras de pano e cirúrgicas são só controle da fonte
A máscara de pano não passar no teste da vela é um mal sinal. Mas não necessariamente passar quer dizer que a máscara é boa. Se o ar não conseguir passar pelo tecido e a máscara estiver mal ajustada, o ar sai todo pelas laterais sem ser filtrado
Read 6 tweets
20 Feb
Reforçando a dica dos respiradores elastomericos reutilizáveis.

São super confortáveis, vedam super bem e no longo prazo acaba saindo mais barato. Dura meses e não precisa fazer o esquema de rodizio. Pra quem usa muito é uma opção até melhor do que revezar PFF2 Image
Um detalhe importante é... Cobrir a válvula exalatoria. O ar que sai, passa por essa válvula sem ser filtrado. Duas opções... Fechar a válvula expiratória por dentro e retirar as válvulas inspiratorias ou cobrir a válvula expiratória com uma máscara cirurgica
A @lavisqui e o @PFFparaTodos tem vídeos e dicas de como fazer isso. O mais fácil mesmo é só colocar um pedaço de máscara cirúrgica ou até de PFF2 que seria descartada em cima da válvula pra que o ar seja filtrado. Aí não precisa fazer tantas intervençoes no respirador
Read 4 tweets
18 Feb
Sobre as máscaras PFF2 as vezes vejo pessoas preocupadas que elas filtram "só" 94% das partículas quando elas achavam que a filtração era maior.

Importante dizer que a capacidade de filtração de 94% é com relação a partículas de um tamanho específico (0.3 microns)
Mas porque esse tamanho? Partículas menores e mais leves seguem um movimento em zigue-zague (movimento browniano) e acabam sendo capturadas pelas fibras do filtro mais facilmente.

Partículas maiores seguem trajetórias independentes e invariavelmente também são capturadas
As partículas mais difíceis de serem capturadas estão na região de 0.3 microns, que seguem o fluxo de ar. Então por isso os padrões de filtragem são estabelecidos pra essas partículas. A emissão de partículas potencialmente contaminadas se dá num espectro contínuo
Read 5 tweets
12 Feb
Eu sempre repito e insisto pra vocês que, assim como todas as outras pandemia da história, essa vai acabar e a nossa vida vai voltar ao normal. Não sabemos quando. Mas vai

Em tempos normais, a essa altura do ano, já estaríamos com todas as fantasias e bloquinhos decididos
Inclusive, o que mais vi nas redes sociais hoje foram posts saudosos de carnavais passados, quando a gente podia aglomerar sem risco. Mas infelizmente não são tempos normais

Queria dizer que o Carnaval de 2020 não foi o último da história. Teremos muitos carnavais no futuro
O mundo vai voltar ao normal, a gente vai poder se aglomerar suado no bloquinho, beijar na boca, ficar na fila do banheiro químico e chegar na quarta feira de cinzas sem celular. Mas esse ano vamos dar uma segurada
Read 6 tweets
12 Feb
Só pra deixar bem claro, de forma alguma estou criticando a pesquisa ou os pesquisadores. Muito pelo contrário. Coletar amostras do vírus no ar sem danifica-lo é uma tarefa dificilima e requer muito, mas muito cuidado. Pouquíssimos lugares do mundo conseguiram isso+
E é motivo de enorme orgulho que isso tenha sido feito no Brasil. Isso é mais uma evidênia fortíssima da transmissão pelo ar que se soma a muitas outras e torna cada vez mais difícil fugir desse debate e negar a transmissão pelo ar
Read 5 tweets
11 Feb
Isso aqui é uma das coisas mais interessantes e importantes que poderíamos estar fazendo. O vírus é um inimigo invisível. A medição da concentração de CO2 no ambiente é um proxy da presença do vírus e poderia nos ajudar a avaliar o risco dentro de cada ambiente
Quando respiramos, exalamos CO2. Quanto mais gente respirando em um ambiente mal ventilado mais essa concentração vai aumentando. Ou seja, quanto maior a concentracao de CO2 maior a chance de estarmos respirando o ar que alguém exalou
Em tempos de pandemia, com boa parte da transmissão acontecendo por pré sintomaticos e assintomaticos, quanto mais respiramos o ar que alguem exalou, maior o risco de tambem estarmos inalando aerosóis contaminados com o vírus e nos infectando
Read 5 tweets
11 Feb
Eu tomaria cuidado com esse número de 95%. O estudo avaliou um caso específico, com um conjunto de máscaras num contexto específico. Dada a enorme quantidade de máscaras diferentes, não acho que seja extrapolavel. Dito isso, algumas observações
É difícil cravar um número ou dizer "protege ou não protege". O mais importante é entender o princípio por trás de usar 2 máscaras. Garantir uma boa filtragem com a cirúrgica e um bom ajuste com a de pano por cima. E aí entra o ponto crítico... Ajuste é fundamental
Se você colocar 3 máscaras todas com um vão enorme, não vai adiantar. Vale mais uma bem ajustada e só
Read 7 tweets
24 Jan
Máscaras do tipo PFF2 são as ideias. Mas ainda assim, não deixe de redobrar os cuidados com o uso correto da máscara de pano. É hora de melhorar o uso delas também

1. Garanta que a máscara de pano esteja bem ajustada ao rosto, com o mínimo de vazamentos pelas laterais e por cima
Uma boa dica é usar esparadrapos no entorno pra vedar bem as saídas de ar pela lateral

2. Algumas pequenos detalhes melhorar muito o ajuste. Clipe de metal no nariz e elástico na nuca são duas coisas que ajudam demais

3. Garanta que a máscara tem boa capacidade de filtragem
Sugiro dois testes. O da luz e o da vela.

Para o da luz, observe a máscara contra a luz. Se conseguir observar a luz passando por entre a malha, busque uma máscara melhor

O da vela, tente apagar uma vela/fósforo/isqueiro com a mascara. Se for muito fácil, busque uma melhor
Read 10 tweets
23 Jan
Completamente de acordo. A gente deveria incentivar que pessoas saiam de ambientes fechados, mal ventilados e lotados e realizem atividades ao ar livre onde os riscos são menores

Nessa lógica, fechar parques faz muito pouco sentido. É um local bastante seguro
Eu acho muito importante que se evite um tom moralista e de julgamento na tentativa de convencimento. Isso afasta a pessoa e, pior, faz com que ela continue reproduzindo comportamentos de risco mas de forma escondida, com muito menos controle e segurança
É sempre importante tentar entender até onde o outro está disposto a ceder e tentar puxa-lo pro contexto mais seguro possível. Não vai conseguir convence-lo a ficar em casa? Então vá pra local aberto. Mantenha distanciamento. Use a máscara corretamente
Read 4 tweets
23 Jan
Da pra tirar algumas lições desse turbilhão dos últimos dias sobre a transmissão de novas variantes.

A primeira é que o pânico e o medo nos paralisam e nos impedem de tomar atitudes racionais. A gente fica desesperado achando que tudo mudou e não sabe nem por onde começar a agir
As coisas que sempre funcionaram continuam funcionando e agora, mais do que nunca, é reforçar essas medidas. O que nunca funcionou segue sem funcionar, por mais que insistam que funcione
A segunda coisa é como a forma e o tom que nos comunicamos importa. Houve uma compreensão um pouco confusa sobre o uso de máscaras melhores, especialmente na França. E aí a repercussão acabou indo pra um lado diferente
Read 4 tweets
22 Jan
Repetindo porque esse assunto é importante.

Não há motivo para pânico. A forma que o vírus se transmite não mudou. Tudo que funcionava antes continua funcionando mas é necessário redobrar os cuidados. A transmissao é mais pelo ar que por superficies
Lugares ao ar livre, bem ventilados continuam sendo super seguros. Alias, é infinitamente mais seguro, mais fácil e mais barato dar preferencia para locais assim do que comprar mais máscaras PFF2
Reserve essas máscaras pra locais mal ventilados inevitáveis como transporte público lotado, por exemplo

Agora, mais do que nunca, é reforçar que os protocolos atuais (alcool em gel, termometro, marcação no chão) são muito ineficientes em locais fechados
Read 4 tweets