Vinícius Borges Profile picture
Jul 4, 2020 • 12 tweets • 3 min read • Read on X
Uma pequeno guia muito importante que pode ajudar as quase 900 mil pessoas vivendo com HIV no Brasil!

Puxe o fio 😊 Image
Uma das perguntas que mais recebo é como e quando uma pessoa vivendo #HIV deve contar para seu parceiro ou parceira sobre sua sorologia.

Não há resposta única. As pessoas e, por consequência, os relacionamentos, são diferentes.
O primeiro passo é vc estar bem consigo mesmo: com sua sorologia, sem se sentir sujo ou culpado, ou merecedor de um amor menor. Assim sua autoestima te deixará preparado para lidar com qualquer reação.
A segunda é sondar o nível de informação da pessoa sobre a temática de HIV e #AIDS: que indetectável = intransmissível, que existe prevenção combinada (#PrEP, PEP, preservativo), que HIV é diferente de AIDS, e que o único verdadeiro mal é o preconceito.
Veja como ele se comporta qdo lê matérias, postagens ou ouve histórias sobre o assunto. Pessoas ignorantes ou preconceituosas se mostram logo.
Qual o momento de contar? Bom, também uma pergunta difícil. Vc não precisa contar sobre sua sorologia pra toda pessoa com quem se envolve, principalmente se vai transar com preservativo.
Geralmente oriento a contar quando há um compromisso mesmo (namoro, casamento), pois a pessoa entrará na sua intimidade e será difícil esconder detalhes como a tomada de medicamentos, idas ao médico e etc.
Mas se seu parceiro mantiver relações com outras pessoas (que podem viver com HIV e não tratar) e por acaso também se infecte, há chance de ele se virar contra vc e dizer que houve transmissão intencional ou, no mínimo, negligência.
Sou totalmente contra a criminalização da transmissão do HIV, pq a maior parte das relações são consentidas. Mas pessoas com medo se transformam e podem agir de maneira cruel diante do diagnóstico.
Portanto sinceridade e honestidade devem permear seu relacionamento, como qualquer outro.

Eu acredito sim que quando há afeto genuíno, mesmo com o medo inicial, tudo se resolve com o acesso à informação.
E se por acaso a pessoa lidar de maneira não tão boa, não se afobe! Deixa a fila andar. Não julgue a pessoa. Tem mta gente aberta a um relacionamento #sorodiferente e vc merece algo melhor! Sempre. 🐻💛
PS: meu lugar de fala é de alguém que CONVIVE (não vive) com HIV e de alguém que com experiências assim nos últimos 6 anos da minha vida.

• • •

Missing some Tweet in this thread? You can try to force a refresh
 

Keep Current with Vinícius Borges

Vinícius Borges Profile picture

Stay in touch and get notified when new unrolls are available from this author!

Read all threads

This Thread may be Removed Anytime!

PDF

Twitter may remove this content at anytime! Save it as PDF for later use!

Try unrolling a thread yourself!

how to unroll video
  1. Follow @ThreadReaderApp to mention us!

  2. From a Twitter thread mention us with a keyword "unroll"
@threadreaderapp unroll

Practice here first or read more on our help page!

More from @DoutorMaravilha

Mar 31
🚨 O SUS agora tem remédio pra tratar COVID-19 leve e moderada

Para pessoas com mais de 65 e pessoas com imunidade baixa

2 comprimidos 12/12h por 5 dias

Mas muita gente nem sabe!

O remédio diminui hospitalização e mortalidade em até 86%!

Compartilhe ❤️‍🩹
O medicamento já se encontra disponível em vários municípios.
Informe-se sobre o protocolo do seu município.

Deve ser iniciado no máximo até o 5o dia de sintomas após teste confirmatório de COVID, seja antígeno ou PCR. Não é indicado para pessoas que estão precisando de oxigênio e internação (formas graves).

2 comprimidos de nirmatrelvir + 1 comprimido ritonavir, 12/12h, por 5 dias
Pessoas com alteração moderada da função renal (filtração entre 30 e 60ml/min) devem ingerir 1 comprimido de nirmatrelvir nas tomadas, em vez de 2.

🚨 Quem pode pegar pelo SUS?

- Pessoas com mais de 65 anos

- Pessoas com alteração da imunidade (vivendo com HIV com CD4 < 200, tratamento de câncer, transplantados, em uso de corticoide, defeitos genéticos da imunidade, em uso de imunobiológicos e renais não dialíticos)

🚨 Quem tem indicação de tomar, mas no momento não consegue pelo SUS?

Diabético, hipertenso, obeso, tabagista, portador de DPOC, anemia falciforme e doenças neurológicas.

Precisa de receituário comum em duas vivas.
Não é necessário mais levar resultado de exame ou ficha de notificação.

E você, já fez a sua parte?
Tomou todas as doses das vacinas?

A situação pode ter melhorado, mas COVID não embora tão cedo.
Seja cidadão e previna-se. ❤️‍🩹

Vinicius Borges
Médico infectologista
Cremesp 202.114
RQE 76.676

#doutormaravilha #saudelgbt #covid19 #nirmatrelvir #paxlovid #vᴀᴄiɴacontracovid19💉 #vivaosus #infectologista #infectologia
O verdadeiro tratamento precoce!

Não cloroquina e ivermectina!

❤️‍🩹
Read 4 tweets
Mar 28
Minha opinião sobre o Profissão Repórter sobre HIV e sexo químico.

Acabei de assistir!


Image
Image
Image
Image
Primeiramente quero dizer que fiquei emocionado de ver TANTA gente importante e querida participando.
O Dr. Fábio Mesquita
O Dr. Bernardo Maia
Os ativistas David e Lucas Raniel
As ONGS Multiverso e Barong com Pierre e Fabi
Os funcionários do CRT e Emílio Ribas

Falaram de PrEP, PrEP sob demanda, Indetectável = intransmissível, transmissão vertical, o novo comprimido único, prevenção combinada!
Sério, eu quase chorei nessa parte.

Um programa de TV aberta falando de tudo isso: foi maravilhoso!

Já em relação ao sexo químico reconheço que faltou representatividade de outros públicos além do LGBT.
O sexo químico é conhecido internacionalmente como uma prática entre homens gays cis.
O nome originalmente foi criado pra esse grupo, mas a prática certamente envolve outras populações.

Sei de fontes confiáveis que nossa ONG queria levar o pessoal da reportagem para um baile funk na periferia, onde também há prática de sexo químico, mas houve um impedimento no dia devido ao transporte.
Teria sido fantástico, mas não rolou.

Também faltou mais representatividade feminina, já que mulheres são parcela importante do público vulnerável ao HIV e IST’s.

Isso reforçaria a ideia de que HIV é assunto de todos, apesar de sim: ainda somos populações vulneráveis e nos infectamos proporcionalmente mais (10% população gay e 0,7% população geral), a conhecida epidemia concentrada.
Isso é fato e não devemos relativizar.

Mas pessoal: fazer televisão não é simples. Nem trabalho de uma pessoa só.
Posso garantir que as pessoas que deram entrevistas, profissionais e voluntários, trabalham arduamente nessa causa e fizeram seu melhor!

O copo para mim está metade cheio. Bem cheio, aliás.
Estou nessa causa há 9 anos e sei o quanto é difícil ter espaço pra falar dessas pautas, principalmente em momentos de tanto conservadorismo.

Talvez um programa apenas sobre HIV e outro sobre sexo químico fosse o ideal.
Pra dar mais profundidade para as pautas.

Criticar é fácil e geralmente as piores críticas vêm de quem não faz nada pela causa.
Quem está nas trincheiras sabe o quanto é difícil construir algo.

Perfeito? Não foi.
Nunca será.
Estamos há 40 anos falando disso, se fosse simples já tava resolvido.
Mas trouxe um destaque, um olhar e sim deve ter tocado no coração de muita gente.

O estigma deve ser combatido diariamente, não é um programa de televisão passando meia noite depois do BBB que vai mudar isso.
É responsabilidade coletiva.
Faça sua parte também antes de só apontar falhas dos outros.

A causa do HIV é de todos.
Vencer a Aids é tarefa de todos.
E se não houver união e críticas construtivas, esse caminho se torna muito mais difícil.

É minha opinião.

Parabéns aos repórteres e a todos envolvidos. Sigamos avançando.

Vinícius. ❤️‍🩹

Image
Image
Read 5 tweets
Mar 26
🚨 Sobre o ‘vírus comedor de ânus do Japão’

Mais uma vez a mídia mais desinforma, que informa.
Beira o mau caráter.

Alguns esclarecimentos: Image
- Não é vírus. É uma bactéria nossa velha conhecida: Streptocococcys pyogenes, causa comum de infecções de garganta, de pele e febre reumática.

- Não ‘come’ ânus. Ela pode colonizar (estar presente) em orifícios, como ânus, boca, narinas e genitais.

- Não é transmitida pelo sexo, mas sim por contato por gotículas (tosse), superfícies contaminadas e secreção nasal.

- Essa forma grave é chamada síndrome do choque tóxico, causada por cepas mais virulentas (agressivas) que produzem toxinas e geram
•Febre
•Pressão baixa
•Disfunção de órgãos
•Manchas no corpo + Descamação

Provavelmente são essas cepas produtoras de toxinas que estado circulando no Japão.

- O tratamento é com antibióticos, principalmente da classe das penicilinas.
Ainda não temos vacina.

- Prevenção é higiene pessoal, saneamento básico e etiqueta da tosse.

Em breve o fio completo.

Vinicius Borges
Médico infectologista
Cremesp 202.114
RQE 76.676
Muitas pessoas já são portadoras assintomáticas dessa bactéria, ou seja, têm ela no corpo mas nunca sentiram nada.
Provavelmente cepas menos agressivas.

Não é IST!

Tem nada a ver com beijo grego essa bactéria.
Ela está na pele, nas secreções e nos orifícios citados, então se você tem contato com alguém doente, pode se infectar. Mas nem todo mundo vai adoecer.

No Japão, entretanto, estão observando muita gente adoecendo, por isso a preocupação. Ainda não se sabe porque estão vendo casos tão agressivos.

Mas ainda não foi nada dito sobre transmissão por anilingus (beijo grego). Não tem nada a ver com sexo anal.

Em breve falarei mais.
Só fiz esse post hoje porque muita gente tá apavorada e uma parte da mídia não faz nada direito.
Felizmente temos jornalistas sérios que vão desmistificar isso.

Vinicius Borges
Médico infectologista
Cremesp 202.114
RQE 76.676

#doutormaravilha #wonderdoctor #saudelgbt #infectologia #infectologista #choquetoxico #virusjapao #infectologia #infectologista
Read 7 tweets
Feb 7
O ideal seria todes utilizarem preservativo no sexo oral, que pode sim transmitir HIV, hepatites e IST’s. Mas convenhamos: isso não acontece. Por isso, pensando no mundo real, juntei dicas importantes para diminuir os riscos dessa prática. Fiz com muito carinho. Compartilhe.

Sexo oral é sexo, não é preliminar. Portanto tem sim riscos para HIV e IST’s. O ideal seria todes utilizarmos preservativo. Mas como isso não acontece, seguem dicas pra diminuir os riscos:

1 - Teste-se regularmente para HIV, sífilis e hepatites.
No Brasil as testagens podem ser feitas pelo SUS nas UBS, SAE’e e CTA’s. A frequência vai variar de acordo com a frequência da sua exposição, mas pelo menos 1 a 2x por ano é indicado para pessoas com vida sexualmente ativa.

Se você vive com HIV e está indetectável ha 6 meses não trasmite o vírus por via sexual, mesmo com ejaculação.
2 - Teste-se para gonorreia e clamídia na orofaringe (garganta). O CDC estadunidense já recomenda exames de PCR para gonorreia e clamídia para todos homens que fazem sexo com homens (HSH), a cada 3-6 meses e para mulheres jovens <24 anos após troca de parceiros (??). Como se mulher tivesse que ter um parceiro só.

3 - Tome vacinas contra HPV, Hepatite A, Hepatite B e Meningite C.

O HPV é altamente transmitido por sexo oral e está e relacionado à câncer de garganta.
A Hepatite A é transmitida pelo sexo oral no ânus (beijo grego), com risco de hepatite fulminante (perder o fígado).
A Hepatite B possui transmissão sexual 60 a 100X mais eficiente que o HIV.

E a nossa garganta pode ser reservatório de bactérias causadores de meningite (Neisseria sp.). Estudos ja demonstraram um risco 10x maior de meningite meningocócica em homens gays e o CDC passou a recomendar a vacina ACWY.
4 - Evite que ejaculem na sua boca. O esperma contém grande número de particulares virais de HIV e bactérias, portanto o risco aumenta exponencialmente. Se ejacularem, cuspa ou engula, já que geralmente a maior chance de transmissão é enquanto o líquido está na cavidade oral e após ser ingerido será inativado pelo suco gástrico.

5 - Para sexo com pessoas com vagina evite sexo oral durante período menstrual ou corrimento não fisiológico (fora do habitual).

O sangue menstrual aumenta o risco de transmissão de HIV e hepatites, e o corrimento pode representar infecções por gonorreia, clamídia ou tricomoníase.

6 - Escove os dentes ou passe fio dental apenas 2h antes ou 2h após o sexo oral.

Pesquisadores da Universidade da Geórgia concluíram que o ato de escovar ou passar fio dental abre ferimentos, micro fissuras e ocasiona sangramentos que são portas de entrada para HIV e IST’s. Principalmente se feito de maneira vigorosa. Alimentos duros que podem machucar as gengivas também.
Para manter um bom hálito prefira uma bala refrescante ou um enxaguante bucal sem álcool.
Read 5 tweets
Nov 6, 2023
Questão de saúde pública!

Recebo diariamente dezenas de dúvidas sobre o HPV e portanto compilei as principais informações que você deveria saber.

Fiz com muito carinho.

Compartilhe ❤️‍🩹

Vinicius Borges
Médico infectologista
Cremesp 202.114
RQE 76.676

#doutormaravilha #wonderdoctor #hiv #aids #hpv #vacinahpv #saudelgbt #infectologia #infectologista #prephiv
Image



Image
Image
Image
Image



Image
Image
Image
Image
Read 4 tweets
Jun 17, 2023
Tão dizendo que a nova temporada de #BlackMirror tá incrível né?

Tô aqui criando estabilidade mental pra me desestabilizar tudo depois de cada episódio

🤯
Amei o primeiro episódio

Angustiante mas teve um final massa
O episódio 2 de #BlackMirror traz uma reflexão importante sobre espetacularização da dor e do sofrimento.

Tô engasgado aqui

E acontece DEMAIS
Read 5 tweets

Did Thread Reader help you today?

Support us! We are indie developers!


This site is made by just two indie developers on a laptop doing marketing, support and development! Read more about the story.

Become a Premium Member ($3/month or $30/year) and get exclusive features!

Become Premium

Don't want to be a Premium member but still want to support us?

Make a small donation by buying us coffee ($5) or help with server cost ($10)

Donate via Paypal

Or Donate anonymously using crypto!

Ethereum

0xfe58350B80634f60Fa6Dc149a72b4DFbc17D341E copy

Bitcoin

3ATGMxNzCUFzxpMCHL5sWSt4DVtS8UqXpi copy

Thank you for your support!

Follow Us!

:(