ūüćŅ Sess√£o aberta!
Hoje com depoimento do senhor Marconny Nunes Ribeiro de Faria.
Senador Omar Aziz, presidente da Comissão, aguarda o senador Renan Calheiros, relator, para que possam iniciar a inquirição. Renan ainda está atendendo a imprensa.
Marconny j√° est√° na sala onde ser√° realizada a oitiva, acompanhado de seus advogados.
Omar Aziz faz leitura do HC que o paciente obteve junto ao STF que dá à ele direito de se comunicar com advogado, não ser obrigado a produzir provas contra si e é vedado faltar com a verdade sobre demais questionamentos.
Senador Randolfe Rodrigues fala da decisão do ministro Fux, acreditando ser importante destacar que nenhum direito fundamental é absoluto e pede quem está na presidência solicite em que sentido o depoente quer usar direito ao silêncio.
Omar Aziz diz que essa quest√£o de ordem est√° no que a ministra coloca em sua decis√£o, pergunta se Marconny est√° acompanhado dos advogados e ele confirma. Omar pede que os advogados deixem que Marconny responda quando for questionado.
Marconny est√° sob juramento e sujeito a dizer somente a verdade.
Marconny Nunes Ribeiro de Faria diz que quer fazer uso dos seus minutos e acredita que √© lament√°vel ele estar ali. Diz que √© natural que d√ļvidas surjam, mas que lamenta que por algo pessoal que em nada tem a ver com desvios de recursos da sa√ļde viu seu nome tomar protagonismo.
Marconny diz que teve seu celular apreendido no Par√° por denunciar corrup√ß√£o existente no Instituto Evandro Chagas, que ele foi denunciante e se tornou investigado. Esses fatos fizeram com que as comunica√ß√Ķes privadas dele fossem ilegalmente vazadas para m√≠dia nacional
Marconny questiona retoricamente o que havia em seu celular, diz que as comunica√ß√Ķes eram de car√°ter extremamente privado e que os vazamentos n√£o eram p√ļblicos. Diz que se sente constrangido de ter sua vida pessoal exposta e que informa√ß√Ķes distorcidas foram vazadas.
Marconny volta a dizer que ele foi alvo de investiga√ß√Ķes tendo sido um denunciante. Afirma que n√£o h√° den√ļncias no Minist√©rio P√ļblico contra ele e que os dados foram ilegalmente extra√≠dos do seu celular, promovendo distor√ß√£o de fatos. Causando preju√≠zos a ele e a sua fam√≠lia.
Marconny afirma que é formado em direito e que tem formação em pós-graduação, que seu trabalho se dá por sua formação e por morar em Brasília.
Diz que tem √≥timos amigos, que se fosse lobista seria um p√©ssimo lobista porque jamais foi capaz de transformar rela√ß√Ķes sociais em contratos milion√°rios. Diz que √© do setor privado e jamais assumiu cargos p√ļblicos.
Marconny diz que faz interlocu√ß√Ķes com agentes p√ļblicos, afirma que o patrim√īnio seria 100 ou 200 vezes maior se ele tivesse os lucros que reiteram. Afirma que tem como bens um apartamento financiado e um carros do ano de 2012.
Marconny diz que em nenhum momento quis desrespeitar à Comissão e diz que nunca foi intimado formalmente, que nunca foi foragido, mas que quando descobriu ele teve oportunidade no dia 09 e se deu por citado e está hoje espontaneamente.
Omar Aziz diz que ele foi citado e foi comunicado, que ele pegou atestado médico para dar satisfação a quem? Pois se ele é servidor pegaria para faltar ao emprego, à labuta. Omar quer que ele explique porque Marconny foi atrás de uma testado médico.
Omar diz que se ele n√£o foi comunicado a troco de que foi atr√°s de atestado m√©dico, j√° que ele √© um profissional liberal que n√£o bate ponto. Marconny diz que quer acabar as considera√ß√Ķes iniciais e diz que depois explica tudo o que Omar pedir.
Omar volta perguntar, pois nenhum servidor p√ļblico consegue quinze dias. Omar diz que no estado dele nem um professor com estresse alt√≠ssimo consegue, professores assimilam problemas de dezenas de pessoas em sala de aula e pra conseguir 15 dias √© dific√≠limo.
Marconny diz que teve colapso nervoso e f√≠sico, que precisou se preparar fisicamente e psicologicamente para estar na CPI. Diz que nunca foi funcion√°rios p√ļblico, sempre foi da iniciativa privada, mas que nunca se envolveu em vendas de vacinas.
Marconny diz que envolveu-se com a Precisa em licita√ß√£o de compra de testes rap√≠dos que j√° estava em andamento, diz que n√£o foi contatado para outros servi√ßos ligados √† Precisa ou ao Minist√©rio da Sa√ļde, menos ainda sobre as vacinas.
Marconny diz que sua participação termina quando o processo foi cancelado. Afirma que foram 30 dias de conversa com a Precisa e foram apenas conversas de Whatsapp.
Diz que usará seu direito ao silêncio.
Omar pergunta se ele não responderá sobre ao atestado médico, Marconny diz que teve uma crise nervosa e o médico o viu, o analisou e deu atestado. Omar pergunta a respeito da denuncia que ele diz ter feito, ele fala que ficará calado porque processo corre em segredo de justiça.
Omar pergunta porque ele fala que seria um péssimo lobista, Marconny diz que porque tudo o que ele tentou fazer dava errado. Omar faz analogia com desenho Papa Léguas e Coyote e que Marconny seria Coyote e o Estado brasileiro seria Papa Léguas.
Omar Aziz diz que Marconny não irá dar uma de Carlos Wizard, que queria até vender livro ali na CPI. Omar diz que Marconny irá responder e passa palavra ao senador Renan Calheiros.
Renan Calheiros diz que espera que se contribua para que na pr√≥xima semana j√° se tenha proposta de relat√≥rio da Comiss√£o Parlamentar de Inqu√©rito. Afirma amanh√£ haver√° equipe da professora @Deisy_Ventura e da Funda√ß√£o Get√ļlio Vargas.
Renan Calheiros diz que na sexta-feira terão diálogo com grupo Prerrogativas, na i9ntenção de melhoras o relatório.
Omar Aziz diz que Amazonas foi usado de cobaia e que um jurista citou Minist√©rio da Sa√ļde e a Capit√£ Cloroquina.
Omar diz que estão ali atrás da justiça por famílias que se perderam por causa de brincadeira, de experimentos. Renan afirma que relatório tem muitos tipos de crimes comuns, crimes de responsabilidade e crimes contra a humanidade.
Renan agradece aos senadores, em especial de Alessandro e Tebet, para que possam aprofundar esse debate.
Renan passa para as perguntas e pergunta o que Marconny trabalha, ele diz que a empresa dele faz assessoramento técnico político e presta serviços somente ao setor privado.
Renan pergunta se para parlamentares, ele diz que n√£o pode citar pelas clausulas de sigilo dos contratos. Randolfe diz que Marconny informou que s√≥ trabalha com setor privado, mas como ele afirmou trabalhar com parlamentares. Marconny diz que tem parlamentar privado e o p√ļblico.
Qual empresa? MRA de Faria apoio Administrativo.
Se atua no ramo de sa√ļde? N√£o.
Nunca atuou no ramo de sa√ļde? Nunca.
Nunca tentou ajudar na aquisi√ß√£o de insumos em sa√ļde? Nunca.
Qual relacionamento da empresa com governo federal? Nenhuma.
Foi requisitado ou procurado por empresa privada para tratar de venda de insumo ou produto de combate √† covid? Foi sondado para assessoria politica e tecnicamente a Precisa em concorr√™ncia p√ļblica em andamento.
Como? Eles precisavam de parecer t√©cnico do cen√°rio pol√≠tico e √© o que ele faz, an√°lise pol√≠tica dentro das situa√ß√Ķes, para ver se √© preciso acertar o neg√≥cio. Soraya pergunta sobre analise de possibilidade pol√≠tica.
Omar pergunta qual tipo de análise, Randolfe pede para ele dissertar sobre análise política e técnica. Marconny diz que na época estavam vivendo lockdown e não sabiam como os negócios iriam acontecer.
Ele √© de Bras√≠lia, por isso fez a viabilidade t√©cnica e pol√≠tica para a Precisa. Renan diz que ainda n√£o entenderam. Soraya pergunta se eles n√£o iam aos editais e licita√ß√Ķes para saber cen√°rios.
Randolfe diz que estão curiosos sobre assessoramento técnico e político, quer que ele descreva esse acessoriamente político. Marconny diz que assessorou a Precisa que estava em concorrência política para venda de testes rápidos.
Renan questiona se política, Marconny se corrige e diz que era técnica e que a licitação já estava em andamento. Marconny diz que fez análise política apenas. Omar pergunta qual análise política pode ser feita na compra de testes, ele diz que nenhuma.
Omar diz que eles não estão entendendo. Alessandro reforça que ele acabou de responder que não há nenhuma. Otto Alencar pergunta se teve interferência de recursos de Maurício, Marconny diz que a licitação não existiu.
Otto volta questionar sobre Maur√≠cio Camisotti, que fez um c√Ęmbio e depositou na conta da Precisa mais de 18 milh√Ķes e coincidindo na aquisi√ß√£o de testes da Covid-19. A informa√ß√£o √© que Marconny teria participado, ele afirma desconhecer Maur√≠cio.
Renan Calheiros perguntou se ele participou de venda de produtos de sa√ļde para minist√©rio ou secretarias, ele diz que n√£o. Renan afirma que tem informa√ß√Ķes de que as mensagens de 23/05/2020 demonstram que Marconny participou ativamente da tentativa de fraude de licita√ß√£o do MS.
Renan diz que é importante lembrar que Operação Falso Negativo também tinha licitação de compra de testes da Covid como objeto, diz que Marconny pode silenciar mas não ocultar a verdade.
Há fatos comprovados da participação de Marconny, segundo Renan Calheiros, e que objetivo do depoimento de hoje é esclarecer aspectos dele.
Pergunta se ele prestou serviços par a Precisa, ele diz que foi sondado para dar orientação técnica e política em concorrência já aberta para testes rápidos. Diz que como concorrência já estava em andamento ele não participou das propostas e leitura de editais.
Marconny diz que fez análise de viabilidade política, queriam serviço para ver se era negócio viável. Renan pergunta como se dá essa consultoria política para facilitar compreensão dos membros da CPI.
Marconny diz que fazia análise de estudos técnicos e políticos diz que conhece a política de Brasília. Renan pergunta de que forma política influía no desfecho, Marconny diz que na época OMS sugeria comprar testes rápidos mas MS logo depois desistiu da concorrência.
Qual rela√ß√£o dele com Precisa? Nenhuma, comercial. Se teve tratativas posteriores? N√£o, apenas 30 dias no ano passado. Otto diz que era preciso nominar qual pol√≠tico ele abordou no Minist√©rio da Sa√ļde, ele diz que nenhum pol√≠tico.
Otto pergunta com que políticos Marconny falou, nenhum. Renan pergunta se isso foi feito psicografado então e Marconny segue afirmando que não falou com políticos.
Renan pergunta de que forma política influía na contratação, Marconny diz que nãos abe responder o porquê dele ter sido contratado.
Se ele conhece dono da Precisa, afirma que conhece Danilo Trento. Se conhece Maximiano, afirma que sim e esteve duas vezes com ele.
Renan Calheiros pergunta como ele permitia que essas coisas acontecessem. Marconny não responde. Soraya pergunta formação acadêmica do depoente, Renan diz que ele é formado em Direito mas não tem carteira da OAB.
Contarato diz que depoente precisa prestar atenção à CPI e que precisa te responsabilidade com os membros da Comissão e com a população brasileira.
Contarato fala sobre lei de licita√ß√Ķes e que √© clara lei sobre fraude, que CGU apontou interfer√™ncias no processo e que esse crime √© considerado formal e consuma√ß√£o prescinde da obten√ß√£o de vantagens.
Contarato recorda que em uma das mensagens trocadas por Marconny ele afirmou que um Senador desataria os n√≥s, afirma que ele √© senador e portanto ele afirma que Marconny deve o nome. Que n√£o quer que paire d√ļvidas para a popula√ß√£o brasileira.
Renan pergunta quem é o senador contido, Marconny diz que não sabe quem é. Randolfe diz ter a mensagem. Humberto faz leitura da mensagem trocada com Roberto Santana, em que Dias estaria com o senador para destravar venda dos testes rápidos. A pergunta é quem é o senador?
Randolfe diz que podem afastar sigilo dessa mensagem e mostrar para ver se ele recorda. Além disso, Randolfe diz que tem outra em julho de 2020 em diálogo com senhor Ricardo Santana que está inclusive registrado no celular como "Ricardo Santana - Karina Kufa"
Randolfe diz que essa mensagem reforça que ele afirmou que estaria com o senador, pede novamente o nome já que ele não está lembrando e pede que se afaste sigilo da mensagem. Marconny fala com advogado mas sem prestas atenção na Comissão.
Omar pergunta se tem rela√ß√Ķes com senadores e quantos, Marconny diz que com nenhum senador.
Alessandro diz que para além de aguardar afastamento de sigilo, ele fala que Marconny é o mesmo cidadão que subiu em carro de som gritando contra corrupção e agora chega à Comissão citando que teria um Senador e terá cara de pau de não dizer nome.
Marconny diz que n√£o tratou de vacinas. Randolfe diz que eram testes, ele pede novamente nome do senador. Marconny diz que nenhum. Alessandro diz que ele participou de negociatas e agora n√£o quer dizer nomes e que isso fique registrado.
Omar diz que se ele sem dizer nome ficam agora se olhando e questionando quem será o senador, mas que as senadoras podem ficar tranquilas. Soraya pergunta quem ele enganava porque ele faz articulação política sem conhecer senadores.
Omar diz que quando fala um senador, ele tem que ter um nome. Que não está prejulgando, mas que teve acesso que não pode divulgar há muitas conversas. Randolfe diz que há várias, 300 mil páginas de conversa. Omar diz que é bom ele pensar e ver se lembra.
Omar diz que quando fala um senador, ele tem que ter um nome. Que não está prejulgando, mas que teve acesso que não pode divulgar há muitas conversas. Randolfe diz que há várias, 300 mil páginas de conversa. Omar diz que é bom ele pensar e ver se lembra.
Omar pergunta se ele conhece dono da empresa Giga, Marconny diz que como esta empresa está envolvida no esquema do Pará ele não pode falar. Arthur citado é o motorista dele. Alessandro lembra que Giga é um apelido, Omar reforça que também é nome da empresa.
Leila pergunta se pode ser solicitado a Polícia do Senado as entradas de Marconny para ver qual gabinete. Marconny diz que já esteve no Senado mas que não esteve no gabinete de nenhum senador. Diz que esteve quando fazia parte dos movimentos democráticos.
Contarato diz que ele é articulador político, mas não sabe explicar o trabalho dele.
Renan pergunta quando ele esteve com Danilo e Max, ele n√£o recorda.
Renan diz que há documentos que comprovam que em 04/06/2020 Danilo perguntou se ele e Santana poderiam encontrar no escritório e que horas depois Marconny relatou que estava pegando Santana e indo ao escritório de Trento.
Randolfe pergunta se √© sil√™ncio par an√£o se incriminar ou por sigilo, Marconny diz que segundos eu advogado para n√£o se incriminar. Renan pergunta se ele conhece Emanuela Medrades, ele diz que n√£o e nunca ouviu falar. Nunca tratou com ela sobre negocia√ß√Ķes.
Se a Precisa fez pagamentos para ele, n√£o. Se atuou na venda da Covaxin, n√£o. Se conhece Marcelo Blanco, n√£o. Renan diz que h√° mensagem em que Santana informa que est√° na Delog, cujo diretor era Dias e que Blanco estava com eles aguardando deputados.
Marconny nas mensagens teria pedido agilidade. Renan pergunta ao que se atribui esses di√°logos e Marconny usa direitod e ficar calado.
Qual relação com Santana? Conheceu na casa de uma amiga em comum em um churrasco. Qual amiga? Karina Kufa. Se Kufa apresentou Santana? Não, eles conversaram e se conheceram. Humberto pergunta se Renan Bolsonaro estava presente, ele não lembra.
Randolfe diz que Renan Bolsonaro estava. Renan pergunta se ele teve vários encontros com Ricardo Santana, Marconny diz que não recorda. Renan diz que estão diante do mais cínico dos depoimentos, com respeito ao telespectador.
Diz que o senhor que está depondo era militante político o combate a corrupção no Brasil e que é para vermos estágio de degenerescência que nos expomos no Brasil.
Omar questiona sobre o almoço, churrasco. Omar fala que não é crime estar no churrasco na casa de uma amiga, como não é crime ela receber pessoas. Fala que difícil é ele não recordar. Sobre casamento em que ele esteve, Marconny diz ironicamente não recordar.
Omar diz que ele cita um senador e n√£o recorda nome, que fica dif√≠cil e que pode pedir para assessoria do Senado para que se consulte a ministra Carmen L√ļcia que age rapidamente e saber o que far√°.
Omar diz que ele recusar responder sobre empresa Giga est√° certo, mas n√£o tem nenhum senador investigado e que isso n√£o o incrimina mas ele omite.
Omar reforça que ele foi para rua, em cima de caminhão, combater corrupção. Omar diz para Girão que o mesmo Supremo que pedem para fechar, é para onde eles recorrem. Omar diz que para subir em caminhão falando mal de políticos são machos, mas quando chegam ali não.
Omar diz que se apropriaram da bandeira do Brasil e que o verde-amarelo é nosso, que não é porque suam camisetas amarelas que são mais patriotas que eles. Que verde-amarelo é uma cor nossa.
Alessandro diz que vai tentar favorecer a memória de Marconny e diz que ele comemorou aniversario no Mané Garrincha em nome de Giga. Alessandro pergunta d quem é o camarote que ele fez festa, Marconny diz que era de Renan Bolsonaro.
Alessandro diz, ent√£o, que ele tem boa rela√ß√£o a ponto de usar camarote do filho do presidente. Alessandro refor√ßa que Marconny n√£o sabe de administra√ß√£o p√ļblica, n√£o √© advogado, mas ele frequenta churrascos e tem amizades e por isso √© bom procurar Marconny.
Renan pergunta o que se tratava com Santana nos encontros, ele fica calado sobre isso. Renan Calheiros pergunta quem s√£o D e M nas mensagens, Marconny diz que n√£o sabe quem √© D. Diz que est√° mais de um ano sem seu telefone e que n√£o lembra e n√£o tem acesso as informa√ß√Ķes.
Que outros interesses da Precisa ele colaborou além dos testes rápida, nenhuma. Jean questiona se ele não sabe das mensagens que ele mesmo escreveu. Randolfe diz que ele mandou muitas mensagens.
Renan pergunta qual rela√ß√£o com Karina Kufa, amizade social. Como a conheceu, conheceu Karina em 2017. Se Karina atua em licita√ß√Ķes, n√£o que ele saiba.
Renan diz que lobistas da Precisa foram apresentados por Karina Kufa.
Pergunta se Karina apresentou ele para Santana, ele diz que foi na casa dela e n√£o exatamente ela. Ele confirma que esteve no churrasco na casa de Karina Kufa.
Randolfe diz que ele possivelmente n√£o lembra de detalhes, mas que horas depois do churrasco o Santana mandou mensagem e diz que foi apresentado pela Karina Kufa e que ele cadastrou como "Ricardo Santana (Karina Kufa)" no celular.
Randolfe diz que ele pode falar a verdade, que ele pode deixar claro que foram apresentados num churrasco que ocorreu a noite e que Jair Renan estava presente.
Inclusive que quando ele fazia festas no condomínio e que síndico reclamava, ele afirmava que era só Jair Renan aparecer que o síndico reclamava parecendo um petista. Senadores perguntam o que tem a ver petista, Randolfe manda perguntar para ele, Omar diz que não vai perguntar.
Qual relação com Roberto Dias? Nenhuma.
Renan diz que Dias esteve com Marconny presencialmente e quer saber como ele conheceu, ele diz que n√£o recorda como conheceu e nem quem apresentou.
Omar Aziz diz que os poderes de Dias, por ele n√£o poder ser exonerado, foram retirados. Omar ainda lembra que existe um dossi√™ que Dias n√£o quis falar sobre o conte√ļdo para a CPI.
Omar volta a fazer analogia com Papa Léguas e Coyote, Randolfe diz em alguns episódios o Papa Léguas é que caça o Coyote.
Omar diz que os cidad√£os de bem que entram em caminh√Ķes para gritar contra Supremo e contra Congresso acabam entrando nessas situa√ß√Ķes e nos lobbies. Renan diz que Santana n√£o sabia dizer quando havia sa√≠do do MS, mas saiu com exonera√ß√£o de Dias.
Quantas vezes esteve no Minist√©rio da Sa√ļde, Marconny diz que nenhuma vez e que est√° com documento do cancelamento da aquisi√ß√£o dos testes.
Randolfe quer saber como Marconny teve acesso a Operação que ocorreu no DF com cinco horas de antecedência. Renan quer que detalhe a questão da arquitetura e Randolfe diz que pode, tem inclusive imagens e pede para secretaria da CPI. Izalci diz que é mesmo passo à passo do DF.
Randolfe explica que Danilo Trento encaminha para Marconny Faria a arquitetura ideal, ele reencaminha para Ricardo Santana de forma que ele encaminhe essa mensagem ao Roberto Dias. Randolfe pede que mostrem a mensagem na tela.
A mensagem mostra oito passos para que as empresas que concorriam perdessem a licitação e a Precisa saísse vitoriosa. Nas mensagens, ainda, aparece pedido para que fosse feito à toque de caixa. Randolfe diz que Marconny não participou de lobby de vacinas, mas de outros esquemas.
Randolfe diz que Marconny chega a dizer que lamentava, mesmo depois da Operação no DF, e que deveria ter "ido para cima". Randolfediz que não tem relação com vacinas, mas é outro esquema que a CPI descobriu.
Renan pergunta quem eram contatos dele no MS, Marconny diz não ter contatos dentro do ministério. Se ele conhece Macari, diz que não conhece. Renan quer lembrar de mensagens de Ricardo Santana em que Dias teria conversado com Macari sobre as compras dos testes.
Renan Calheiros diz que Macari pode ser chamado à Comissão e que as mensagens recordam tudo isso e a participação de Marconny. Marconny segue dizendo que desconhece. Se ele trabalhou para prejudicar empresas na licitação, afirma que jamais.
Renan diz que as informa√ß√Ķes mostram que Marconny atuou junto com Trento, Dias e Maximiano. Renan pergunta na mensagem, Marconny disse que a mensagem foi enviada pela parte t√©cnica da Precisa. Mas desconhece quem √©.
Marconny diz que recebeu a mensagem de Trento, mas que ele teria informado que foi a parte t√©cnica da Precisa que enviou. Renan pergunta se ele agiu para desclassificar empresas, ele diz que n√£o. Se articulou oferta de den√ļncia na Anvisa contra Alere, ele fica calado.
Renan fala sobre atua√ß√£o da Anvisa e explica que a conclus√£o da CPI √© que a den√ļncia contra Alere (que agora se chama Abbott) foi realizada por Santana.
Se eles se valeram de contatos para realizar den√ļncia junto a Anvisa, ele fica calado.
Renan diz que Ricardo mudou de celular e continua identificado como ‚ÄúRicardo Santana - MS (Karina Kufa)‚ÄĚ. Ricardo confirma novo n√ļmero para Marconny e diz que ‚Äúevita vacilo‚ÄĚ. Marconny responde ‚Äúque bom que me escutou‚ÄĚ.
Randolfe considera importante o depoente comentar.
Renan diz que j√° perguntou e que ele preferiu ficar calado. Pergunta quantas vezes esteve com Dias.
Marconny diz que acredita que 2 vezes.
Pergunta se ele esteve em sua dasa.
N√£o se recorda.
Renan diz que numa madruga em 2020+
Marconny vai ficar em silêncio.
No dia 19/06/2020, Marconny avisa Maximiano, √†s 3:10 da manh√£ que Bob saiu da casa dele e que a conversa foi ‚Äúmuito boa‚ÄĚ. Marconny enviou as mesmas mensagens pra Danilo Trento. Pergunta que infos essas mensagens continham.
Vai ficar calado
Renan pede confirmação do encontro.
Vai ficar calado.
Pergunta porque do encontro.
Vai ficar calado.
Renan diz que Marconny instruiu a não ir ao MS porque já tinha encontrado Bob em outro lugar. Pede confirmação que recebeu Maximiano em 26/06/2020 em seu escritório.
Vai ficar calado.
Jean Paul pede pro depoente olhar no olho dele. Pergunta se ele sabe onde mora.
Sim.
Jean diz que ele vai dormir ali hoje. Porque esquecimento vai se tornar nova regra. Lembra que há crime de falso testemunho e que um saiu preso por isso e outros saíram chorando
Jean diz pra ele aproveitar pra se safar.
Renan diz que tem ligação com a vacina sim.
Jean lembra que podem encontrar esc√Ęndalos ainda maiores.
Randolfe diz que n√£o era vacina, mas era teste de covid
Otto l√™ trecho do hc de Carmen L√ļcia. Lembra que o depoente j√° mentiu v√°rias vezes e omitiu.
Jean pede pra n√£o abusar da paci√™ncia ūüĒ•
Renan pergunta se ele confirma que recebeu Maximiano em 26/06/2020 em seu escritório.
Vai ficar calado.
Renan lembra que Marconny diz a Maximiano que está em sei escritório esperando por ele e manda a localização.
Pergunta se ele confirma que Maximiano ligou pra ele às 5 da manhã pra informar sobre a operação falso negativo e tranquiliza-lo. No dia 2, 9/27, Marconny diz a Ricardo Santana que já tinha visto as notícias e que Maximiano ligou pra ele.
Marconny diz que n√£o tem nada a ver com as opera√ß√Ķes.
Randolfe diz que ele é alertado pela operação.
Marconny diz n√£o lembrar.
Randolfe diz que tem mensagens e que Marconny tranquiliza Santana depois.
Marconny vai ficar calado
Renan pergunta quanto ele receberia caso a Precisa tivesse chegado ao final da arquitetura.
Marconny responde que só tinham sondado e não tratou valores.
Pergunta pra quais empresas ele fez lobby.
Nenhuma.
Otto diz que ele t√° mentindo.
Marconny afirma que n√£o fez lobby.
Randolfe pergunta o que é tudo isso então que eles mostraram.
Otto diz que ele falou que fez lobby.
Renan pergunta qual a relação dele com Jair Renan Bolsonaro.
Amizade
Pergunta que negócios os dois mantêm.
Nenhum.
Conhece outras pessoas da família.
N√£o.
Ana Cristina Bolsonaro?
Jair Renan apresentou.
Tem negócios com ela?
N√£o
Pergunta como se deu a participação dele na empresa de Jair Renan.
Ele queria criar uma empresa de influência e Marconny teria apresentado um amigo tributarista.
Renan pergunta quem os apresentou.
Marconny diz que conheceu Jair por amigos em comum
Palavra agora de Eliziane Gama. Diz que mensagens que foram obtidas pela imprensa mostram que a empresa de Jair Renan foi aberta em 16/11/2005 e consta com capital social de 105 mil reais. Imprensa mostra uma festa de Jair Renan com a cobertura feita por uma produtora de
conte√ļdo digital que tem contratos com o governo federal. No dia 17/09/2020, Marconny mandou pra Jair Renan ‚Äúbora resolver as quest√Ķes dos seus contratos‚ÄĚ e se colocou √† disposi√ß√£o.
Marconny diz que como ele é jovem, apresentou ele pra um amigo, William
Eliziane pergunta qual a aproxima√ß√£o dele com William Ara√ļjo.
S√£o amigos.
Eliziane pergunta se ele apresentou benefícios pela ajuda.
Nenhuma.
Pergunta pro qual motivo o telefone de Jair Renan na Receita Federal é o mesmo de William.
N√£o sabe responder.
Pergunta se eles se encontravam na empresa.
N√£o.
Eliziane lembra que ele disse que era advogado.
Era estagiário, não foi aprovado na OAB e atuava em alguns escritórios.
Com a Kufa?
Não, relação apenas social
Eliziane n√£o entende como a empresa dele atua.
Marconny diz que faz análise técnico-político pra empresas privadas.
Eliziane pergunta se foi a equipe técnica que fez aquele passo-a-passo e se ele não estranhou.
Marconny diz que foi a empresa e que no seu ponto de vista tava
Tudo dentro da lei. A licitação não ocorreu.
Eliziane pergunta porque ele considerou como algo correto j√° que era pra induzir a uma ilegalidade.
Marconny diz que foi passado pela empresa.
Eliziane pergunta se ele sabia disso na hora que recebeu.
Sim.
Sobre Nise Yamaguchi, conhece?
N√£o.
Eliziane diz que Santana afirma em uma das mensagens que o Brasil n√£o testa e que v√£o apresentar pro Presidente da Rep√ļblica um projeto.
Marconny diz desconhecer.
Eliziane diz que ele pediu ajuda.
Marconny diz que n√£o ajudou.
Eliziane pergunta se ele se reuniu com Nise.
N√£o.
Eliziane diz que eles podem ter acesso a essas reuni√Ķes. Diz que ele √© um caso claro de parece, mas n√£o √©
Otto diz que foi encaminhado a mesa um requerimento de Randolfe para a Pol√≠cia Legislativa prestar informa√ß√Ķes pra saber quantas vezes Marconny esteve no Senado.
Simone pede pra incluir o cadastro de entrada na C√Ęmara.
Randolfe aceita.
Otto inclui. Requerimento aprovado
Palavra de Randolfe Rodrigues. Pergunta se ele é advogado.
N√£o.
Diz que Karina afirma a ele que tem muitas influências no jurídico.
Vai ficar calado.
Para n√£o se comprometer?
Sim
Pergunta qual a empresa dele.
MMRA de Faria.
Sócio majoritário?
Sim.
Quem é Arthur?
Funcion√°rio.
O nome dele consta como acionista da Giga.
Vai ficar calado.
Randolfe pergunta como um motorista é sócio de uma empresa que fez os seus negócios.
Marconny diz que o processo est√° em sigilo e vai ficar calado.
Randolfe pergunta o capital social, porque ela opera em nome de Marconny e o sócio é o motorista dele.
Marconny diz que a empresa est√° dentro de um processo em segredo de sigilo.
Soraya diz que isso não é segredo de justiça.
Randolfe coloca uma foto. Marconny estava num carro de som pedindo o impeachment de Dilma Rousseff.
Marconny diz que era colaborador assíduo do Vem pra Rua
Randolfe pergunta se ele não tem interesse em dizer quem é o senador.
N√£o lembra.
Otto diz que a Polícia vai identificar e mostrar ele entrando no gabinete.
Randolfe diz que depoentes j√° lembraram de nomes l√° no final do depoimento.
Eliziane manda Simone pro aquecimento
Simone pergunta se era homem ou mulher.
Marconny diz que não sabe quem é.
Jean pergunta se est√° nessa sala.
Renan afirma que a resposta n√£o o autoincrimina.
Eliziane diz que excluiria 12 pessoas.
Otto diz que em 2h devem ter a imagem dele entrando no gabinete do senador.
Randolfe diz que eles não têm pressa:
Rogério diz que pode ser com Karina Kufa e Eduardo Bolsonaro, pois tem uma mensagem.
Randolfe pergunta se ele conhece.
Não. Marconny diz que ele estava no escritório
da Karina naquele dia, mas n√£o o conhece.
Randolfe diz que 20/06/2020, 15h, Ricardo manda mensagem dizendo que refletiu e recomenda n√£o ir pelo simples fato de estar com ele em outros ambientes. Pergunta quem √© D., M. E o ‚Äúele‚ÄĚ.
Randolfe diz que sabem que D √© Danilo Trento e M √© Maximiano. Quem √© ‚Äúele‚ÄĚ?
N√£o se recorda.
Randolfe diz que ele respondeu a mensagem. Mais adianta, dizem ‚Äútudo certo com o Bob‚ÄĚ e ia avisar.
Marconny diz n√£o se recordar.
Randolfe diz que foi antes da operação da Precisa. Pergunta quem é Nati.
Marconny diz que foi namorada de um amigo dele.
Pergunta se ela ajudava ele no MS. Nati fala sobre um ofício de testes de covid. Mais adiante, ela indica uma funcionária. Ele pergunta qual o DAS dela. Pra q?
Vai ficar calado.
Randolfe diz que essa info pode lhe incriminar. Pergunta como ele tinha tanta info privilegiada de opera√ß√Ķes da pol√≠cia civil.
Diz que n√£o teve.
Randolfe afirma que é o que o MP aponta
Simone diz que é PF então.
Randolfe afirma que é os dois.
Vai ficar calado.
Pergunta desde quando conhece Jair Renan.
H√° uns 2 anos.
Randolfe pergunta se Ana Cristina apresentou.
N√£o.
Randolfe diz que s√£o muitos amigos em comum
O s√≠ndico do pr√©dio de Marconny reclamava de festas regulares e ele responde que o s√≠ndico ‚Äúparece petista‚ÄĚ. Pergunta se Jair Renan frequentava sua resid√™ncia.
3 ou 4 vezes.
Renan lembra que ele tinha relação com movimentos bolsonaristas
Randolfe diz que parece que frequentou mais vezes. E Ana Cristina?
Marconny diz que Jair Renan lhes apresentou.
Ela interveio em seu favor pra indicação de cargos?
Vai ficar calado.
Randolfe diz que Ana Cristina deve ir à CPI, porque encaminha currículos de pessoas indicadas por Marconny pra ocupar cargos no governo federal. Sobre Karina Kufa, dizem que ela não pode ir à CPI por sigilo profissional. Pergunta se conhece Carminha Vasconcelos.
Sim
Karina Kufa que apresentou os dois. No dia 11/05/2020, às 18:58, ele manda pra Carminha uma tabela de preço base e depois afirma que devem colocar comissão.
Marconny diz que isso foi uma negociação frustrada entre entes particulares
Randolfe diz que isso é com o MS. Pra que era a comissão de 5 reais?
Vai ficar calado.
Randolfe lembra que ele disse que combateu corrupção no Instituto e influenciou na alteração da direção.
Marconny diz que n√£o indicou.
Randolfe diz wue ele mandou um currículo pra Kufa,
Que depois diz que encaminhou pro Presidente e depois a direção é substituída. Afirma que isso não parece ser sigilo profissional e é tráfico de influência. Marcio Roberto Teixeira Nunes foi conduzido e preso pela operação parasita.
Randolfe pergunta se esse foi o combate dele a corrupção.
Omar lembra que no início ele falou que denunciou.
Randolfe diz que a operação foi em outubro com o indicado pelo depoente.
Jean Paul pede confirmação se a alegação de silêncio é por esse processo.
Sim
Jean diz que isso é um caso em que o depoente está alegando ficar em silêncio de casos muito maiores por causa de um caso muito menor, lá no Pará.
Randolfe diz que no dia 26/05/2020, ele recebeu um telefonema do ‚Äúnosso pessoal‚ÄĚ. Esse pessoal seria do MS. A diretora Gisele estava
desesperada pela queda de Vanderson, que parece que estava atrapalhando as coisas. Mais adiante, Marconny diz que est√£o no melhor momento pra varrer a ‚Äúcorja‚ÄĚ. Pergunta quem era o pessoal.
Vai ficar calado.
Mais adiante, Kufa diz que falou mal de Gisele. Vanderson estava atrapalhando a nomea√ß√£o. Pergunta se isso √© sigilo profissional. Mostra que tem informa√ß√Ķes demais sobre Marconny e que est√£o diante do arqu√©tipo do governo federal.
Randolfe diz que as concretiza√ß√Ķes dos crimes de corrup√ß√£o est√£o ali. Da porta pra fora, combate a corrup√ß√£o, no governo, uma estrutura de corrup√ß√£o toda montada.
Palavra agora de Humberto Costa. Lembra que Marconny falou que participou do Vem pra Rua e diz que tem infos que ele foi líder de movimentos de extrema direita de 2013 pra cá.
Costa pergunta se ele continua apoiando o presidente.
Marconny diz que nunca apoiou.
Costa pergunta se ele esteve presente nos atos de 7 de setembro.
Marconny diz que a √ļltima vez que esteve em manifesta√ß√Ķes foi do impeachment de Dilma.
Costa diz que sua relação com as pessoas do
governo são mais pessoais, profissionais e não políticas.
Marconny diz que não é nada.
Costa diz que as infos que circulam n√£o s√£o essas, teria feito a√ß√Ķes profissionais com Jair Renan.
Pergunta se ele tem parente trabalhando em gabinete de senador.
N√£o.
Costa lembra que ele tinha uma empresa que fazia consultoria política. Pergunta que consultoria poderia se prestar à Precisa.
Randolfe diz que ao invés de fazer um relatório político, participou diretamente de tratativas. Pergunta se ele recebeu pagamrnto da Precisa.
N√£o.
Como seria a forma de remuneração?
Marconny responde que teve contato por 30 dias apenas e n√£o foi pra frente
Costa diz que um dos diálogos dele com Ricardo diz que iriam retirar a Bahia Farma que estaria na frente da licitação. Pergunta se seria assessoria ter intermediação de senador. Ricardo diz a Marconny que ia falar com o Senador apenas, então ele sabia o nome.
Costa acha difícil não lembrar da ajuda de um senador.
Marconny diz que n√£o lembra.
Costa diz que ele não explicou como Maximiano sabia da operação falso negativo antes de acontecer.
Palavra agora de Eduardo Girão. Adm vai buscar café se ele começar a completar a tabela do bingo.
Gir√£o diz que causa desconforto Marconny n√£o falar o nome do senador. Agora t√° passando pano pros atos golpistas de 7 de setembro.
Girão pergunta desde quando ele faz esse trabalho de intermediação.
Marconny diz que tem essa empresa desde 2013.
Gir√£o pergunta se ele fazia esse trabalho antes de forma informal.
Tinha outra empresa, a Apol. Era uma Eireli.
Girão pergunta se além do governo federal, ele atuou em estados e municípios.
Marconny diz que sempre trabalhou com privado.
Girão pergunta por qual razão esses contatos políticos.
Marconny diz que foi Santana que falou sobre isso.
Randolfe diz que n√£o.
Marconny afirma n√£o
se lembrar.
Pergunta se conhece Ricardo Barros.
N√£o.
Qual relação com Mandetta.
Conheceu na época do Vem pra Rua, ele auxiliou o grupo.
Quando ele foi ministro, esteve 1 vez com ele pra tratar do Instituto Evandro Chagas. N√£o se recorda a data.
Pergunta se foi em abril de 2020.
Simone diz que ent√£o ele esteve no MS, pois afirmou que nunca esteve.
Marconny afirma que n√£o respondeu isso.
Randolfe pergunta quando ele conheceu Dias.
Marconny diz que n√£o conheceu, Santana sin
Randolfe diz que Santana o apresentou.
Sim.
Eliziane pergunta se ele fez visita a algum senador.
Diz que nessa gest√£o n√£o veio
Marconny diz que teve reunião com Renan e Eliziane na época do impeachment, mas não durante o governo Bolsonaro.
Girão pergunta se nessa época ele foi aos senadores pra tentar fazer o pleito pelo impeachment.
Com certeza, tamb√©m na C√Ęmara
Gir√£o pergunta se como volunt√°rio.
Sim.
Girão diz que é evidente que é preciso trazer Wagner Rosário. Peguem o bingo, vai começar.
Randolfe acha que a ordem poderia ser Ana Cristina, Karina Kufa, Danilo Trent, Wagner do Ros√°rio e Elcio Franco.
Girão concorda. Agora diz que a CGU participou da operação no Pará.
Omar diz que Wagner do Rosário sabe de tudo isso desde outubro de 2020, então é um prevaricador
Omar diz que ele tem que explicar as omiss√Ķes dele na CPI. Pede pra Renan colocar no relat√≥rio. CGU esteve na casa de Marconny com a pol√≠cia e n√£o tomaram provid√™ncia nenhuma. Roberto Dias continuou no MS.
O que Wagner fez nos estados √© obriga√ß√£o, o que ele n√£o fez com o governo federal √© prevarica√ß√£o ūüĒ•
Gir√£o pede pra marcar o dia.
Omar diz que v√£o marcar hoje.
Randolfe acredita que ninguém vai votar contra essa citação no relatório.
Omar diz que ele preparou uma operação, sabe que um servidor opera e não toma providência.
Randolfe diz que pelo menos 5.
Omar pergunta se √© pra aplaudir Wagner por fazer sua obriga√ß√£o. Chama Wagner de omisso e lembra que no dia 06/09 ele estava todo empolgado com as manifesta√ß√Ķes golpistas.
Simone diz que pede isso faz tempo, porque em rede nacional ele fez uma defesa intransigente de Pazuello
contrariando pareceres da própria CGU, que apontou irregularidades.
Renan diz que ele deixou a arquitetura funcionar.
Omar lembra que Dias foi demitido depois que a CPI denunciou o pedido de propina de 1 dólar por dose de vacina.
Gir√£o acha importante o depoimento.
Omar diz que se todas as outras opera√ß√Ķes foram cir√ļrgicas como essa, ent√£o estamos perdidos.
Randolfe pergunta se ele solicitou algum PF se o telefone de Santana estava interceptado.
Vai ficar calado.
Renan pede pra descrever.
Randolfe pergunta se ele conhece o PM Mark.
Marconny diz que vai ficar calado.
Randolfe diz que Marconny enviou mensagem sobre um PM chamado Mark e teria pedido pra verificar se Santana foi grampeado.
Foi por isso que Marconny indicou a Santana a trocar de celular. Randolfe diz que ele não é um lobista qualquer.
Renan pergunta como foi a introdu√ß√£o do depoente ‚Äúse eu sou lobista, sou um p√©ssimo lobista‚ÄĚ.
Randolfe diz que não é o que parece.
Simone pergunta se alguma dessas a√ß√Ķes tiveram √™xito.
Randolfe diz que várias: ele conseguiu mudar direção do Evandro Chagas, que durou 5 meses no cargo e Wagner não contou pra ninguém.
Simone diz que ele é amador
Randolfe diz que pegaram, porque o celular foi apreendido e devemos agradecer a Ciro Nogueira pelas infos.
Omar lembra que Dias quase foi exonerado no dia seguinte da operação.
Randolfe diz que ele pediu, porque ia assumir cargo na Anvisa e n√£o deu certo.
Simone diz que tem v√°rias cita√ß√Ķes ao senador. Diz que talvez seja o caso de trazer o tal de Eduardo Macario pra saber se ele foi abordado por algu√©m e se teve algum contato com Marconny e Santana. Pede pra n√£o esquecer que esse contrato e essas den√ļncias paralisaram
corrupção por servidores de carreira.
Luiz Carlos Heinze com a palavra e adm vai fazer xixi e pensar na vida.
Randolfe segue perguntando sobre o PF Mark. Pergunta se tem relação com Eduardo Bolsonaro.
Marconny vai ficar calado.
Omar suspende a sess√£o por 30 minutos. Vamos comer, camarote!
Voltamos! Rogério Carvalho com a palavra. Ele coloca um vídeo de Marconny em cima de um carro de som gritando contra a corrupção. Senador afirma que era o início de uma campanha contra o Brasil.
Rogério diz que ele criminalizou a política pra levar Bolsonaro ao poder e agora age como operador de um enorme esquema de corrupção. Diz que ele mais parece um bolo de rolo de tantos rolos que o envolvem.
Rog√©rio diz que esse movimento continua a acontecer no Brasil, como viram nas √ļltimas manifesta√ß√Ķes. Diz que o que eles fizeram com o Brasil pra tirar uma presidente sem ter cometido crime, em nome de um moralismo falso, acordaram um monstro e dividiram o Brasil.
Fizeram tudo isso pra organizar uma ação de assalto ao país. Diz que quase tudo tem intermediação e o próprio governo Bolsonaro é todo tomado.

[senador t√° bravo]
‚ÄúVai vendo, Brasil‚ÄĚ diz Rog√©rio Carvalho. Senador lembra da troca de mensagens sobre a troca de celular de Ricardo Santana. Diz que Marconny combina edital. Mostra uma mensagem em que Ricardo diz que ‚Äúele‚ÄĚ gostou da conversa, mas era preciso praticar o menor pre√ßo do processo.
Marconny teria respondido que ia dar certo. Rogério diz que ele praticou tráfico de influência pela conversa com Ana Cristina Vale, mãe do 04, em 26/08/2020. Marconny teria enviado a Jorge Oliveira, do TCU, de apoiar nome para cargo.
O candidato seria ‚Äúalinhado‚ÄĚ e apoiador do presidente Jair Bolsonaro. Diz que Marconny recebeu dinheiro pra trocar dire√ß√£o do Instituto Evaldo Chagas. Outro crime seria recebimento ou pagamento de propina na opera√ß√£o hospedeiro. Marconny tamb√©m receberia informa√ß√Ķes
privilegiadas da PF. Senador diz que ele tentou assediar ministros pra favorecer supostos apoiadores ou criminalizar advers√°rios. Diz que tem as mensagens, mas n√£o v√£o expor os nomes. Quem participou disso: a m√£e de Jair Renan.
Rogério diz que ele atuou repleto de comparsas, umas quadrilha, e todos os crimes foram acobertados e tiveram a participação do presidente. Apesar de Marconny negar, Ana Cristina mandou mensagem pedindo ajuda sobre Renan.
Além da festa de aniversário no Mané Garrincha, Marconny operou com Jair Bolsonaro. Na época do contrato dos testes, teve reunião com Jair Bolsonaro. No dia 13/06/2020, Santana diz que está trabalhando em projeto pra apresentar pro PR.
No dia 15, Marconny fala sobre um amigo e diz que chegou direto do PR. Pergunta quem é o amigo.
Vai ficar calado.
Em 12/05/2020, ele disse pra Kufa que entregou a ‚Äúele‚ÄĚ na porta do Alvorada. Ele: Bolsonaro. Pergunta o conte√ļdo da carta.
Vai ficar calado.
Rog√©rio diz que Ricardo Santana esteve no v√īo particular pra √ćndia junto com Maximiano, da Precisa. Pergunta quem √© o bra√ßo direito do Pal√°cio do Planalto, militar de alta patente.
Marconny diz desconhecer.
Senador diz ele foi nomeado ao alto escal√£o no dia do v√īo.
O militar que estava nesse v√īo, o senador suspeita que seja o mesmo que recebeu uma promo√ß√£o. Rog√©rio Carvalho diz que estamos colhendo o resultado de uma farsa de combate a corrup√ß√£o.
Randolfe pergunta se conhece Antonio Carlos Alencar Carvalho.
N√£o.
Palavra agora de Marcos Rog√©rio. Lembra que Marconny declinou que presta servi√ßos a parlamentares e que a explica√ß√£o inicial n√£o fez sentido. Pergunta qual sua atua√ß√£o no setor p√ļblico.
Marconny diz que só pra privado.
Marcos diz que ele afirmou isso no inicio.
Marconny diz que é assessoria e pro privado.
Randolfe pede pra declinar.
Pareceres técnicos políticos.
Marcos pede pra que ele contextualize no que consiste esse trabalho.
Marconny diz que faz pareceres e análises de viabilidade política.
Marcos pede pra aprofundar. Pergunta quais serviços constam no portfólio.
Análise política de viabilidade política.
Pergunta se ele faz análise teórica ou prática.
Teórica, na prática só o que acontece no momento.
Tem contato com parlamentares?
N√£o.
Marcos lembra que ele falou que seria um mal lobista. Pergunta se h√° outra atividade.
N√£o.
Marcos diz que o depoente fala que tem expertise sem estar dentro e ter contato com parlamentares. Agora passa um pano pro pior presidente da história do Brasil.
Marcos diz que no sigilo expuseram muitas conversas, mas n√£o vai expor. Chama o depoente de falastr√£o.
Randolfe pergunta se ele conhece Renan Bolsonaro.
Sim.
Amigo?
Colega.
Ana Cristina Bolsonaro?
Sim.
Roberto Ferreira Dias?
Sim, trabalhava no MS como diretor de logística
Palavra agora de Alessandro Vieira. Alerta que a corrupção existe independente se o governo é de esquerda ou de direita. Chama essa narrativa de infantilidade.
Afirma que o Vem pra Rua divulgou nota oficial afirmando que Marconny não foi líder e só atuou no impeachment de Dilma Rousseff.
Randolfe diz que n√£o querem criminalizar os movimentos sociais
Alessandro diz que o congresso está atrasado em regulamentar o lobby, mas que o lobby de Marconny é nas escondidas, buscando interface com a família do PR. Marconny encaminhou uma mensagem pra Ana Cristina sobre uma operação de combate a corrupção e ela disse que ia falar+
Com o ministro Jorge. Ana retorna dizendo que ele vai ‚Äúver com bons olhos‚ÄĚ. Pergunta se conhece Leonardo Magalh√£es.
N√£o. Estive com uma vez.
Alessandro diz que conhecer não é biblico.
Pergunta se conhece Fl√°vio Santos.
N√£o
Otto diz que passou da hora de ele ‚Äúmerecer uma pulseira‚ÄĚ ūüĒ•ūüĒ•ūüĒ•
Randolfe diz que vai tratar como brincadeira, mas vai analisar pedido.
Alessandro diz que ele entrou em contato com ex do Bolsonaro pelo menos 2x. Demandou atenção em caso de corrupção e outra nomeação
Pede que esclareça se essa atuação é assessoria política.
Vai ficar calado, porque est√° correndo em sigilo
Alessandro diz que faz parte do trabalho dele, incrimina?
Pela não auto incriminação
Alessandro pergunta quando entraram em contato com Jair Renan.
N√£o lembra quando o conheceu.
Pergunta qual a relação com Cristina.
Desde que ela foi a Brasília.
Quem pagou o almoço?
Conta dividida
Pergunta se conhece a mans√£o de Ana Cristina.
N√£o.
Alessandro lembra que ele se dispos a ajudar Renan em vários momentos. Pergunta de ele ajudou na mudança.
N√£o
Alessandro diz que transferiram dinheiro pra empresa de fachada com o nome justamente o apelido do depoente. Afirma que é preciso decidir se vai parar ou seguir investigando. Pede pra colocar em votação o requerimento de convocação de Ana Cristina Vale.
Alessandro diz que Bolsonaro se vendeu como combatente da corrupção e agora está enrolado desde seu nascedouro e chama isso de estelionato eleitoral.
Randolfe coloca o requerimento em apreciação.
Marcos pede pra ser pautado dentro do prazo regimental.
Randolfe diz que tem feito aprovação sem apresentação. Pergunta de mais alguém diverge. Coloca em votação. Aprovado.
Marcos Rogério vota contra.
Palavra de Soraya Thronicke. Pede pra esclarecer o que significa concorrência política.
Marconny diz que é análise de viabilidade, estudo do momento em que o país vive.
Soraya comenta sobre o sigilo ético do advogado. E pergunta a Marconny se ele tinha um contato firmado. Marconny fala que não tinha formado o contrato.
Simone pede que ele mostre a cl√°usula de sigilo do contrato com a Precisa.
Marconny explica que o contrato foi verbal, que ele foi só sondado e que conversou durante 30 dias com a Precisa, mas o contrato não foi adiante.
Soraya pede que seja mostrada uma foro de Marconny em cima de um carro de som, do movimento Vai pra rua. Soraya pergunta se ele defende o liberalismo econ√īmico e a lava jato. Ele responde que sim, defende essas pautas.
Soraya segue perguntando se ele é filiado a algum partido. Marconny fala que foi filiado ao Patriota, mas que pediu desfiliação.
Soraya pergunta a posição politica de Marconny e ele responde que é de centro-direita.
Soraya conta que iniciou sua história política nos movimentos de rua, pelo Pátria Livre e se elegeu defendendo a bandeira do liberalismos e as pautas de direita. Mas que existe uma direita séria e uma direita que, é sim, corrupta.
"Coitada de Nossa Senhora" fala Soraya. E pede que n√£o generalizem a direita, tendo como exemplo pessoas como Marconny.
Soraya então fala que o presidente é uma pessoa simples e que sempre falou que não sabia de tudo. E que trocou Pazuello por Queiroga na hora certa.
Soraya elogia Francielle e fala que existe corrupção em todos os níveis, em todos os governos. E fala que vai sempre estar do lado correto.
Soraya pede que façam a mudança do status de Marconny, de testemunha para interrogado, a fim de quebrar seu sigilo bancário. Se ele não sair preso, hoje.
Simone pede a palavra para falar a favor da regulamenta√ß√£o da atividade de lobby, at√© para valorizar os lobbys leg√≠timos, a exemplo dos servidores p√ļblicos e dos servidores dos Correios.
Simone retira sua inscrição pq tem compromisso com Pacheco.
Randolfe pede a palavra a Izalci para explicar que estudantes de arquitetura da Federal do Amap√° est√£o pedindo parta explicar o uso da express√£o arquitetura ideal.
Randolfe fala que a express√£o surgiu nas mensagens interceptadas pela CPI, pelos operadores da Precisa e enviadas para Marconny. E que nada tem a ver com a √°rea de arquitetura.
Rogério pergunta sobre o nome do senador e Marconny diz que não conhece nenhum senador e não sabe que é o tal senador citado nas mensagens.
Izalci inicia sua fala relatando parte da arquitetura do golpe, citando a estrutura desmontada pela operação Falso Negativo, que consta com a participação de Emanuela Medrades da Precisa, Bob da Dlog, Emanuel do GDF, e com o conhecimento do governador do DF.
Izalci acredita que o modus operandi deve ter sido testada de forma Precisa, primeiro no GDF.
Izalci reitera que deve-se ter muito cuidado com a reforma administrativa, principalmente com rela√ß√£o aos servidores p√ļblicos.
Izalci termina sua fala e Randolfe passa a palavra para senadora Leila
Leila inicia seu tempo de fala relatando a troca de mensagens entre Marconny e Danilo Trento. Leila pergunta que contratou Marconny, Trento ou Maximiano. Marconny fala que teve o primeiro contato com Trento.
Leila então pergunta se ele ia ganhar alguma coisa caso a negociação avançasse. Marconny fala que sim.
Leila ent√£o pergunta qual a rela√ß√£o dele com Maximiano. Marconny fala que nenhuma, s√≥ encontrou com ele por rela√ß√Ķes de trabalho.
Leila pergunta quem estava no jantar na casa de Karina Kufa. Ele fala que n√£o sabe, pq eram amigos dela. Umas 5 ou 6 pessoas.
Leila pergunta se Marconny tem alguma relação com Karina e ele fala que a relação apenas de amizade.
Leila pergunta pq Karina o apresentou a Ricardo Santana. Marconny fala que eles se conheceram na festa, mas sem a intervenção de Karina.
Leila segue perguntando poque ele pediu ajuda a Karina Kufa para intervir no Instituto Evandro Chagas. Marconny fala que não pode falar pq a matéria corre em segredo de justiça.
Leia pergunta também pq Marconny pediu ajuda de Karina Kufa para intervir na escolha do Defensor Publico da União. Ele pede para ficar em silêncio.
*Leila
Leila pergunta sobre o senador com quem ele teve contato. Randolfe pergunta se ele quer lembrar quem era o senador. Marconny fala que n√£o lembra.
Jean Paul pergunta ent√£o para quem a empresa de Marconny trabalha. Marconny fala que todos os contratos dele tem sigilo. E que ele foi convocado devido ao contrato dos testes r√°pidos.
Randolfe reforça que Marconny não está ali somente por isso, mas também pelo envolvimento na nomeação da presidência do Instituto Evandro Chagas, no golpe.
Leila fala sobre as mensagens trocadas, por Marconny, com Karina Kufa e Ana Cristina, onde ele falava sobre as atividades dele.
Leila lembra que ele n√£o respondeu a pergunta de Alessandro sobre quais s√£o as atividades profissionais de Marconny usando o direito de n√£o se autoincriminar.
Leila então pergunta como responder sobre a atividade profissional, o incrimina. marconny responde que é porque envolve terceiros e ele não quer falar sobre terceiros.
Randolfe explica a Marconny que ele tem que falar sobre terceiros, sim. E pede que os colegas que tem intenção de levantar voz de prisão por falso testemunho, apresentem as justificativas para que isso aconteça.
Randolfe fala que a turma que quer fechar o STF acaba recorrendo ao mesmo STF para garantir seus direitos legais.
E adverte a Marconny que n√£o abuse da boa vontade da CPI (se n√£o vai ganhar um teje preso)
Jean Paul fala que, por ele, dava voz de pris√£o, porque esse esquema ainda est√° em vigor.
Randolfe fala que talvez seja necess√°rio pedir embargo declarat√≥rio para Carmem L√ļcia, mas que, para esclarecer os limites do HC.
Jean Paul fala que alguns senadores falam que n√£o houve crime, mas que, quem evitou que esses contratos fossem levados adiante, foram servidores p√ļblicos, e n√£o o presidente.
Jean Paul fala que a CPI começou às cegas e que a CPI foi extremamente importante.
Renan pede a palavra e informa que passa Marconny para a condição de investigado.
Randolfe pede a palavra e pergunta se Marconny confirma que nunca teve nenhum negócio com Karina Kufa. Ele confirma que nunca teve. Randolfe, então, mostra uma mensagem de Marconny, onde ele fala com Karina sobre negócios entre os dois.
Randolfe pergunta novamente se ele tinha negócios com Karina. Marconny confirma que nunca teve. Então Randolfe sugere que Marconny reconsidere, e fale com seus advogados e mude sua declaração.
Marconny então reconsidera e afirma que teve um princípio de negociação com Karina, mas que não foi adiante.
Randolfe pergunta a Marconny se ele manteve contrato com algum parlamentar e ele fala que vai usar o sigilo contratual.
Randolfe explica que ele n√£o pode usar o sigilo contratual pois se refere a terceiros, ent√£o Marconny muda a resposta e fala que vai usar do direito ao silencio para n√£o se autoincriminar.
Randolfe então encerra a sessão, lembrando que só não aconteceu um teje preso por conta do HC e que vai pedir para que Marconny seja investigado por mentir à CPI.
Ao final, Randolfe ainda deseja boa sorte a Marconny, porque ele vai precisar.
E assim termina mais um episódio da segunda temporada da CPI da Covid.

‚ÄĘ ‚ÄĘ ‚ÄĘ

Missing some Tweet in this thread? You can try to force a refresh
„ÄÄ

Keep Current with Camarote Da CPI

Camarote Da CPI Profile picture

Stay in touch and get notified when new unrolls are available from this author!

Read all threads

This Thread may be Removed Anytime!

PDF

Twitter may remove this content at anytime! Save it as PDF for later use!

Try unrolling a thread yourself!

how to unroll video
  1. Follow @ThreadReaderApp to mention us!

  2. From a Twitter thread mention us with a keyword "unroll"
@threadreaderapp unroll

Practice here first or read more on our help page!

More from @camarotedacpi

16 Sep
ūüĒ• Sess√£o aberta #CPIdaCovid
Omar Aziz explica que Pedro Benedito Batista J√ļnior n√£o foi √† CPI pelo prazo regimental de 48h, mas rapidinho ele entrou com habeas corpus no STF. Ele teria tempo suficiente pra comparecer.
Humberto Costa diz que o n√£o comparecimento e a ida ao STF √© paradoxal, porque a institui√ß√£o diz que o trabalho √© cient√≠fico, ent√£o naturalmente eles iriam querer falar √† CPI sobre a√ß√Ķes durante a pandemia.
Read 36 tweets
16 Sep
‚ö†ÔłŹ Prevent Senior ocultou mortes de pacientes que participaram de estudo com hidroxicloroquina associada √† azitromicina para tratamento da Covid-19.

Informa√ß√Ķes s√£o de @GloboNews.
A #CPIdaCovid recebeu den√ļncias de irregularidades em documento enviado por ex-m√©dicos da Prevent. No dossi√™ h√° informa√ß√Ķes sobre dissemina√ß√£o de cloroquina e outras medica√ß√Ķes com apoio do presidente da Rep√ļblica, Jair Bolsonaro (sem partido).
A GNews teve acesso aos nomes e as informa√ß√Ķes de sa√ļde dos participantes do estudo, nove deles morreram durante as pesquisas mas os autores mencionaram somente dois √≥bitos. Os estudos, segundo m√©dico que trabalhava para a Prevent, foram manipulados.
Read 6 tweets
15 Sep
‚ö†ÔłŹEm decis√£o do relator Renan Calheiros (MDB-AL), e do grupo majorit√°rio da Comiss√£o, ser√° encaminhada den√ļncia de Jair Messias Bolsonaro ao Tribunal Penal Internacional.
A den√ļncia ser√° sustentada em dois pontos: crise de oxig√™nio no Amazonas e a falta de pol√≠ticas de prote√ß√£o dos povos ind√≠genas durante a pandemia da Covid-19.
A senadora @elizianegama afirmou ao @congressoemfoco que "no estado do Amazonas teve implanta√ß√£o clara da imunidade de rebanho." Para @Sen_Alessandro "s√£o processos muito longos. Mas h√° elementos para a den√ļncia".
Read 4 tweets
15 Sep
ūüćŅ Senador Renan Calheiros, relator da #CPIdaCovid, est√° em coletiva.
Renan diz que na sexta-feira ter√£o conversa e que na pr√≥xima segunda-feira, pela tarde, dialogam com a OAB e Comiss√Ķes Especializadas para pegar sugest√Ķes ao relat√≥rio.
Renan diz que mais tarde devem conversar sobre os depoentes da próxima semana, mas a expectativa é que tenham a temperatura absolutamente elevada por tudo o que viram.
Para Calheiros, do ponto de vista do que foi investigado, está tudo bem. Se houver algo relevante, à luz do dia, eles devem inserir e investigar. Só devem delongar o funcionamento da Comissão se houver alguma justificativa.
Read 5 tweets
15 Sep
ūüďÉ A CPI da Pandemia ouve nesta quarta-feira (15), a partir das 9h30, o advogado Marconny Albernaz de Faria, suspeito de ter atuado como lobista da Precisa Medicamentos na tentativa de venda da vacina Coxavin para o Minist√©rio da Sa√ļde.
Marconny deveria ter sido ouvido pela CPI em 2 de setembro, mas apresentou um atestado médico e não compareceu à audiência. O atestado acabou sendo anulado pelo próprio médico que o concedeu.
O advogado também havia recorrido ao STF para não depor, mas o pedido foi negado.
Caso não compareça à sessão sem justificar a ausência, ele poderá ser conduzido coercitivamente à CPI. A juíza Pollyanna Kelly Martins Alves deferiu o pedido com esse objetivo feito pela comissão, por meio da Advocacia do Senado Federal (Advosf).
Read 5 tweets
14 Sep
Sess√£o aberta ūüĒ•ūüĒ•ūüĒ• #CPIdaCovid
Depoente Marcos Tolentino est√° sendo conduzido a mesa
Omar Aziz l√™ o habeas corpus concedido por Carmen L√ļcia. Marcos Tolentino pode ficar em sil√™ncio sobre quest√Ķes que o incriminam.
Read 235 tweets

Did Thread Reader help you today?

Support us! We are indie developers!


This site is made by just two indie developers on a laptop doing marketing, support and development! Read more about the story.

Become a Premium Member ($3/month or $30/year) and get exclusive features!

Become Premium

Too expensive? Make a small donation by buying us coffee ($5) or help with server cost ($10)

Donate via Paypal Become our Patreon

Thank you for your support!

Follow Us on Twitter!

:(