Thiago Medaglia Profile picture
Science and environmental journalist, @KSJatMIT fellow 2020, founder of @ambientalmedia, former editor at @natgeobrasil magazine
23 Sep 20
Além da análise de dados, viajamos ao Baixo Tapajós p a reportagem #CortinadeFumaça, produzida pela @ambientalmedia c apoio de @Amazon_RJF / @pulitzercenter , e publicada agora na @natgeobrasil. Assino o texto c @leticiamklein, fotos d Flavio Forner nationalgeographicbrasil.com/meio-ambiente/…
Neste "capítulo", focamos no dia a dia dos agricultores familiares que vivem na #Floresta Nacional do #Tapajós e na Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns, onde #cientistas trabalham lado a lado com #ribeirinhos no desenvolvimento de tecnologias alternativas ao fogo na agricultura
Estas populações dependem do que plantam para sobreviver e utilizam pequenas #queimadas controladas no preparo do solo. Sem suporte técnico do Estado, pressionados por desmatadores e por um #clima cada vez mais seco, eles ainda se veem acusados pelo governo federal
Read 5 tweets
23 Sep 20
Da próxima vez que o gov federal mentir sobre a responsabilidade pelos incêndios na #Amazônia, envie o nosso mapa. Difícil negar a realidade quando ela aparece sobreposta em camadas de dados na mesma visualização: #FOGO e #DESMATAMENTO tem relação direta: cortinadefumaca.ambiental.media Image
Ontem, na ONU, Bolsonaro culpou os pequenos produtores rurais das populações tradicionais amazônicas e do #Pantanal pelas queimadas nas duas regiões, mas isso não é verdade. O time da @ambientalmedia passou 6 meses investigando os dados de fogo e desmatamento na #Amazônia
Os resultados estão na reportagem especial #CortinadeFumaça, realizada graças ao suporte do @Amazon_RJF, em parceria com o @pulitzercenter . Pra desconstruir narrativas falsas, criamos um storytelling visual baseado em dados: #jornalismo e #ciência juntos cortinadefumaca.ambiental.media
Read 18 tweets
20 Jun 20
Não “só” a divulgação de multas ambientais agora está submetida ao vice-presidente Mourão. Uma série de publicações no DOU nos últimos dias esvazia ainda mais a atuação do Ibama, limita o Conselho Nacional da Amazônia ao Executivo e cria aberrações. Links da boiada passando
PORTARIA Nº 1.369, de 16 de junho, institui um núcleo de instrução de processos ambientais e proíbe a divulgação de multas ambientais ainda não julgadas. É um ataque à transparência e à conservação ao mesmo tempo in.gov.br/en/web/dou/-/p…
RESOLUÇÃO Nº 1, de 17 de junho, sobre o Conselho Nacional da Amazônia, limitando os membros ao poder Executivo federal, que poderão convidar outras pessoas, como prefeitos e governadores da Amazônia Legal, mas estes ñ terão direito a voto in.gov.br/en/web/dou/-/r…
Read 6 tweets
5 Jun 20
URGENTE: Indígenas das etnias Tiriyó, Katxuyana, Txikiyana, Wayana e Aparai, moradores de TIs entre norte do Pará e fronteira c Amapá, pedem socorro. A região só é acessível por avião, já há 19 indígenas c #covid19 e ali há povos recém-contatados e isolados. Etnocídio em curso
Read 5 tweets
22 May 20
O esvaziamento dos órgãos ambientais e a validação da ilegalidade patrocinadas por Salles e Bolsonaro atuando na disseminação da #covid19 no interior da #Amazônia: recebo de fonte a DENÚNCIA de que um piloto de balsa na região de Santarém desafiou ordem dos fiscais do @ICMBio
A balsa transporta passageiros entre as localidades do Baixo Tapajós, onde existem algumas Unidades de Conservação, como a Floresta Nacional (Flona) Tapajós. Só que uma portaria do MMA do final de março fechou todas as UCs do país. Questionado pelos fiscais, o homem deu de ombros
Disse que seu barco está regularizado pela Marinha e que NÃO RECONHECE A AUTORIDADE DO ICMBio. O saldo é trágico: a embarcação teria sido o veículo para a contaminação de 20 pessoas apenas na comunidade de Prainha, que fica na Flona Tapajós, sendo que um dos ribeirinhos já morreu
Read 5 tweets
22 May 20
A conclusão do maior estudo feito até aqui com a #cloroquina, recém publicado no Journal @TheLancet : “Em resumo, este estudo (...) de pacientes com COVID-19 que necessitaram de hospitalização constatou que o uso de um regime contendo hidroxicloroquina ou cloroquina +
com ou sem macrolídeo*) foi associado a nenhuma evidência de benefício, mas, em vez disso, foi associado a um aumento no risco de arritmias e a um maior risco de morte hospitalar (...) +
Os resultados sugerem que esses medicamentos não devem ser utilizados fora dos ensaios clínicos e é necessária a confirmação urgente dos ensaios clínicos randomizados.”

*macrolídeo é o grupo de antibióticos ao qual pertence a azitromicina
Read 4 tweets
20 May 20
Reportagem de @kakape na @ScienceMagazine aborda um elemento “novo” na dispersão do #SARSCoV2 , o vírus que causa a #covid19 : o fator de dispersão K, que tem a ver com o papel de aglomerações na disseminação da doença (fio) sciencemag.org/news/2020/05/w…
Até aqui, o já popular fator de reprodução R (quantas pessoas um indivíduo infectado é capaz de infectar) tem sido o foco das discussões, mas é provável que o fator K, relacionado ao conceito de clusters, tenha papel fundamental na compreensão da doença e nas decisões políticas
Um fator K baixo indica que a transmissão da doença vem, na verdade, de um grupo pequeno de pessoas. Em um preprint recente (link), pesquisadores estimam o K para a #covid19 em 0.1 e afirmam ser possível que “10% dos casos levaram a 80% da disseminação” wellcomeopenresearch.org/articles/5-67
Read 7 tweets
10 May 20
Pra entender o tamanho do equívoco que é dar voz a negacionistas da ciência, como fez ontem a @GloboNews ao convidar Osmar Terra para um debate sobre isolamento social, precisamos de um olhar aprofundado para o tema da ignorância. Fio sobre Agnotologia, o estudo da ignorância
Ignorância não é só ausência de conhecimento, mas também o resultado de dinâmicas e conflitos políticos e culturais. Ao longo da História, a produção do conhecimento tem sido o foco de filósofos e historiadores, mas, nos anos recentes, a produção da ignorância ganhou mais atenção
Assim como o conhecimento, a ignorância pode ser produzida, intencionalmente ou não. O termo Agnotologia foi cunhado pelo historiador Robert Proctor, da Universidade de Stanford history.stanford.edu/publications/a…
Read 25 tweets
27 Apr 20
As comunidades do interior da #Amazônia são um dos elos mais frágeis do Brasil à #pandemia : distante de hospitais, mas conectadas o suficiente aos centros urbanos para permitir a disseminação do #coronavirus. Falamos sobre isso hoje na @folha ambiencia.blogfolha.uol.com.br/2020/04/27/int…
A Região Norte demanda uma atenção diferenciada do governo central. A sua capacidade de resposta à #COVID19 é limitada em comparação a outras regiões do Brasil. E como contar com um governo federal tão conturbado e sem foco?
Nas capitais e no interior da Amazônia, essa é uma história importante que jornalistas do país todo precisam contar: o encontro entre a invisibilidade histórica da região com a pandemia do século sob Bolsonaro
Read 4 tweets
26 Apr 20
Cobertura de #ciência é desafiante. Há muitas nuances e todo cuidado é pouco, mais ainda pra quem saltou do jornalismo diário para a #pandemia . Hoje, um tuíte da OMS @WHO sobre incertezas a respeito de anticorpos em pessoas infectadas com #coronavirus deu confusão (fio)
A comunicação da OMS durante a pandemia tem recebido críticas e algumas delas são justificadas, como esta do @NateSilver538 , que sugeriu usar “não há provas definitivas ainda” ao invés de “não há evidências” (sobre anticorpos em pessoas recuperadas)
O fato é que os estudos existentes apontam, sim, para algum nível de imunidade após a recuperação de infectados por #SARSCoV2 , mas os cientistas precisam de mais tempo pra entender em qual escala (no fio do Nate Silver tem uma boa reportagem do @nytimes a respeito)
Read 8 tweets
10 Apr 20
Post de um pesquisador belga anunciado como estudo viralizou e virou notícia no mundo, com recomendações sobre distâncias “seguras” para corredores ao ar livre em tempos de #COVID2019 . Só que a “pesquisa” é, na vdd, uma simulação de computador (+)
Os autores não são virologistas e o trabalho não passou pelas revisões padrões da ciência (peer review). Ou seja: as recomendações não são válidas. O @g1 publicou e chamou de estudo g1.globo.com/bemestar/coron…
Mas vejam o que diz um epidemiologista de @Harvard , chamado William Hanage, em esta reportagem da @VICE (destaco uma fala dele a seguir): vice.com/amp/en_us/arti…
Read 5 tweets
6 Apr 20
Excelente a live do @oatila , muito informativa e clara sobre onde estamos na #pandemia , a “guerra” mundial por equipamentos e insumos, lições da gripe espanhola, as diferenças p a H1N1 e a importância de olhar p os dados das cidades
Minha única pergunta, @oatila , seria sobre os diversos relatos de quebra no isolamento vindos de muitas cidades brasileiras. Isso não preocupa? Não podemos queimar a “gordura” conquistada por termos parado cedo e ver o sistema de saúde colapsar?
Aos colegas jornalistas cobrindo o #coronavjrus , acho que o Átila deu uma dica preciosa na live de hoje: é hora de voltarmos nossa atenção às cidades (individualmente) e não tanto para os números gerais como país. A história será contada por aí
Read 4 tweets
5 Apr 20
Editorial do @NEJM , das mais importantes publicações científicas da área médica no mundo, aponta o caminho para esmagar e não “apenas” achatar a curva de disseminação do #coronavirus nos EUA. Vale pensar nestas recomendações também p o Brasil nejm.org/doi/full/10.10…
O artigo sugere que a curva pode ser esmagada em 10 semanas. Pra isso, as recomendações passam por:

1. Estabelecer um comando unificado, o que inclui o presidente do país parar de criticar governadores e opositores;

2. Testar milhões de pessoas: não necessariamente todo mundo,
mas todo mundo com sintoma PRECISA ser testado;

3. Equipar devidamente os profissionais de saúde e os hospitais, sobretudo pra tratar os pacientes mais graves;

4. Dividir a população em 5 categorias e tratar cada uma de forma particular: infectados /
Read 7 tweets
31 Mar 20
O #RodaViva foi maravilhoso, o melhor que vi nos últimos anos. Por isso, chega a dar vergonha criticar o @oatila , que é brilhante e tá prestando um serviço fantástico ao país neste momento. Mas respeitosamente queria destacar um comentário equivocado sobre alterações climáticas
Apesar da diferença gritante na escala de tempo em comparação ao #covid19 , os efeitos da #CriseClimática não serão sentidos em apenas duas ou três décadas, como disse o Átila. Ainda que não sejam tão perceptíveis agora pela coletividade quanto os do #coronavirus , eles estão aí,
inclusive matando pessoas. Por ex: extremos climáticos, incluindo ondas de calor letais, como na Índia, em 2015, onde 1.100 pessoas morreram em um mês; maior incidência e intensidade de incêndios florestais, afetando condições respiratórias de milhões de pessoas e matando outras;
Read 9 tweets
28 Mar 20
Não raro, pessoas muito técnicas, imbuídas de boa-fé, dão respostas herméticas a perguntas abrangentes e veem sua intenção original distorcida. A entrevista no podcast da @ilustrissima , c/ a Dra Rita Barradas Barata, corre risco de virar exemplo crasso. Explico no fio
Antes, pra evitar mal maior, reproduzo literalmente a resposta da cientista ao ser indagada pelo repórter se ela concorda com a fala de Bolsonaro sobre haver uma histeria em relação ao #coronavirus . Vejam o que diz a dra Rita:
"A posição do Bolsonaro não dá nem pra discutir porque ele é uma pessoa que não tem nenhuma formação (técnica) e ele não acredita em ciência. Então, obviamente ele está usando isso pra fazer o jogo de cena que ele faz com qualquer outra coisa. Não é isso que estou dizendo...
Read 15 tweets
26 Mar 20
Reportagem na @sciam mostra o nível de incerteza dos modelos de projeção sobre o #covid19 que estão baseando as decisões políticas no mundo. Um dos pontos claros é que a doença atinge cada país de maneira diferente, provavelmente a partir da capacidade do seu sistema de saúde
Outro ponto que fica claro: é melhor ser conservador e partir para o distanciamento social mais intenso. Espanha, Itália e Reino Unido optaram por medidas inicias mais amenas (a palavra da moda é distanciamento vertical) e os dois primeiros estão pagando caro
O Japão também decidiu não intensificar de cara e agora estuda medidas mais radicais nesse sentido. O tempo perdido pode custar milhares de vidas e estamos falando de países de primeiro mundo
Read 6 tweets
22 Mar 20
Já que o gov fed segue sendo problema e não solução, a iniciativa privada precisa se mexer para ajudar a circular dinheiro nas comunidades carentes. @CasasBahia @lojasamericanas @Walmart e cia: o que vcs estão fazendo por seus funcionários e colaboradores neste momento?
A mesma pergunta vale para @magazineluiza @carrefourbrasil @paodeacucar e outras do setor varejista que vcs podem ajudar marcando nessa thread. As vendas on-line manterão o setor de pé, então a cobrança não é inadequada
Por que não criar uma hotline interna para atender demandas específicas de seus funcionários, tais como parentes idosos ou do grupo de risco que não podem ser isolados por falta de recurso?
Read 16 tweets
12 Mar 20
Aulas físicas no MIT e em Harvard suspensas: tudo agora é remoto. É muito frustrante, já que a essência da experiência como fellow no @KSJatMIT é explorar aulas, palestras, bibliotecas e as mentes brilhantes do mundo que aqui habitam. Pelo menos foi no terço final do programa
Dito isso, a decisão é acertada. Pra quem está de fora e é brasileiro, causa agonia a inércia do governo diante do avanço do #coronavirus . É questão de tempo até que hospitais estejam sobrecarregados, o que é o maior problema. Então é preciso conter o vírus
Nas redes sociais, há foco excessivo na letalidade do vírus, mas esse não é ao que tudo indica não é o maior problema agora. Há doenças que matam mais, mas o drama com o covid-19 é a dispersão: cada pessoa infectada tende a infectar outras duas. Daí a contenção fazer sentido
Read 12 tweets
8 Mar 20
Não sei se já criaram uma thread com o lindo e relevante discurso do professor Felipe Boff, paraninfo da turma do curso de jornalismo da Unisinos. Ele foi vaiado e xingado pelos convidados de seus alunos. Nada mais emblemático. Leiam!
"A imprensa brasileira vive seus dias mais difíceis desde a ditadura militar. Entre 1964 e 1985, jornalistas foram censurados, perseguidos, presos, torturados e até assassinados, como Vladimir Herzog. Hoje, somos insultados nas redes e nas ruas; perseguidos por milícias virtuais
e reais; cerceados e desrespeitados por autoridades que se sentem desobrigadas de prestar contas à sociedade. Todos sabem – mesmo aqueles que não acompanham as notícias – quem é o principal propagador dessa ameaça crescente à liberdade de imprensa. É o mesmo que também considera
Read 20 tweets
9 Jan 20
In less than a week, applications for the world's leading science journalism program will be over. If you are a science journalist, I invite you to follow this thread. I'll explain why every drop of sweat dedicated to enrolling in @KSJatMIT is worth it ksj.mit.edu
First, let me introduce myself: I am an environmental journalist from Brazil, and the Latin American representative in the #KSJ2020 class. You can learn more about my work here ksj.mit.edu/dispatches/201…
As you can imagine, the program is highly competitive - only 5% of applicants are accepted –, but in that fact lies one of the great benefits: You'll learn a lot from your amazing-fellow science-journalists-from-all-over-the-world. Meet my colleagues here ksj.mit.edu/current-fellow…
Read 12 tweets
7 Jan 20
Se você é jornalista de ciência, segue o fio. Vou explicar porque vale cada gota de suor dedicada à inscrição no principal programa de jornalismo científico que existe, o Knight Science Journalism no MIT @KSJatMIT . Vai ser o melhor ano da sua carreira! ksj.mit.edu
Falta um pouco mais de uma semana para o encerramento do prazo de inscrição, que é 15 de janeiro. Corre que dá tempo! Antes de seguir, deixa te contar que sou o representante da América Latina na turma do #KSJ2020 (que responsa!). Meu perfil no KSJ: ksj.mit.edu/dispatches/201…
Em primeiro lugar, jornalismo não precisa ser apenas sofrimento, mas o programa é concorrido – só 5% dos candidatos são aceitos. E aí reside um dos grandes atrativos: você vai aprender muito com seus colegas-jornalistas-de-ciência-incríveis-do-mundo-todo!
Read 17 tweets