1/ Finalmente pude analisar com calma os dados da base SRAG do dia 16/10, a única fonte de informação oficial da COVID com óbitos pela data efetiva do óbito do paciente, não da data quando o óbito foi contabilizado, que são os dados divulgados diariamente pela mídia.
2/ Pelas informações da última edição semanal da SRAG, apenas há crescimento no Amazonas, Santa Catarina e em Roraima. Tanto no AM quanto em SC, é possível que tenha sido um pico, já que há sinais de nova queda, mais fortes no AM.
3/ Em RR seria um crescimento pequeno, mas sem sinais de queda.
4/ Em São Paulo nota-se uma pequena redução na taxa de queda a partir de novembro, o que é esperado em estados mais populosos, que tendem a ter uma redução mais gradual. Nas maiores cidades do estado, apenas Sorocaba apresenta um aumento muito discreto em óbitos pela data real.
5/ Por fim, lembro que esses pequenos crescimentos que foram observados fazem parte do ciclo natural da doença. Com as pessoas voltando a ter uma vida normal é natural que ocorram episódios isolados de crescimento em alguns locais.
6/ Não existe uma "segunda onda", mais uma vez, é o comportamento natural de uma epidemia viral.
7/ Ao contrário da Europa que está tendo crescimento onde houve lockdown rigoroso e pela queda nas temperaturas com a aproximação do inverno, que sempre agrava qualquer doença respiratória.
8/ No Brasil estamos com temperaturas crescentes com a chegada do verão, que tende a reduzir o impacto desse tipo de doença.
9/ Análise completa na seção SRAG do site zerobias.info
Naturalmente é a base de 16/11, não 16/10!

• • •

Missing some Tweet in this thread? You can try to force a refresh
 

Keep Current with Lorenzo Ridolfi

Lorenzo Ridolfi Profile picture

Stay in touch and get notified when new unrolls are available from this author!

Read all threads

This Thread may be Removed Anytime!

PDF

Twitter may remove this content at anytime! Save it as PDF for later use!

Try unrolling a thread yourself!

how to unroll video
  1. Follow @ThreadReaderApp to mention us!

  2. From a Twitter thread mention us with a keyword "unroll"
@threadreaderapp unroll

Practice here first or read more on our help page!

More from @lorenzoridolfi

19 Nov
1/ O infectologista David Uip afirmou que São Paulo não está diante de uma possível segunda onda de Covid-19.
2/ Na avaliação do médico — que integra o Centro de Contigência do Coronavírus —, o aumento de novos casos significaria, na verdade, um agravamento da primeira onda que atingiu o estado.⁠
3/ “Minha opinião, falando como David Uip e não em nome do centro de contingência, é que não há uma segunda onda em São Paulo, e sim uma continuidade da primeira onda. Nosso número de infectados nunca foi um número que chegou perto ao de outros países, e depois caiu.
Read 4 tweets
17 Nov
Site atualizado. A instabilidade continua. Aparentemente a instabilidade é maior nos números das capitais. São Paulo e Curitiba particularmente com muita oscilação. Ainda tentando entender o cenário pós-hackers.
zerobias.info
Na esperança da base SRAG de amanhã fornecer uma visão mais clara do cenário atual.
Não fiz nenhuma análise da situação atual no site, mas já coloquei comentários do que já considero diferente e merece ser estudado com mais detalhe.
Read 4 tweets
31 Oct
1/ No post anterior, vimos que o IFR, a taxa de mortalidade da COVID entre os que foram infectados seria de 0.57%. Esse valor é compatível com as medidas draconianas que estão sendo feitas no Brasil e no resto do mundo?
2/ A taxa de mortalidade é o principal indicador do grau de severidade de uma pandemia por diversos órgãos de saúde do mundo, inclusive o CDC norte-americano.
3/ O grau de severidade de uma pandemia (Pandemic Severity Index) segue a mesma filosofia da classificação de furacões, onde a Categoria 1 é a mais leve e a 5 a mais grave.
Read 14 tweets
31 Oct
1/ Qual a mortalidade da COVID? Como a doença tem uma variação muito grande de periculosidade de acordo com a faixa etária, o CDC norte-americano publica as estimativas mais atuais com base na idade das pessoas.
2/ O órgão prepara uma tabela (em anexo) com vários cenários de planejamento, onde o de número 5 é o baseado nas informações mais atuais, no caso de setembro desse ano.

O índice IFR é o que mede a mortalidade da doença entre os que contrairam o vírus.
3/ Como podem ver na tabela, a variação entre as faixas etárias é gigantesca, há diferenças nas ordens de grandeza de acordo com a idade da pessoa. Justamente por isso, o CDC já divulga o IFR por faixa etária.
Read 4 tweets
29 Oct
1/ O lockdown foi uma boa estratégia? E a Suécia, que seguiu um caminho diferente, agiu corretamente? Image
2/ A Europa (inclusive a Suécia) deveria ter dado uma atenção especial aos asilos, pois em vários países os óbitos nessas casas de repouso representaram até mais de 50% dos óbitos?
Quem vai dar a resposta é esse gráfico, no final das contas.
3/ O total de óbitos por habitante de cada país. Isso sem entrar no mérito de distorções, mortes com versus de covid, etc.
Evidentemente esse gráfico só apresenta o número de óbitos diretamente relacionados à COVID.
Read 5 tweets
22 Oct
1/ Segue o resumo do resumo de um artigo sobre a "segunda onda" da COVID na Europa (link no final):

As mortes diárias de COVID-19 praticamente acabaram, caindo mais de 99% do pico.
2/ Os demais números relevantes ruíram: número de hospitalizações, número de internados em UTIs - todos estão em queda desde o pico de abril na Europa.
3/ A evidência viral nos diz que é raro alguém ser infectado exatamente pelo mesmo vírus duas vezes, certamente não em um curto período.
Read 11 tweets

Did Thread Reader help you today?

Support us! We are indie developers!


This site is made by just two indie developers on a laptop doing marketing, support and development! Read more about the story.

Become a Premium Member ($3/month or $30/year) and get exclusive features!

Become Premium

Too expensive? Make a small donation by buying us coffee ($5) or help with server cost ($10)

Donate via Paypal Become our Patreon

Thank you for your support!

Follow Us on Twitter!